PANTERA NEGRA, de Ryan Cogler(CREED) é um filme de super-herói da MARVEL, mas consegue trazer uma série de novidades para o espectador que justificam o seu atual super sucesso de público e crítica.

A questão da diversidade – pauta permanente da atualidade – tem destaque absoluto em PANTERA NEGRA, onde não somente o elenco, diretor e roteirista são quase exclusivamente afro-americanos, como tem o mérito indiscutível de, ao trazer um herói negro, aborda uma série de questões historicamente associadas à raça negra e aos países africanos.

Claro que todos estes temas e abordagens da maior seriedade vêm embalados em um filme de aventura com a magnífica qualidade da MARVEL, que mais uma vez dá um show em história (cheia de surpresas), efeitos especiais e filmagens (impecável o uso do 3D) e tiradas de humor nos momentos certos do filme.

A história por trás do País fictício Wakanda, seu isolamento do mundo e a briga pela sucessão de seu reinado, de olho no valioso metal vibranium.

Chadwick Boseman(42 – A HISTÓRIA DE UMA LENDA, filme com Harrison Ford sobre o jogador de beisebol Jack Robinson) como o Rei T’Challa e o Pantera Negra sabe muito bem carregar seu protagonismo. Michael B. Jordan (CREED) também vive muito bem o vilão. Ao lado deles vários atores e atrizes ótimos, como Lupita Nyong’o (12 ANOS DE ESCRAVIDÃO e STAR WARS – O DESPERTAR DA FORÇA), Angela Basset (TINA), Forrest Whitaker(Oscar de Melhor Ator em O ÚLTIMO REI DA ESCÓCIA), Martin Freeman (O HOBBIT) e Andy Serkis (O PLANETA DOS MACACOS). Elenco de peso.

O filme não pára um minuto, mas foge da armadilha de muitas cenas de batalha para exibir os mais modernos efeitos visuais. Há uma grande cena de perseguição de carros (ótima) e a batalha final. Está de bom tamanho.

PANTERA NEGRA se insere no universo MARVEL com um dos melhores filmes do Estúdio.

 

Ryan Cogler’s BLACK PANTHER (CREED) is a superhero movie from MARVEL, but it manages to bring a dozen of novelties to the viewer that justify its current super audiences and critics success.

The issue of diversity – the permanent agenda of today – has an absolute prominence in BLACK PANTHER, where not only the cast, director and writer are almost exclusively African-American, as it has the indisputable merit of bringing a black hero to a series of issues historically associated with the black race and African countries.

Of course, all these themes and approaches of the greatest seriousness are packed in an adventure film with the magnificent quality of MARVEL, which once again gives a show in history (full of surprises), special effects and filming (impeccable use of 3D) and humorous at the right moments in the movie.

The story behind the fictional country Wakanda, his isolation from the world and the fight for the succession of his reign, with an eye on the valuable metal vibranium.

Chadwick Boseman (42, the movie with Harrison Ford about baseball player Jack Robinson) as King T’Challa and the Black Panther knows very well to carry his protagonism. Michael B. Jordan (CREED) also lives the villain very well. Alongside them were many great actors and actresses, such as Lupita Nyong’o (12 YEARS OF SLAVERY and STAR WARS), Angela Basset (TINA), Forrest Whitaker (Oscar for Best Actor in THE LAST KING OF SCOTLAND), Martin Freeman (The HOBBIT) and Andy Serkis (THE PLANETS OF THE APES). Cast of high level.

The film does not stop for a minute, but it escapes the trap of many battle scenes to display the most modern visual effects. There is a great car chase scene (excellent) and the final battle. It’s ok.

BLACK PANTHER is inserted in the MARVEL universe with one of the best films of the Studio.