O EXTERMINADOR DO FUTURO: 35 Anos Atrás James Cameron e Arnold Schwarzenegger Mudaram o Cinema de Ficção Científica

O ano era 1984. James Cameron, um jovem cineasta que tinha apenas feito um filme Classe B assumido (PIRANHA) recebe a missão de, com poucos recursos (orçamento de 6,4 milhões de dólares), levar às telas o roteiro que ele próprio e a namorada Gale Anne Hurd (uma produtora que tinha sido assistente do lendário Roger Corman) haviam escrito, contando a história de um robô assassino que vem do futuro para matar a mãe do futuro (ainda não nascido) líder da resistência na guerra entre máquinas e humanos.

O que parecia uma loucura, virou um show de criatividade de James Cameron (que depois disto estabeleceu sua carreira como um dos cineastas de maior sucesso da história com o ótimo filme ALIENS e os mega campeões de bilheteria TITANIC e AVATAR), trazendo para o papel principal o multi campeão de fisiculturismo austríaco Arnold Schwarzenegger, na época com uma carreira restrita a filmes B e um grande sucesso, CONAN, O BÁRBARO, de John Millius.

O robô assassino que veio do futuro para assassinar Sarah Connor segue uma trilha de mortes (ele mata todas as Sarah Connors que existiam na Lista Telefônica de Los Angeles) segue sendo até hoje o melhor papel de Schwarzenegger, impecável, impassível e absolutamente aterrorizante.

Linda Hamilton (uma atriz jovem que depois se tornou a Sra. Cameron) criou, sob a batuta de Cameron um personagem icônico que antecipava por décadas a figura feminina da heroína empoderada capaz de fazer seu destino, independentemente dos homens. O elenco ainda tinha vários atores que depois ficaram famosos, como Michael Biehn, Lance Henriksen, Paul Winfield e Bill Paxton.

As frases antológicas do filme, como “I’ll be Back” (“Voltarei”), “Come with me, if you want to live”(“Venha comigo, se você quer viver.”), “He said it is a storm coming on” (“Ele disse que há uma tempestade vindo”) mostraram um cult movie nascendo com uma força que mudou para sempre o cinema de ficção científica.

TERMINATOR teve inúmeras sequências. A única que manteve o nível do capítulo um foi O EXTERMINADOR DO FUTURO 2: O DIA DO JULGAMENTO, também dirigido por James Cameron, em 1991, com um orçamento de 102 milhões de dólares, com Schwarzenegger e Linda Hamilton e acrescendo ao elenco o jovem Edward Furlong, como John Connor, então um adolescente revoltado e marginal, tentando libertar sua mãe presa em um hospício.

Cinco filmes, muitos videogames e uma série de TV (bem ruinzinha) depois, Cameron, Schwarzenegger, Hamilton e Furlong voltam em 1o. de novembro de 2019 com TERMINATOR: DARK FATE. Vamos ver se a magia estará de volta. Acho muito difícil.

The year was 1984. James Cameron, a young filmmaker who had just made an assumed Class B movie (PIRANHA) is tasked with bringing the screenplay wrote by himself and his girlfriend Gale Anne Hurd (a producer who had been assistant to the legendary Roger Corman) had written, telling the story of a future-looking killer robot to kill the mother of the future (unborn) resistance leader in the war between machines and humans. They have a very small budget ($ 6.4 million) for a sci-fi movie.

What seemed crazy, turned into a creativity show by James Cameron (who after that established his career as one of the most successful filmmakers in history with the great movie ALIENS and the mega box office champions TITANIC and AVATAR), bringing for the lead role the Austrian bodybuilding champion Arnold Schwarzenegger, at the time with a career restricted to B films and a smash hit, John MilliusCONAN, THE BARBARIAN.

The killer robot who came from the future to assassinate Sarah Connor follows a death trail (he kills all the Sarah Connors in the Los Angeles Phone Book) remains to this day Schwarzenegger’s best, flawless, impassive and utterly deadline. terrifying.


Linda Hamilton (a young actress who later became Mrs. Cameron) created under Cameron’s hand an iconic character who anticipated for decades the female figure of the empowered heroine capable of making her destiny, regardless of men. The cast still had several actors who later became famous, such as Michael Biehn, Lance Henriksen, Paul Winfield and Bill Paxton.

The anthological phrases of the movie, such as “I’ll be back“, “Come with me, if you want to live“, “He said it is a storm coming on ” showed a cult movie born with a force that changed science fiction cinema forever.

TERMINATOR has had numerous sequences. The only one that kept the level of chapter one was Terminator 2: The Judgment Day, also run by James Cameron in 1991, with a budget of $ 102 million, with Schwarzenegger and Linda Hamilton and adding to the cast the young Edward Furlong as John Connor, then an angry and marginal teenager trying to free his mother trapped in a madhouse.

Five movies, lots of video games and a (very weak) TV series later, Cameron, Schwarzenegger, Hamilton and Furlong come back in November, 1st, 2019 with TERMINATOR: DARK FATE. Let’s see if the magic will be back. I find it very difficult.

One Reply to “O EXTERMINADOR DO FUTURO: 35 Anos Atrás James Cameron e Arnold Schwarzenegger Mudaram o Cinema de Ficção Científica”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s