6 DAYS: Filme Inglês da NETFLIX conta a Invasão da Embaixada Iraniana em Londres com Ares de Documentário

6 DAYS é uma co-produção da Inglaterra e Nova Zelândia sobre um episódio real ocorrido em abril de 1980, quando terroristas árabes fizeram 26 reféns na Embaixada do Irã, em Princess Gate, Londres. O SAS foi acionado e, depois de muita negociação, invadiu o prédio.

A cobertura ao vivo dos fatos, via BBC marcou o jornalismo britânico.

O elenco do filme tem peso pesados como Marc Strong (SHERLOCK HOLMES, de Guy Ritchie), Jamie Bell (BILLY ELLIOT), Martin Shaw (INSPECTOR GEORGE GENTLY) e a australiana Abbie Cornish (SEM LIMITES e SUCKER PUNCH).

 O filme até procura escapar dos estereótipos dos mocinhos e bandidos, mas no final se rende ao bom e velho tiroteio.

Acho que 6 DAYS vale mais como registro histórico do episódio que como reflexão política sobre causas e consequências dos fatos ali ocorridos pela superficialidade de seu roteiro.

 

6 DAYS is a co-production from England and New Zealand of an actual episode in April, 1980, when Arab terrorists made 26 hostages at the Iranian Embassy in Princess Gate, London. The SAS was called and, after much negotiation, invaded the building.

Live coverage of the events via the BBC marked British journalism.

The film’s heavyweight cast includes  Marc Strong (Guy Ritchie’s SHERLOCK HOLMES), Jamie Bell (BILLY ELLIOT), Martin Shaw (INSPECTOR GEORGE GENTLY) and Australian Abbie Cornish (LIMITLESS and SUCKER PUNCH).

The film even seeks to escape the stereotypes of good guys and bad guys, but in the end surrenders to the good old gunfight.

I think 6 DAYS is worth more as a historical record of the episode than as a political reflection on the causes and consequences of the events that occurred there because of the superficiality of its script.

FEARLESS: Excepcional Série Inglesa da Amazon Prime Traz a Luta Pela Justiça e Pela Humanidade

A série de 6 capítulos FEARLESS (SEM MEDO) da ITV Inglesa, em exibição na Amazon Prime, inicia extraordinária pelo seu slogan publicitário: “Read Between Lies.” (Leia entra as Mentiras).

Uma advogada veterana da área dos direitos humanos pega duas causas simultâneas: uma esposa que jura que seu marido encarcerado pelo assassinato de uma jovem 14 anos atrás é inocente e uma mulhar árabe que está para ser deportada da Inglaterra com seu bebê porque seria namorada de um suposto terrorista do ISIS.

Emma Banville estudou direito em Cambridge e foi ativista desde a faculdade, daquelas de participar de protestos, marchas e passeatas, tendo portanto, ficha longa com as autoridades policias britânicas. Hoje, mais experiente, está com o pai à morte, em um hospital londrino, mora com o namorado, pensa em adotar o filho que não teve, mas não hesita em por tudo a perder por seus clientes, em quem acredita cegamente. Ela é vivida, de uma forma incrível pela multipremiada atriz inglesa Helen McCrory, que trabalhou nos filmes de Harry Potter, em A RAINHA, ao lado de Helen Mirren, em SKYFALL, com Daniel Craig e em PEAKY BLINDERS. Aqui, faz o papel de sua vida, apaixonada, lutadora, revoltada, guerreira, disposta até a dar sua vida pela causa. Personagem de antologia.

No elenco maravilhoso, estão Sam Swainsbury (THOR), Jonathan Forbes, Robin Weigert (THE SESSIONS),  a incrível Wunmi Mosaku(PHILOMENA) e o sempre excelente Michael Gambom (ASSASSINATO EM GOSFORD PARK).

Alguns poucos filmes conseguem retratar efetivamente a luta do cidadão para fazer valer seus direitos básicos quando o Estado, por qualquer razão, prefere atropelar o que a Constituição assegura. A máquina estatal e suas ramificações tem o poder de seduzir e usar muitas pessoas nesta tarefa. Poucos têm a coragem de lutar pelo que é certo.

FEARLESS é um exemplar maravilhoso de cinema da melhor qualidade, aliando uma história policial excelente com a emoção de um drama onde se luta para ver o lado humano vencer a mentira e não deixar impunes os que detém o poder.

