Policial francês tem tradição. Por isto, fiquei atraído para ver a serie DISPARUE (DESAPARECIDA – 2016), sobre uma jovem de 17 anos que sai para um festival de musica em Lyon e não volta para a casa.

Produção de empresas top de linha como a Quad Télévision, AT-Production, Radio Télévision Belge Francophone (RTBF) e distribuídas pelas peso pesadas BBC Four e France 2 (FR2), DESAPARECIDA segue os modelos tradicionais do gênero, sem muitas surpresas ou reviravoltas de roteiro.

Talvez seu maior talento seja focar sua atenção mais nos desajustes e trocas de culpas familiares que o desaparecimento traz que na solução do crime propriamente dito, o que lhe traz uma dimensão dramática por vezes inesperada.

Neste sentido, a figura materna, vivida pela atriz Alix Poisson (Flo) faz o melhor trabalho do elenco.

Como são somente oito episódios, e mais ou menos a gente vai adivinhando o que vem pela frente, é justo dizer que a edição da serie assegura seu interesse permanente, ate o instante final.

DISPARUE não chega próximo dos melhores exemplares onde se inspirou, como a hors-concours TWIN PEAKS ou mesmo a excepcional THE KILLING, mas consegue, além dos vilões, prender os espectadores.

 

French thrillers have tradition. For this reason, I was drawn to see TV series DISPARUE, about a young female, 17 years old, who goes to a music festival in Lyon and do not come back.

Production top from companies like Quad Télévision, AT-Production, Radio Télévision Belge Francophone (RTBF) and distributed by the heavy weight BBC Four and France 2 (FR2), DISPARUE follows the traditional models of the genre without many surprises or twists in the script.

Perhaps its greatest talent is to focus its attention more on the misfits and exchanges of family blames after the the disappearance than in the crime solution itself, which brings a dramatic dimension sometimes unexpected.

In this sense, the mother figure, played by actress Alix Poisson (Flo) does the best job of the cast.

Thre are only eight episodes, and as we more or less go guessing what lies ahead, it is fair to say that the series editing ensures your continued interest, until the final moment.

DISPARUE does not come close to the best movies in which was inspired, as the hors-concours TWIN PEAKS or even the exceptional THE KILLING, but can, in addition to the bad guys, hold the spectators.