ROBIN WRIGHT: 52 anos, Muito Talento e (Ainda) Pouco Reconhecimento

Robin Wright está fazendo 52 anos.

Olhando sua carreira, vemos como esta atriz, produtora e diretora é extraordinariamente talentosa.

Mas seu cartel tem apenas, como prêmios maiores de interpretação, um Globo de Ouro, pela Claire Underwood, de HOUSE OF CARDS.

É muito pouco…

 

Robin Wright is 52 years old today.

Looking at her career, we can see how this gifted actress, producer and director is extraodinary talented.

But her biography has only one major interpretation award, a GOLDEN GLOBE, for Claire Underwood, in HOUSE OF CARDS.

Is very few…

UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL: Cena Inesquecível

Dia destes, me deparei com UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL(1999), de Roger Michell passando na NET. Parei e vi pela centésima vez, esta comédia romântica admirável.

Julia Roberts linda como sempre  vivendo a atriz anna Scott e Hugh Grant em seu melhor trabalho, como o tímido livreiro inglês William.

O diálogo final, com a entrevista coletiva da atriz no Hotal Savoy é antológica.

 

P.R. Chefe: Próxima pergunta? Sim. Você de camisa rosa.
William: Ah, certo. Senhorita Scott, há alguma circunstância em que você e ele possam ser mais do que apenas amigos?
Anna Scott: Eu esperava que houvesse, mas tenho certeza de que não há.
William: Sim, mas e se …
P.R. Chefe: me desculpe. Apenas a única pergunta.
Anna Scott: Não. Está tudo bem. Você estava dizendo?
William: Eu estava apenas imaginando se essa pessoa …
Jornalista: Thacker. Seu nome é Thacker.
William: Certo. Obrigado. E se o Sr. Thacker perceber que ele tinha sido um idiota e ficar de joelhos e implorar para que reconsiderasse se você … de fato … reconsideraria.
Anna Scott: [pausa] Sim. Eu acredito que sim.
William: Isso é uma notícia maravilhosa. Os leitores de Horse and Hound serão aliviados.

 

 

Last week, I saw for the hundredth time, NOTTING HILL, by Roger Michell. It is a lovely romantic comedy.

Julia Roberts, beautiful as ever lives the actress Anna Scott and Hugh Grant, in his best work, as the shy Brittish bookseller William.

The final dialogue, in the actress interview in the Savoy Hotel is antologic:

P.R. Chief: Next question? Yes. You in the pink shirt.

William: Uh, right. Miss Scott, are there any circumstances that you and he might be more than just friends.

Anna Scott: I hoped that there would be but I’ve been assured that there’s not.

William: Yes, but what if…

P.R. Chief: I’m sorry. Just the one question.

Anna Scott: No. It’s alright. You were saying?

William: I was just wondering what if this person…

Journalist: Thacker. His name is Thacker.

William: Right. Thanks. What if, uh, Mr. Thacker realized that he had been a daft prick and got down on his knees and begged you to reconsider if you would… indeed… reconsider.

Anna Scott: [pause] Yes. I believe I would.

William: That’s wonderful news. The readers of Horse and Hound will be relieved.

MARLON BRANDO: O Maior Ator da História

Hoje estaria fazendo 94 anos MARLON BRANDO, um americano de 1,75m de altura e um talento inigualável em atuar no cinema e no teatro. Morreu aos 80 anos, em 2004.

Ganhou dois Oscars de Melhor Ator, em SINDICATO DE LADRÕES (1954), de Elia Kazan e O PODEROSO CHEFÃO (1972), de Francis Ford Coppola, naquele que eu considero o maior trabalho de um ator na história do cinema, ao dar vida a Dom Vitto Corleone.

A quantidade de trabalhos inesquecíveis é imensa. além destes dois memoráveis, temos UMA RUA CHAMADA PECADO, JULIO CESAR, VIVA ZAPATA, O SELVAGEM, OS DEUSES VENCIDOS, O ÚLTIMO TANGO EM PARIS, DUELO DE GIGANTES e APOCALYPSE NOW.

A arte de representar vai dever sempre muito a Marlon Brando.

 

Today he would be 94 years old: MARLON BRANDO, an American of 1.75m tall and an unparalleled talent in acting in the movies and theater. He died at the age of 80 in 2004.

