Na abertura da Mostra Internacional de Cinema de Porto Alegre daquele ano (acho que era a Quarta), havíamos escolhido o filme polonês O FANTASMA(Widziadlo), de Mareck Novicki, enviado pela Embaixada da Polônia. A sessão de abertura da Mostra seria realizada no Cine ABC, na Rua Venâncio Aires, famoso na época, pelo espetacular Projeto Cinema a Meia Noite do Edmundo Gastal. O cinema lotou. Quando a sessão iniciou, um membro da Diretoria do Clube de Cinema sai correndo da sala e vem ate mim apavorado e grita: “Marco, a copia não tem legendas.” Para um filme polonês, convenhamos que era um problema grave! A copia enviada tinha sido errada (deveria ter sido uma com legendas em espanhol, mas alguém falhou). Interrompemos a sessão e propomos a devolução dos ingressos a todos os espectadores. Dos 400 presentes, cerca de 360 foram embora. Seguimos a exibição do filme sem legendas. No final da sessão, havia cerca de uma dúzia de pessoas dentro da sala. Foi então, que P.F.Gastal, critico de cinema do Correio do Povo e Fundador do Clube de Cinema de Porto Alegre me propôs que o Clube de Cinema convidasse aquelas pessoas para atravessarem a rua e irem jantar no tradicional Restaurante Copacabana. Assim fizemos. Composta a mesa, Gastal, sempre inspirado, propôs uma brincadeira em que cada um dos comensais contasse qual era a historia do filme que acabávamos de ver. Como ninguém falava polonês, saíram doze historias diferentes. Todas fascinantes. Foi uma experiência emocionante e inesquecível. Daquelas que somente o cinema pode proporcionar.