Recomendo FEARLESS como imperdível!

 

The 6-episode FEARLESS series by ITV, at Amazon Prime, kicks off wonderfully with its advertising slogan “Read Between Lies.”

A veteran human rights lawyer takes two simultaneous cases: a wife who swears that her husband jailed for the murder of a young woman 14 years ago is innocent and an Arab woman is about to be deported from England with her baby because she would be the girlfriend of one suspected ISIS terrorist.

Emma Banville studied law at Cambridge and was an activist since college, from attending protests and marches, and therefore had a long record with British police authorities. Today, more experienced, with his father to death in a London hospital, she lives with his boyfriend, thinks about adopting a child, but does not hesitate to lose everything for her clients, whom she believes blindly. She is lived in an incredible way by the multi-award-winning English actress Helen McCrory, who worked on the Harry Potter films, in A QUEEN, opposite Helen Mirren in SKYFALL with Daniel Craig and PEAKY BLINDERS. Here, she plays the role of her life, passionate, fighter, revolted, warrior, willing to give her life for the cause. Character of anthology.

Sam Swainsbury (THOR), Jonathan Forbes, Robin Weigert (THE SESSIONS), the incredible Wunmi Mosaku (PHILOMENA) and the ever-excellent Michael Gambom (GOSFORD PARK).

A few films can effectively portray the citizen’s struggle to assert their basic rights when the state, for whatever reason, prefers to run over what the Constitution ensures. The state machine and its ramifications have the power to seduce and use many people in this task. Few have the courage to fight for what is right.

FEARLESS is a marvelous example of top-quality film, combining an excellent police story with the thrill of a drama where one struggles to see the human side win the lie and not leave unpunished those in power.

I recommend FEARLESS as a must see!

 

 

CRIMES OCULTOS: Serial Killer Soviético em Filme com Ideias Obscuras e Elenco Excepcional Mal Aproveitado

CRIMES OCULTOS, do sueco Daniel Espinosa é um filme que reuniu um elenco extraordinário para contar a história de um serial killer na União Soviética durante a Era Stalin.

Tom Hardy(MAD MAX), Joel Kinnamann(THE KILLING), Noomi Rapace (OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES), Jason Clarke(O PLANETA DOS MACACOS), Paddy Considine (A LUTA PELA ESPERANÇA), o sempre extraordinário Gary Oldman (BRAM STOKER DRACULA) e Vincent Cassel (O CISNE NEGRO) compõem um cast incrível reunido pelo diretor.

Com todo este talento à disposição, na minha opinião, faltou muita coisa para o filme atingir seus objetivos. Especialmente por ter optado, desde o início em mostrar quem era o serial killer, retirando qualquer mistério sobre sua identidade e os motivos de seus crimes, o filme deixou pouco como suspense para o final.

Ainda achei mais duvidoso foi uma certa relação entre as ideologias vigentes na Era Stalin e os crimes cometidos, ou ao menos a dificuldade em chegar ao criminoso, como se houvesse uma proteção legal de silêncio obrigatório sobre os assassinatos. Ideia bastante ruim.

CRIMES OCULTOS, para mim poderia tersido um ótimo filme e não foi.

 

CHILD 44 by the Swedish Filmmaker Daniel Espinosa is a film that brought together an extraordinary cast to tell the story of a serial killer in the Soviet Union during the Stalin era.

Tom Hardy (MAD MAX), Joel Kinnamann (THE KILLING), Noomi Rapace, Jason Clarke (THE PLANETS OF THE APES), Paddy Considine (CINDERELLA MAN), the ever-extraordinary Gary Oldman (BRAM STOKER DRACULA) and Vincent Cassel (THE BLACK SWAN) make up an incredible cast reunited by the director.

With all this talent at his disposal, in my opinion, the film did not reached its goals. Especially for having chosen from the outset to show who the serial killer was, removing any mystery about his identity and the motives of his crimes, the film left little suspense to the end.

I still find it more dubious was a certain relationship between the ideologies in the Stalin Era and the crimes committed, or at least the difficulty in reaching the criminal, as if there was a legal protection of mandatory silence on the murders. Pretty bad idea.

HIDDEN CRIMES, for me it could have been a great movie and it was not.

