Lisbeth Salander é um dos melhores personagens femininos da ficção recente, seja da literatura seja do cinema. Criação do escritor sueco Stieg Larsson, Salander é uma hacker de 23 anos, com memória fotográfica, pouca ou nenhuma interação social, bissexual, com o corpo repleto de tatuagens, de infância problemática e com uma inteligência bem acima da media.

Larsson a incluiu como protagonista em seus três livros da serie Millenium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres, A Menina que Brincava com Fogo e A Rainha do Castelo de Ar.

Na transposição para o cinema, Lisbeth teve duas faces: na versão sueca, a atriz Noomi Rapace, uma sueca de 37 anos e, no filme norte-americano, Rooney Mara, uma nova-iorquina de 35 anos.

Embora ache os dois enfoques bem diversos, gosto igualmente das duas versões. Claro que a trilogia sueca, por ter os três filmes, ficou mais completa e possibilitou a Noomi Rapace um trabalho mais elaborado e complexo. Mas Rooney Mara foi excelente como Lisbeth, sem qualquer duvida. Pena que os dois outros filmes seguem parados.

Lê-se muito que o cinema tem carência de bons personagens femininos. Lisbeth, deste ponto de vista, é um prato cheio. Multifacetada, enigmática, fascinante, rica, dramática, aventureira, sexy, agressiva e apaixonada. Uma atriz pode querer mais?

No ano passado, Lisbeth Salander voltou a vida, com o quarto livro, escrito por um novo escritor, David Lagercrantz, A Garota na Teia da Aranha.

Certamente vai virar filme. Quem vai ser Lisbeth?

 

Lisbeth Salander is one of the best female characters in recent fiction, both in literature and movies. Creation of the Swedish writer Stieg Larsson, Salander is a 23 years old hacker, with photographic memory, little or no social interaction, bisexual, with the body full of tattoos, with a troubled childhood and a well above average intelligence.

Larsson has included her as protagonist in his three Millenium series books: The Girl with the Dragon Tattoo, The Girl who played with Fire and The Queen of Air Castle.

In the movies, Lisbeth has two faces: in the Swedish version, the actress Noomi Rapace, a 37 years old Swedish; in the US film, Rooney Mara, a 35 years old New Yorker.

Although I find the two films, versions very different, I like both of them. Of course, the Swedish trilogy is more complete and allowed to Noomi Rapace a more elaborate and complex work. But Rooney Mara as Lisbeth was excellent without any doubt. Too bad the other two films are still stucked.

We read a lot that cinema has a lack of good female characters. Lisbeth, from this point of view, is a gift of heaven. Multifaceted, enigmatic, fascinating, rich, dramatic, adventurous, sexy, aggressive and passionate. May an actress want more?

Last year, Salander came to life, with the fourth book, written by a new writer, David Lagercrantz, The Girl in The Spider Web.

Certainly it becomes a movie. Who will be Lisbeth?