He won two Oscars for Best Actor in Elia Kazan’s  ON THE WATERFRONT(1954) and Francis Ford Coppola’s THE GODFATHER (1972) in which I consider the greatest work of an actor in the history of cinema, when giving life to Dom Vitto Corleone.

The amount of unforgettable work is immense. besides these two memorable ones, we have a A STREETCAR NAMED  DESIRE, JULIO CESAR, VIVA ZAPATA, THE WILD, THE YOUNG LIONS, THE LAST TANGO IN PARIS, THE MISSOURI BREAKS and APOCALYPSE NOW.

The art of acting will always owe Marlon Brando a lot.

ENCONTRO MARCADO: Comédia Romântica em Nova Iorque Cumpre o que Promete

ENCONTRO MARCADO (5 To 7), do diretor Victor Levin (MAD ABOUT YOU) é uma comédia romântica no modelo que é impossível não gostar e se divertir. Um jovem escritor em início de carreira encontra a esposa de um diplomata francês em Nova Iorque e passa a ter com ela um romance todos os dias entre 5 e 7 horas.

O precocemente falecido ator Anton Yelchin (STAR TREK) vive Brian Bloom o escritor que se apaixona pela linda, inteligente e sensual francesa Arielle, criação da atriz Berenice Marlohe (O ARTISTA).

Nos papéis de coadjuvante vários ótimos atores, como Glen Close, Frank Langella e, destacado como o marido liberal Lambert Wilson.

ENCONTRO MARCADO tem inúmeras cenas e frases memoráveis em seu roteiro, repleto de situações divertidas e muito românticas, como é próprio para os filmes do gênero.

Brian: Algumas das melhores composições de Nova York não serão encontradas em livros, filmes ou peças de teatro, mas nos bancos do Central Park. Leia os bancos e você entende.

Arielle: Talvez haja algumas pessoas com quem você se case e pessoas que você ama.

Arielle: Só para você saber, você é um amante natural. Seu corpo expressa lindamente o que está em seu coração. Brian: Eu só vou escrever isso …

Sam: Tudo o que estou dizendo é que a civilização é organizada por casais, para melhor ou para pior. Freqüentemente pior, eu concedo a você. Mas há uma razão para isso, que é que não é confuso.

Arielle: Sempre olhe a pessoa nos olhos quando tocar no copo de vinho. Brian: Eu sei 7 anos de azar. Arielle: Má sorte? Essa é a versão americana? Brian: sim. Qual é a francesa?  Arielle: 7 anos de sexo ruim. Brian: Meu Deus. Arielle: Eu acho que isso diz tudo que você precisa saber sobre nossas duas culturas. Brian: sim. Seu é muito otimista. Quero dizer, muitas pessoas depois do ano 5 do sexo ruim desistiriam; mas vocês realmente ficam aí.

Brian: Eles dizem que nenhum amor é perfeito. Mas então, eles nunca conheceram você …

ENCONTRO MARCADO cumpre o que promete. Com estrelinha.

 

5 TO 7, by Victor Levin (MAD ABOUT YOU) is a romantic comedy on the model that is impossible not to like and have fun. A young early-career writer meets the wife of a French diplomat in New York and has a romance with her every day between 5 and 7 o’clock.

The late actor Anton Yelchin (STAR ​​TREK) lives Brian Bloom the writer who falls for the beautiful, intelligent and sensual French Arielle, the creation of the actress Berenice Marlohe (THE ARTIST).

In the supporting roles several great actors such as Glen Close, Frank Langella and, prominent as the liberal husband, Lambert Wilson.

5 TO 7 has numerous memorable scenes and phrases in its script, full of fun and very romantic situations, as it is suitable for the movies of the genre.

Brian: Some of the best writing in New York won’t be found in books, or movies, or plays, but on the benches of Central Park. Read the benches, and you understand.

Arielle: Maybe there are some people you marry and people you love.

Arielle: Just so you know, you’re a natural lover. Your body expresses beautifully what’s in your heart.

Brian: I’m just going to write that down…

Sam: All I’m saying is that civilization is organized by couples, for better or worse. Frequently worse, I grant you. But there’s a reason for it, which is that it’s not confusing.

 

Arielle: Always look the person in the eye when you touch glasses.

Brian: I know. 7 years of bad luck.

Arielle: Bad luck? That’s the american version?