A Volta do Dr. Chance: Sem a Loira Fatal e Muito Mais Dark

A segunda temporada da série do HULU, CHANCE, estrelado pelo excelente Hugh Laurie chegou com dez capítulos, um a cada quarta-feira.

Pelo que se viu até agora, o Neuropsiquiatra cheio de problemas foi trabalhar em uma Unidade de Recuperação de Vítimas de Crimes Violentos, em São Francisco. Sua filha adolescente segue cheia de questionamentos sobre bulling e os dramas do dia a dia, a ex-esposa somente aparece para cobrar coisas dele, o amigo maluco D segue fiel como um cão, mas cada vez mais violento e o dono do antiquário mais fake de Frisco continua tentando harmonizar aqueles a sua volta.

A história central desta vez, sem a linda loira fatal da primeira temporada, segue os apssos de um milionário da informática, com compulsão por cometer crimes bárbaros e a tentativa de Chance e seus amigos, de pegá-lo em flagrante.

Na minha opinião, o melhor de CHANCE segue sendo o contraste que a série faz, a cada momento, entre a São Francisco linda e cheia de vistas e locais deslumbrantes, com o submundo da cidade, onde a violência crescente agride os indivíduos a cada momento.

Excelente reflexão sobre todas as grande cidades do mundo.

 

The second season of the HULU series, CHANCE, starring the excellent Hugh Laurie came with ten chapters, one each Wednesday.

From what has been seen so far, the troubled Neuropsychiatrist has been working at a Violent Crime Victim Recovery Unit in San Francisco. Her adolescent daughter is still filled with bulling questions and day-to-day dramas, the ex-wife only appears to collect things from him, the crazy friend D follows faithful as a dog, but increasingly violent and the owner of the most fake antiquarian of Frisco continues to try to harmonize those around him.

The central story this time around, without the gorgeous blonde woman of the first season, follows the aftermath of a computer millionaire, with a compulsion to commit barbaric crimes, and Chance’s and his friends’ attempt to catch him in the act.

In my opinion, the best of CHANCE remains the contrast that the series makes, every moment, between San Francisco’s beautiful and full of breathtaking sights and places, with the underworld of the city, where growing violence strikes individuals at every moment .

Excellent reflection on all the major cities in the world.

FRANK SERPICO: Documentário Sobre o Policial Real é Fascinante em Face do Filme com Al Pacino

O documentarista americano Antonino D’Ambrosio traz um filme de longa metragem documentário sobre o lendário policial aposentado de Nova Iorque Frank Serpico. Disponível no Itunes.

Serpico ficou célebre nos anos 70, depois de fazer uma campanha pública contra a corrupção na Polícia de Nova Iorque. Virou personagem de um filme espetacular de Sidney Lumet, estrelado por Al Pacino, indicado para 5 Oscars.

O filme de LUmet e o trabalho de Al Pacino como Serpico são tão perfeito, que ver o personagem real em um documentário é ainda mais fascinante pelas inevitáveis comparações com o foi visto na tela na ficção.

Tanto a narrativa de Serpico sobre o atentado a sua vida, como suas ideias sobre corrupcao policial deixam o espectador fixado na tela, muito em face do trabalho da dupla Lumet/Pacino.

A conclusão principal, ao final do documentário, é que o personagem de Serpico ficou imortal. Graças a Al Pacino.

 

American documentarist Antonino D’Ambrosio brings a feature-length documentary film about legendary retired New York police officer Frank Serpico.

Serpico became famous in the 1970s after campaigning against corruption in the New York City Police. He became a character in a spectacular Sidney Lumet film, starring Al Pacino, nominated for 5 Oscars.

The film of Lumet and the work of Al Pacino as Serpico are so perfect, that seeing the real character in a documentary is even more fascinating by the inevitable comparisons with what was seen onscreen in fiction.

Both Serpico’s narrative about the attack on his life, and his ideas about police corruption leave the viewer fixed on the screen, much in the face of the work of the duo Lumet / Pacino.

The main conclusion, at the end of the documentary, is that Serpico’s character became immortal. Thanks to Al Pacino.

ALIAS GRACE: Nova Série Baseada em Margaret Atwood Acerta Outra Vez

Os livros da escritora canadense Margaret Atwood estão no centro da atenção desde o extraordinário sucesso da série multipremiada THE HANDMADE’S TALE (O CONTO DA AIA). Por isto, não é surpresa que a grande atração da NETFLIX neste mês seja outra série baseada (e produzida) por Atwood, o igualmente polêmico ALIAS GRACE.

