Fui ver A VIGILANTE DO AMANHA (2017), de Rupert Sanders na melhor sala IMAX de Sao Paulo, em condições de som e imagem 3D próximos da perfeição.

Na minha opinião, a excelência dos efeitos especiais (a gente instintivamente abaixa a cabeça varias vezes durante o filme para evitar ser atingido por coisas que parecem sair da tela) não conseguem obscurecer que toda aquela confusão e tiroteio não disfarçam um roteiro fraco.

Nunca fui fa do famosíssimo manga japonês de Shirow Masamune que originou esta historia e seus personagens, ou suas sequências, mas não achei que este filme tenha conseguido transmitir a essência da historia que gerou tanta paixão entre seus milhares de admiradores.

Scarlett Johansson, o nome que puxa o elenco faz de tudo para manter o espectador atento, sendo, para mim, pouco explorada.

Em resumo, achei o filme monótono, apesar de sua perfeição técnica de acabamento.

 

I went to see Rupert Sanders' A GHOST IN THE SHELL (2017) in the best IMAX room in Sao Paulo, in conditions of 3D sound and image close to perfection.

In my opinion, the excellence of special effects (you instinctively 
lower your head several times during the movie to avoid being hit by things that seem to come off the screen) can not obscure that all 
that confusion and shooting does not disguise a weak script.

I have never been a fan of Shirow Masamune's famous Japanese manga 
that originated this story and its characters, or their sequences,but I did not think that this film has managed to convey the essence of the story that has generated such passion among its thousands of 
admirers.

Scarlett Johansson, the name that draws the cast does everything to 
keep the viewer attentive, being, for me, little explored.

In summary, I found the film monotonous despite its technical 
perfection of finish.