Brian: Yes. What’s the french?

Arielle: 7 years of bad sex.

Brian: Good lord.

Arielle: I think that tells you everything you need to know about our two cultures.

Brian: Yes. Yours is very optimistic. I mean a lot of people after, like, year 5 of bad sex, they’d give up; but you guys really hang in there.

 

Brian: They say that no love is perfect. But then, they never met you…

 

ENCOUNTER MARCADO fulfills what it promises. With little star.

 

 

MARSEILLE: Série Francesa Traz Conchavos, Traições e Segredos na Política

MARSEILLE, série de TV francesa da NETFLIX, já com duas temporadas de oito capítulos cada é estrelada pelo super astro francês Gerard Depardieu(hoje com 70 anos), que tem incríveis 233 filmes em seu currículo,um ícone entre os atores daquele País, desde  CORAÇÕES LOUCOS, CIRANO DE BERGERAC, GREEN CARD e tantos outros.

A famosa cidade portuária francesa tem sua política dissecada sem pudor, quando seu Prefeito Robert Taro tem que enfrentar múltiplas oposições quando vai tentar sua reeleição. Inicia pela oposição familiar da esposa vivida pela atriz Géraldine Pailhas (DON JUAN DE MARCO) e a filha jornalista, criação da linda Stéphane Caillard (ATENTADO EM PARIS) e de seu ex-discipulo e Vice Prefeito Benoit Magimel (A PROFESSORA DE PIANO).

É muito interessante ver que lá como cá, a reeleição passa por alianças políticas repletas de segredos, traições, conchavos e crimes. Tudo fica ainda mais complexo quando vão vindo a tona fatos passados da vida dos protagonistas, contra a vontade deles.

Misto de filme político (com grande ênfase nestas alianças) e filme policial, MARSEILLE é uma produção de grandes recursos e extremamente bem filmada e editada, atraindo a atenção ininterrupta do espectador.

Drogas, sexo e violência complementam o quadro.

Vale bastante a pena ver MARSEILLE.

 

MARSEILLE, French TV series of NETFLIX, already with two seasons of eight chapters each, is starred by French superstar Gerard Depardieu (now 70 years old), who has incredible 233 films on his resume, an icon among the actors of that country, since CRAZY HEARTS, BERGERAC CIRANO, GREEN CARD and many others.

The famous French port city has its politics dissected without modesty, when its Mayor Robert Taro has to face multiple oppositions when it will try his re-election. It begins with the family opposition of the wife – the actress Géraldine Pailhas (DON JUAN DE MARCO) – and her daughter  a young journalist, the creation of the beautiful Stéphane Caillard (THE TAKE) and his ex-disciple and Vice Mayor Benoit Magimel (LA PIANISTE).

It is very interesting to see that there as here, the reelection goes through political alliances full of secrets, betrayals and crimes. Everything becomes even more complex when past events of the protagonists’ lives come to light, against their will.

A mixed political film (with great emphasis on these alliances) and thriller, MARSEILLE is a resourceful production and extremely well filmed and edited, attracting the uninterrupted attention of the viewer.

Drugs, sex and violence complement the picture.

Well worth seeing MARSEILLE.

JOGADOR NÚMERO UM Pela Visão do THE NEW YORK TIMES

Trechos da crítica de A.O.Scott de “JOGADOR NÚMERO UM“, de Steven Spielberg, no NEW YORK TIMES:

A parte mais divertida de “Ready Player One” é a sua exuberante e generosa distribuição de jóias pop-culturais. O tributo é pago aos falecidos colegas do Sr. Spielberg,  John Hughes e Stanley Kubrick. As alusões visuais e musicais são ecléticas o suficiente para que ninguém se sinta excluído, e é provável que todos se sintam um pouco perdidos de vez em quando.

Spielberg encarna essa dualidade tão perfeitamente quanto qualquer homem vivo. Ele é o par de Steve Jobs e Bill Gates, e um Gandalf para os elfos e hobbits que fizeram o Google, o Facebook e os outros componentes do nosso oásis atual. Ele tem sido homem-criança e magnata, artista de olhos arregalados e empresário de olhos frios, elogiado por fazer tantas coisas maravilhosas e culpado por arruinar tudo. Sua carreira foi uma esplêndida representação das contradições culturais do capitalismo e, ao mesmo tempo, uma série de meditações profundamente pessoais sobre amor, perda e imaginação. Tudo isso também é verdade no Oasis de Halliday. “Ready Player One” está longe de ser uma obra-prima, mas como dizem os fãs, é um dogma.