Uma criada vinda da Irlanda é condenada à morte (pena depois comutada para prisão perpétua) por ter assassinado (junto com outro empregado) os dois patrões, em uma fazenda, no ano de 1843. Depois de muitos anos na prisão, um médico psiquiatra é designado pela Corte para examiná-la e dar um parecer sobre a possibilidade de perdão.

Os temas preferidos de Atwood, a extrema religiosidade, os sonhos metafóricos, as consequências da repressão, os abusos morais e físicos da infância e sua desastrosas consequências, a tentativa de subjugar uma parcela significativa da população, estão todos de volta em mais esta história relata de simbologias.

As longas entrevistas que o psiquiatra faz com a prisioneira e a narrativa da vida dela passo a passo encaixam como uma luva no formato de seriado, criando uma exata sintonia entre história e espectador.

No elenco, o protagonismo é todo das mulheres. A canadense Sarah Gadon vive com extremo talento a personagem central, alternando cenas líricas e momentos de explosão, seja de violência e/ou de loucura. Anna Paquin (TRUE BLOOD) vive a governanta nancy Montgomery e a linda Rebecca Liddiard é a onipresente amiga de Grace Mary Whitney, de papel essencial na trama. No lado masculino, destaque para Edward Holcroft (KINGSMAN), como o Dr. Jordan, uma aparição surpreendente e excelente do cineasta David Cronemberg (A MOSCA), como o Reverendo Verringer e o ótimo Zachari Levi, como Jeremiah.

ALIAS GRACE marca sua presença como uma série polêmica, forte, reflexiva e provocadora sobre temas tão antigos quanto presentes no dia de hoje.

 

The books by Canadian writer Margaret Atwood have been at the center of attention since the extraordinary success of the multi-award-winning series THE HANDMADE’S TALE. So it’s no surprise that NETFLIX’s biggest draw this month is another series based (and produced) by Atwood, the equally controversial ALIAS GRACE.

A servant from Ireland is sentenced to death (a sentence later commuted to life imprisonment) for having murdered (along with another employee) the two employers on a farm in the year 1843. After many years in prison, a psychiatrist is appointed by the Court to examine her and give an opinion on the possibility of pardon.

Atwood’s favorite themes, extreme religiosity, metaphorical dreams, the consequences of repression, the moral and physical abuses of childhood and their disastrous consequences, the attempt to subdue a significant portion of the population, are all back in more this story full of symbologies.

The psychiatrist’s long interviews with the prisoner and the narrative of her life step by step fit like a glove in the format of a series, creating an exact harmony between story and viewer.

In the cast, the protagonism is all women. The Canadian Sarah Gadon lives with extreme talent the central character, alternating lyrical scenes and moments of explosion, whether of violence and / or madness. Anna Paquin (TRUE BLOOD) lives the housekeeper Nancy Montgomery and the beautiful Rebecca Liddiard is the omnipresent friend of Grace, Mary Whitney, of essential carachter in the plot. On the male side, stand out Edward Holcroft (KINGSMAN) as Dr. Jordan, a surprising and excellent appearance of filmmaker David Cronemberg (THE FLY), as the Reverend Verringer and the great Zachari Levi, as Jeremiah.

ALIAS GRACE marks its presence as a controversial, strong, reflective and provocative series on themes as old as present today.

 

MARIA’S EYES: Música de Keith Carradine Derreteu o Coração de Nastassja Kinski

 

Em 1984, o cineasta russo Andrei Konchalowsky fez o maravilhoso filme OS AMANTES DE MARIA (MARIA LOVERS), com Nastassja Kinski (no auge de sua beleza), John Savage e Keith Carradine. Este último canta no filme a música MARIA’S EYES.

