OS PÁSSAROS: O Mais Inteligente Filme de Terror da História do Cinema. Dos Gritos aos Silêncios.

Dia destes, ao passar pelo Telecine Cult, vi que o filme OS PÁSSAROS, de Alfred Hitchcock estava bem no início. Evidentemente, parei tudo e vi (pela centésima não sei quantas vezes) até o fim.

Apesar do filme ser de 1963, ele continua absolutamente perfeito e com seu incrível suspense intocado e difícil de se aguentar. Hoje que a gente já sabe toda a história (inteligente interpretação do mestre Hitchcock sobre o argumento original de Daphne du Maurier) cada barulho de asa de um pássaro gera aquela sensação de medo.

O elenco que Hitchcock teve não pode ser mais perfeito: Tippi Hendren, simplesmente impecável como Melanie Daniels, a ricaça transgressora que, misturando frieza e sensualidade desafia todos os dogmas da conservadora Bodega Bay e, principalmente da impositiva e ditatorial viúva Lydia Brenner (Jessica Tandy nada menos que perfeita como a matriarca ameaçada). Os duelos verbais, de olhares e de silêncios entre as duas são algo. Alguém já disse que os filmes de Ingmar Bergman tinham os silêncios mais expressivos do cinema. Ser altamente expressivo com um silêncio é para poucos.

Rod Taylor (o advogado “de defesa” Mitch Brenner) nunca foi um grande ator, mas aqui está possivelmente em seu melhor papel no cinema. Dividido entre a fidelidade a sua mãe e a já encaminhada sedução pela irresistível Melanie, ele passa o filme todo entre o abobado inerte e o mocinho corajoso. É espetacular.

Suzanne Pleshette (uma boa atriz cujo ápice foi o dramalhão romântico O CANDELABRO ITALIANO da música AL DI LÁ) faz a professorinha enterrada na cidade cujos desejos nunca foram plenamente atendidos. O romance com Mitch aconteceu mas não durou. O sonho de ir embora nunca foi para a frente. Vive sozinha, amargurada, fumando muito e vendo o que vai acontecer. A menina Veronica Catwright (depois comida do ALIEN de Ridley Scott) é a querida chatinha de plantão que vai correr, gritar e provocar perigos para todos. Está brilhante neste papel.

O filme é nada menos que perfeito. Cenas antológicas se sucedem. Dos Love Birds se inclinando pelas curvas da estrada em alta velocidade, ao ataque inesperado da gaivota a Melanie, o discurso apocalíptico da velha louca do local (criação icônica da atriz Ruth McDevitt), aos pássaros negros se aglomerando no parquinho da escola.

Que Hitchcock era um gênio inexiste qualquer dúvida. OS PÁSSAROS apenas é mais um filme do mestre que mostra com muita força este fato. Poucas pessoas fizeram cinema como Sir Alfred Hitchcock.

Anúncios

One Reply to “OS PÁSSAROS: O Mais Inteligente Filme de Terror da História do Cinema. Dos Gritos aos Silêncios.”

  1. Esse é o único filme de Hitchcock que não tem trilha sonora e nem qualquer música. (Tirando os filmes mudos, é lógico)

    Enviado do meu iPhone

    >

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.