 

 

A.O.Scott review of “READY PLAYER ONE”, by Steven Spielberg, in THE NEW YORK TIMES:

The most fun part of “Ready Player One” is its exuberant and generous handing out of pop-cultural goodies. Tribute is paid to Mr. Spielberg’s departed colleagues John Hughes and Stanley Kubrick. The visual and musical allusions are eclectic enough that nobody is likely to feel left out, and everybody is likely to feel a little lost from time to time.

Mr. Spielberg incarnates this duality as perfectly as any man alive. He is the peer of Steve Jobs and Bill Gates, and a Gandalf for the elves and hobbits who made Google, Facebook and the other components of our present-day Oasis. He has been man-child and mogul, wide-eyed artist and cold-eyed businessman, praised for making so many wonderful things and blamed for ruining everything. His career has been a splendid enactment of the cultural contradictions of capitalism, and at the same time a series of deeply personal meditations on love, loss and imagination. All of that is also true of Halliday’s Oasis. “Ready Player One” is far from a masterpiece, but as the fanboys say, it’s canon.

O MECANISMO: Série de Qualidade Cria Polêmica Política

É muito difícil falar sobre a Série O MECANISMO, que José Padilha fez para a NETFLIX sem abordar seus aspectos políticos, suas liberdades criativas, imprecisões fáticas e históricas e as paixões e ódios que certamente vai despertar ao abordar a maior operação de combate à corrupção da história do Brasil.

Pois este é o meu propósito. Olhar O MECANISMO apenas como um série política e policial lançada com grande impacto no mercado de streaming. Como se a história se passasse em um país escandinavo.

Não há como negar que cinematograficamente falando, José Padilha é um craque. Não é à toa que seus dois filmes TROPA DE ELITE estão entre as obras mais vistas do cinema brasileiro e o impacto e as qualidades delas são inegáveis. Acho que, tirante os ódios políticos despertados por O MECANISMO, aqui dá um passo a frente em sua carreira.

Em O MECANISMO, José Padilha retoma muitas das estratégias narrativas vitoriosas nos TROPA DE ELITE, como a narrativa em off (aqui repartindo a tarefa por mais de um personagem por um motivo que se torna óbvio no meio dos episódios), o ritmo acelerado da montagem e as cenas com a câmera na mão, como se fosse uma arma prestes a ser disparada, as reviravoltas do roteiro, enfim, privilegiando o caráter de filme policial da trama.

Selton Mello, Caroline Abras e Enrique Dias estão inegavelmente ótimos nos papeis centrais.

Achei muito divertido o quebra-cabeça de nomes de pessoas e empresas “disfarçado”. Foi um exercício de criatividade e alguma ironia. Na minha opinião, funcionou bastante bem.

Acho que a série tem várias opções corajosas, o que não pode deixar de ser visto como mais um mérito. Em algum momento da narrativa procura ver os defeitos e limitações de todos os personagens e instituições. Talvez tenha sido feito demasiadamente dentro do “Olho do furacão” da Operação Lava a Jato, para ser devidamente examinado e apreciado.

Convicções políticas e ideológicas a parte, O MECANISMO é entretenimento de alta qualidade, melhor que seu antecessor POLÍCIA FEDERAL, que já tinha bem mais méritos que defeitos.

 

It is very difficult to talk about the series THE MECHANISM, which José Padilha did for NETFLIX without addressing its political aspects, its creative freedoms, historical and factual inaccuracies and the passions and hatreds that it will certainly arouse in addressing the largest anti-corruption operation of history of Brazil.

For this is my purpose. The MECHANISM look just like a political and police series launched with great impact on the streaming market. As if the story were happening in a Scandinavian country.

There is no denying that cinematically speaking, José Padilha is a star. It is no wonder that his two films ELITE SQUAD are among the most viewed works of Brazilian cinema and the impact and qualities of them are undeniable. I think that, in spite of the political hatreds aroused by THE MECHANISM, here he takes a step forward in his career.