A letra da canção é a seguinte:

Nunca senti meu coração até eu olhar em seus olhos
Eu nunca ousei sonhar até eu olhar em seus olhos
Nunca pensei que as alegrias do amor pudessem tocar um cigano como eu
Uma vez sozinho e tão livre, agora meu coração deseja por você

Nunca senti o sol até que eu olhei nos seus olhos
Eu pensei que a corrida foi conquistada e então eu olhei em seus olhos
Nunca precisei de alguém para cantar as músicas que canto
Agora, as palavras só tocam se eu as cantar para você

Meu amor está lá em seus olhos
Minha alma está nua em seus olhos
Se eu pudesse olhar em seus olhos cada vez mais
– é o sonho que eu vivo –
Você pode abrir a porta

 

In 1984, the Russian filmmaker Andrei Konchalowsky made the wonderful MARIA’S LOVERS, with Nastassja Kinski (at the top of her beauty), John savage and Keith Carradine. Carradine’s carachter sings the music MARIA’S EYES:

I never felt my heart until I looked into your eyes
I never dared to dream until I looked into your eyes
I never thought the joys of love could touch a gypsy like me
Once alone and so free, now my heart longs for you

I never felt the sun until I looked into your eyes
I thought the race was won and then I looked into your eyes
I never needed anyone to sing the songs that I sing
Now the words only ring if I sing them to you

My love is there in your eyes
My soul is bare in your eyes
If I could gaze in your eyes ever more
-it’s the dream I live for-
You can open the door

ABSENTIA, a Série Policial Mais Aguardada do Ano Finalmente Chegou

ABSENTIA narra a história de uma agente do FBI que é sequestrada por um serial killer e fica desaparecida por seis anos, mesmo quando ele é preso e c condenado. O marido dela, também agente do FBI, já casado de novo, uma noite recebe uma suposta ligação telefonica do condenado dizendo que ela está viva e dando o local.

A narrativa fica ainda mais complicada quando o DNA dela aparece no cadáver de um traficante de mulheres que também estava envovlido no caso e que foi assassinado recentemente.

Seria a agente Emily Byrne uma fraude? Como ela vai provar sua inocência e readquirir seu prestígio profissional e o amor de seu filho e ex-marido? Quem está por trás desta trama complexa?

A atriz canadense Stana Katic, enorme sucesso na série CASTLE (que teve oito temporadas) estrela este suspense em dez capítulos, que vai ser exibido no Canal AXN, mas por enquanto está disponível no CRACKLE, serviço da Sony, concorrente do Netflix, possível de ser acessado no NOW ou diretamente em Crackle.com.br

O ex-marido é Patrick Heusinger (ótimo ator de FRANCIS HA). Ao lado deles, a lorinha inglesa de DOWNTON ABBEY Cara Theobold e Angelo Bonani, da série SHOTS FIRED.

Os dois primeiros episódios misturam um clima de O SILÊNCIO DOS INOCENTES (o pai de todos os filmes de serial killers) com um pouco de SEVEN (outra obra prima do gênero) e uns toques de HOMELAND. O ponto de partida foi extrememente provocador. A cena do tanque d’água é espetacular. Vamos ver onde vai dar este ABSENTIA.

 

ABSENTIA tells the story of an FBI agent that was kidnapped by a serial killer and missing for six years, even when he is arrested and convicted. Her husband, also an FBI agent, has been remarried. One night he receives a alleged phone call from the convict, saying she’s alive and giving the place.

The narrative gets even more complicated when her DNA appears on the corpse of a female trafficker who was also involved in the case and was recently murdered.

Was Emily Byrne a fraud? How will she prove her innocence and regain her professional prestige and the love of her son and ex-husband? Who is behind this complex plot?

Canadian actress Stana Katic, a huge success in the CASTLE series (which has had eight seasons) stars this ten-chapter thriller, which will be aired on AXN Channel, but is currently available on the CRACKLE, a service of Sony, a competitor of Netflix, be accessed in NOW or directly at Crackle.com.br

The ex-husband is Patrick Heusinger (great actor of FRANCIS HA). Alongside them, DOWNTON ABBEY’s English blonde Cara Theobold and Angelo Bonani, from the SHOTS FIRED series.

The first two episodes mix a mood of THE SILENT OF THE LAMBS (the father of all serial killers) with a bit of SEVEN (another masterpiece of the genre) and a touch of HOMELAND. The starting point was extremely provocative. The water tank scene is spectacular. Let’s see where this ABSENTIA will go.

 

Alguém se Lembra de O DETETIVE FANTASMA?

