Certa vez o critico de cinema Tuio Becker nos instigou a tentar fazer a Mostra Internacional de Cinema de Porto Alegre, pelo Clube de Cinema. Reunidos na casa dele, preparamos e enviamos algumas dezenas de cartas para representações diplomáticas em Brasilia, soltando filmes que iriam representar os países em uma mostra não competitiva em nossa capital. Semanas depois, saiu uma nota no Jornal Clarin, de Buenos Aires, informando que o Instituto Nacional de Cinema Argentino havia definido os representantes do Pais no Festival de Berlim, Cannes e na Mostra Internacional de Cinema de Porto Alegre. O filme escolhido para vir era EL INFERNO TAN TEMIDO, de Raul de la Torre, um drama no melhor estilo tango, sobre um jornalista de turfe abandonado por sua grande paixão e que afunda na bebida. Musica do grande Astor Piazzola. Um filmaço. A Italia foi representada por CASANOVA E A REVOLUÇÃO, de Ettore Scola. A Primeira Mostra Internacional de Cinema de Porto Alegre se realizou no Auditorio Dante Barone, da Assembleia Legislativa e foi um grande sucesso de publico. Não sei como a gente conseguia…