In THE MECHANISM, José Padilha takes up many of the winning narrative strategies in ELITE SQ, such as the narrative off (here dividing the task by more than one character for a reason that becomes obvious in the middle of the episodes), the fast pace of the montage and the scenes with the camera in hand, as if it were a gun about to be fired, the twists and turns of the script, in short, privileging the character of the police film of the plot.

Selton Mello, Caroline Abras and Enrique Dias are undeniably great in the central roles.

I found the jigsaw puzzle of people’s names and companies “disguised” very entertaining. It was an exercise in creativity and some irony. In my opinion, it worked quite well.

I think the series has several bold options, which can not but be seen as more merit. At some point in the narrative seeks to see the shortcomings and limitations of all characters and institutions. Perhaps it has been done too much inside the “Lava Jato” Operation, to be properly examined and appreciated.

Political and ideological beliefs aside, THE MECHANISM is high-quality entertainment, better than its predecessor FEDERAL POLICE, which already had far more merits than defects.

 

ROMAN J. ISRAEL, ESQUIRE: Filme Duro e Sem Concessões Sobre Ética e Advocacia

ROMAN J. ISRAEL, ESQUIRE, de Dan Gilroy, o diretor de O ABUTRE e roteirista do desigual KONG: A ILHA DA CAVEIRA é um drama legal sobre um advogado e os dilemas éticos da profissão.

Denzel Washington (sempre um prazer em ver) vive um advogado bem mediano que tem uma vida completamente sem brilho e/ou felicidade. Quando o fundador do escritório em que trabalha falece, as soluções de continuidade dadas pela herdeira e seu novo administrador o colocam em grande desconforto.

Neste momento, o até então corretíssimo advogado resolve dar uma pequena flexibilizada nas regras éticas e atropela alguns conceitos básicos da profissão.

Daí em diante, os fatos vão se sucedendo contra as ideias dele e sua situação vai se complicando a cada dia. O que fazer é a dúvida que o filme coloca em discussão.

No elenco Collin Farrell – irregular como sempre – Carmen Ejogo (SELMA) e Amanda Warren (TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME).

Paradoxalmente, a melhor e a pior coisa de ROMAN J. ISRAEL, ESQUIRE é sua proposta de saída para o personagem central, desencantada e desiludida como a vida dele.

Um filme difícil de ver, mas com méritos.

 

ROMAN J. ISRAEL, ESQUIRE, by Dan Gilroy, director of NIGHTCRAWLER and screenwriter of the unequal KONG: THE SKULL ISLAND is a legal drama about a lawyer and the ethical dilemmas of the profession.

Denzel Washington (always a pleasure to see) lives a very average lawyer who has a life completely  unhappy. When the founder of the office where he works dies, continuity solutions provided by the heiress and his new administrator put him in great discomfort.

At this time, the very correct lawyer decides to give a little flexibility in the ethical rules and runs over some basic concepts of the profession.

From then on, the events are happening against his ideas and his situation is becoming more complicated every day. What to do is the doubt that the film puts in discussion.

In the cast Collin Farrell – irregular as always – Carmen Ejogo (SELMA) and Amanda Warren (THREE BILLBOARDS OUTSIDE EBBING, MISSOURI).

Paradoxically, the best and the worst thing about ROMAN J. ISRAEL, ESQUIRE is his proposed departure for the central character, disenchanted and disillusioned as his life.

A film hard to see, but with merits.

INSTINTO: Nova Série Policial da CBS Traz Dupla Muito Interessante e Diferente

A característica quase universal dos filmes e séries policiais são as duplas de protagonistas cujo relacionamento dá molho às histórias de crimes narradas. Vão desde relacionamentos amorosos, tensões eróticas, rivalidades, amizades profundas até incompatibilidade absoluta.

INSTINTO, série recém lançada pela CBS para o horário nobre de domingo, tem como personagens centrais um ex-agente da CIA, professor e PHD em psicologia, escritor famoso e gay assumido convivendo com uma obstinada tenente da Polícia de Nova Iorque ainda curtindo o luto da perda de seu parceiro e marido. A Série é baseada no livro MURDER GAMES, de James Patterson, um dos melhores escritores de ficção policial da atualidade, criador do personagem ALEX CROSS.

Alan Cumming, o excelente ator escocês que viveu o Nightcrawler em X-MEN e foi o consultor Eli Gold em THE GOOD WIFE faz com o brilhantismo de sempre o personagem principal e alma da série.