Há muitos anos atrás havia uma série de tv inglesa intitulada RANDAL E HOPKIRK (DECEASED) que contava a história de uma dupla de detetives especializados em casos de infidelidade conjugal. Quando um deles morre, em um atropelamento em que o motorista foge, ele fica vagando pela Terra. Aqui fez sucesso muitos anos (embora tenha tido 3 temporadas), com o título de O DETETIVE FANTASMA.

Assim ele e o ex-sócio (que é o único capaz de vê-lo) seguem suas aventuras (e desventuras), com muitas cenas de ciúmes, com relação à bela viúva, pronta a um novo relacionamento.

O ator inglês Mike Pratt (de REPULSA AO SEXO, de Roman Polanski), a atriz Anette Andre (THE PERSUADERS) e o igualmente britânico Kenneth Cope faziam o trio de protagonistas.

Como não poderia deixar de ser, O DETETIVE FANTASMA era muito mais cômico que policial, mas ainda lembro que me divertia muito.

 

Many years ago there was an English TV series entitled RANDAL AND HOPKIRK (DECEASED) that told the story of a pair of detectives specialized in cases of marital infidelity. When one of them dies, in a car accident where the driver runs away, he wanders the Earth. Here the serie was successful many years (although it has had 3 seasons), with the title of THE GHOST DETECTIVE.

So he and the former partner (who is the only one able to see him) follow his adventures (and misadventures), with many scenes of jealousy, regarding the beautiful widow, ready to a new relationship.

British actor Mike Pratt (from REPULSION by Roman Polanski), actress Anette Andre (THE PERSUADERS) and Kenneth Cope made the trio of protagonists.

How could it not be, RANDAL AND HOPKIRK (DECEASED) was a lot more comical than a cop show, but I still remember having a lot of fun.

A PANTERA COR-DE-ROSA (1963): A Cena do Depoimento de Clouseau é uma Obra-Prima da Comédia e da Advocacia

No filme A PANTERA COR DE ROSA (1963), de Blake Edwards, entre várias grandes cenas, o depoimento do inspetor Clouseau é uma obra-prima:

Clouseau é interrogado pelo advogado de Sir Charles:

“Inspetor Clouseau, você testemunhou sob juramento certos fatos pertinentes sobre este caso. Seu testemunho sozinho tem sido a principal influência sobre o arguido.
Além do próprio Phantom, você é a principal autoridade no Phantom “.
“Fiz do Fantasma, meu trabalho da vida”.
“Você testemunhou que o Phantom foi um convidado nas festas de Miss Angela Dunning”.
“Sim.”
“Você testemunhou que foi durante ou logo depois que certos bens de Miss Dunning foram roubados”.
“Sim.”
“Quantas vezes isso aconteceu?”
“16.”
“16 festas, 16 roubos?”
“Sim.”
“E Sir Charles esteve em todas as 16 festas?”
“Todos elas.”
“E de quantas festas você participou?”
“Todos elas.”
“Ah sim? Muito interessante.”
“Você participou da primeira festa?”
“Sim.”
“As jóias foram roubadas durante ou depois da festa?”
“Depois.”
“Então, então, você sabia quando elas foram roubadas”.
“Sim.”
“Como você sabia?”
“Porque esse é o modus operandi do Phantom. Ele sempre trabalha assim “.
“Eu vejo.”
“Foram as mesmas pessoas sempre presentes em cada festa?”
“Não. A lista de convidados variou. ”
“Fora de Sir Charles, alguém estava sempre presente em cada uma dessas festas?”
“Uh … não, não, não”.
“Somente Sir Charles estava presente em cada festa quando houve um assalto?”
“Sim sim.”
“Percebo.”
“E você?”
“Eu?”
“Sim você.”
“E quanto a mim?”
“Você estava lá.”
“Sim.”
“Então, Sir Charles não era o único sempre presente em cada festa”.
“O que você está sugerindo?”
“Ainda não estou sugerindo nada …”
“Agora, o inspetor Clouseau?”
“Hm?”
“Quanto dinheiro você ganha?”
“O que isso tem a ver com isso?”
“Seu salário. Quanto um inspetor de polícia é pago?
Chega para comprar a sua esposa um casaco de vison de US$ 10.000? ”
“Não.”
“Você está ciente de que sua esposa gastou US$ 7.000
em Yves Saint Laurent apenas no mês passado? ”
“O que?”
“E dois meses antes disso, $ 4,000?”
“Impossível”.
“Sabemos que sua esposa gastou US$ 30.000 em roupas durante o ano passado”.
“Então minha esposa é frugal. Ela poupa o dinheiro do orçamento doméstico”.
(riso)
(Sino)
“$ 30,000 poupados do dinheiro do orçamento doméstico ?!”
“Sim. Nós somos casados ​​há dez anos “.
(riso)
(Sino)
“No momento em que esses assaltos começaram, o Fantasma surgiu. De uma hora para outra?”
“Sim. Não! Não, não está correto. ”
“Claro que não está correto. Claro … Aguarde. Entende…”
(Clouseau engole em seco)
(mulher) “Não é Sir Charles”.
“Ele deve ser o Fantasma!”
(mulher # 2) “Deve ser o inspetor”.
“Agora, lnsp …”
Clouseau procura o lenço e encontra o Diamante Pink Panther no bolso.
– (batida)
(Clouseau cai da cadeira)
“Não, eu não sou o fantasma!”

Clouseau conversando com um guarda:
“Não. Por favor, por favor.”
“Você está errado. Não sou o fantasma.

“Diga-me, lnspector … Signor Phantom … todos esses assaltos, como você conseguiu isso?”
“Bem, você sabe … não foi fácil”.

 

In the movie THE PINK PANTHER (1963), by Blake Edwards, among several great scenes the one of the deposition of Inspector Clouseau is a masterpiece:

Clouseau is interrogated by Sir Charles’ lawyer:

“lnspector Clouseau, you have testified under oath to certain

pertinent facts concerning this case. Your testimony alone

has been the major factorin casting suspicion on the defendant.

Aside from the Phantom himself, you are the foremost authority on the Phantom.”

“l have made the Phantom my life’s work.”

“You have testified that the Phantom has been a guest at the parties given by Miss Angela Dunning.”

“Yes.”

“You have testified that it was either during or sometime soon afterwards that certain of Miss Dunning’s guests were robbed.”

“Yes.”

“How many times did this happen?”

“16.”

“16 parties, 16 thefts?”

“Yes.”

“And Sir Charles attended all 16 of those parties?”

“All of them.”

“And how many parties did you attend?”

“All of them.”

“Oh, yes? Very interesting.”

“You attended the first party?”

“Yes.”

“The jewels were stolen during or after the party?”

“After.”

“So, then, you knew they would be stolen.”

“Yes.”

“How did you know?”

“Because that is the modus operandi of the Phantom. He always works that way.”

“l see.”

“Were the same people always present at each party?”

“No. The guest list varied.”

“Outside of Sir Charles, was anybody else always present at each of these parties?”

“Uh… no, no, no.”

“Only Sir Charles was present at each party when there was a robbery?”

“Yes, yes.”

“l see.”

“What about you?”

“Me?”

“Yes, you.”

“What about me?”

“You were there.”

“Yes.”

“Then, Sir Charles was not the only one always present at each party.”

“What are you suggesting?”

“l’m not suggesting anything… yet.”

“Now, lnspector Clouseau?”

“Hm?”

“How much money do you make?”

“What has this got to do with it?”

“Your salary. How much does a police inspector get paid?

Enough to buy your wife a $10,000 mink coat?”

“No.”

“You’re aware that your wife spent $7,000

at Yves Saint Laurent only last month?”

“What?”

“And two months before that, $4,000?”

“lmpossible.”

“We know that your wife spent $30,000 on clothes during the past year.”

“So my wife is frugal. She saves out of the housekeeping money.”

(laughter)

(bell)

“$30,000 out of the housekeeping money?!”

“Yes. We have been married for ten years.”

(laughter)

(bell)

“At the time these robberies began, the Phantom came into existence. Correct?”

“Yes. No! No, not correct.”

“Of course not correct. Of course… Wait. You see…”

(gasping)

(woman) “lt’s not Sir Charles.”

“He must be the Phantom!”

(woman # 2) “lt must be the inspector.”

“Now, lnsp…”

Clouseau looks for the handkerchief and finds the Pink Panther Diamond in his pocket.

– (crash)

(cheering)

“No, l’m not the Phantom!”

 

Clouseau talking with a guard:

“No. Please, please.”

“You’re wrong. l’m not the Phantom.

“Tell me, lnspector… Signor Phantom…all those robberies, how did you ever manage it?”

“Well, you know… it wasn’t easy.”