A atriz sérvia Bojana Novakovic faz a Detetive Lizzie Needhan, misturando simpatia e determinação.

O relacionamento entre estes dois seres tão diferentes promete render muito.

O primeiro episódio foi muito bom de assistir e deixou uma vontade de ver mais.

 

The almost universal characteristic of the films and police series are the protagonists’ doubles whose relationship gives substance to the stories of crimes. They range from love relationships, erotic tensions, rivalries, deep friendships to absolute incompatibility.

INSTINCT, a series recently released by CBS for Sunday prime time, features as central characters a former CIA agent, professor and PHD in psychology, famous writer and gay man co-living with a stubborn New York Police lieutenant still mourning the loss of her partner and husband. The series is based on the book MURDER GAMES, by James Patterson, one of the best writers of fiction, creator of the character ALEX CROSS.

Alan Cumming, the excellent Scottish actor who lived the Nightcrawler in X-MEN and was the consultant Eli Gold in THE GOOD WIFE makes with the brilliance of always the main character and soul of the series.

Serbian actress Bojana Novakovic plays Detective Lizzie Needhan, blending sympathy and determination.

The relationship between these two very different beings promises to yield a lot.

The first episode was very good to watch and left a will to see more.

ANIQUILAÇÃO: Filme Confuso Oculta o Talento de Natalie Portman

Por que um filme estrelado por Natalie Portman não chega aos cinemas, sendo lançado direto na NETFLIX?

ANIQUILAÇÃO é uma salada mal-feita de vários filmes, pior que todos os que inspiraram o diretor inglês Alex Garland (do excelente EX MACHINA: INSTINTO ARTIFICIAL) a trazer para as telas o livro de Jeff VanderMeer.

Um meteoro cai em um farol da costa americana e começa a gerar mutações em plantas e animais. A região logo é isolada pelo Governo Americano que envia várias expedições de cientistas e militares para entender o fenômeno. Uma delas é comandada por Kane (o ator guatemalteco Oscar Isaac, o piloto Poe Dameron da nova série de filmes STAR WARS), marido de uma cientista e professora universitária.

Quando ele reaparece, um ano depois, em estado quase catatônico e com a saúde precária, ela se motiva a liderar outra excursão a região afetada.

O filme mistura O DIA EM QUE A TERRA PAROU, BLADE RUNNER, ALIEN, VIAGEM AO CENTRO DA TERRA e por aí vai.

Ah, ainda tem um drama do casamento dos protagonistas, em crise pela apatia dele na comunicação familiar.

É muita coisa para um filme só, ainda mais tratada superficialmente como neste ANIQUILAÇÃO.

Para piorar, o departamento de feitos especiais resolveu enxertar um crocodilo gigante e um urso mutante assassino que surgem do nada para aterrorizar os humanos.

Nesta salada mal-feita, perderam todos: Natalie Portman que não pode exibir seu imenso talento e nós espectadores que vimos mais um filme ruim.

Why does a film starring Natalie Portman not reach theaters, being released directly on NETFLIX?

 

ANIHILATION is a badly made salad of several films, worse than all that inspired the English director Alex Garland (of the excellent EX MACHINA) to bring to the screens the book of Jeff VanderMeer.

A meteor falls into a lighthouse on the American coast and begins to generate mutations in plants and animals. The region is soon isolated by the American Government, which sends several expeditions of scientists and military to understand the phenomenon. One of them is directed by Kane (Guatemalan actor Oscar Isaac, pilot Poe Dameron of the new series STAR WARS), husband of a scientist and university professor.

When he reappears, a year later, in an almost catatonic state and in poor health, she is motivated to lead another excursion to the affected region.

The film mixes THE DAY THE EARTH STOOD STILL, BLADE RUNNER, ALIEN, JOURNEY TO THE CENTER OF THE EARTH and so on.

Ah, there’s still a wedding drama of the protagonists, in crisis because of his apathy in family communication.

It is a lot for a single film, even more superficially treated as in this ANIHILATION.

To make matters worse, the special effects department decided to put a giant crocodile and a mutant killer bear that come out of nowhere to terrorize humans in the film.

In this ill-made salad, everyone had all lost: Natalie Portman who can not display her immense talent and we spectators that saw another bad movie.