MORTE POR ENCOMENDA: Filme Noir Cheio de Modernidades Enlouquecidas

MORTE POR ENCOMENDA, de Tony Krantz (Produtor do excepcional CIDADE DOS SONHOS, de David Lynch e da Série 24 HORAS) é um filme para lá de pirado. Está disponível na Amazon Prime Video. Com cinco minutos de filme aparece um anão albino parceiro de orgias de um astro de Hollywood chamado Adam Nova (James van der Beeck, de DAWSON’S CREEK), desgraçado pelo vazamento de fotos comprometedoras na internet. Por ali já dava para ver onde o filme ia.

A história é de um P.I. financeiramente quebrado (Antonio Banderas como Ned Cruz – aliás os nomes dos personagens são ótimos), que é contratado por um ex-pugilista e ex-presidiário chamado Anton “the Pro” Protopov, de dois metros e meio de altura, para achar a linda stripper loira com quem se correspondeu durante os anos de cárcere. Ela é Lexie Persimon, vivida pela linda (e ótima atriz inglesa) Sienna Guillory, de LUTHER e ELIZABETH.

Para movimentar a trama, temos ainda um zilionário que dedica sua vida a recriar o Big Bang em um laboratório subterrâneo (Sam Elliott, piradíssimo), uma garçonete ninfomaníaca com lições de física quântica tatuadas pelo corpo (Autumm Reeser, de SULLY e THE O.C.), três policiais corruptos atrás de uma fortuna roubada de diamantes (os sempre interessantes Delroy Lindo, William Fitchner e Thomas Kretchmann), um ator/diretor pornô que faz “cameos” tipo Hitchcock (Snoopy Dog, ótimo), uma viúva internada em um hospício porque acometida de autofagia (Rebecca Mader, de LOST) e um físico transgênero apaixonado pelo boxer ex-presdiário (Jimmi Simpson, de WESTWORLD).

O roteiro poderia ser mais louco? Difícil. Mas tirante muitas cenas desnecessárias e pouco inspiradas, o filme transita bem pelos ícones do noir, como a loira de passado duvidoso e moral questionável, o detetive com seu código moral inabalável que lhe causa toda sorte de problemas, os tiras corruptos pensando em si mesmos, o milionário enlouquecido com algum plano megalomaníaco e por aí vai.

É divertido ver MORTE POR ENCOMENDA. Tem muita coisa boa no filme, inclusive nos diálogos que o roteiro proporciona.

Apenas para citar dois:

Anton “The Pro”Propotov: “Eu quero que você encontre uma pessoa?” Ned Cruz: “Você tem uma pessoa específica em mente ou pode ser qualquer uma?”

Fay Newman: “Você está aqui porque?” Ned Cruz: “Porque…eu estou procurando alguém que supostamente existe mas ninguém viu.”

Uma hora e meia de diversão (qualificada) para quem curte um filme noir e seus tipos.

THE BIG BANG, by Tony Krantz (Producer of the exceptional MULHOLLAND DRIVE, by David Lynch, and the 24 Series) is a wildly crazy movie. Five minutes into the movie there is an albino dwarf orgy partner of a Hollywood star named Adam Nova (James van der Beeck of DAWSON’S CREEK), disgraced by leaking compromising photos on the Internet. Just for this you could see where the movie was going.

The story is of a financially broken PI (Antonio Banderas as Ned Cruz – incidentally the character names are great), who is hired by a 8 foot former boxer and ex-convict named Anton “the Pro” Protopov, to find the beautiful blonde stripper with whom she corresponded during the jail years. She’s Lexie Persimon, lived by beautiful (and great English actress) Sienna Guillory, from LUTHER and ELIZABETH.

To sumarize the plot, we also have a millionaire who dedicates his life to recreating the Big Bang in an underground lab (Sam Elliott, crazy), a nymphomaniac waitress with body tattooed quantum physics lessons (Autumm Reeser, from SULLY and THE OC), three corrupt cops behind a stolen diamond fortune (the always interesting Delroy Lindo, William Fitchner and Thomas Kretchmann), a porn actor / director (Snoopy Dog, great) who makes Hitchcock “cameos”, an interned widow in a hospice because of autophagy (Rebecca Mader of LOST) and a transgender physicist in love with former prisoner boxer (Jimmi Simpson from WESTWORLD).

Could the script be crazier? Difficult. But despite many unnecessary and uninspiring scenes, the film moves well through the noir’s icons, like the dubious blonde with questionable morals, the detective with his unshakable moral code that causes him all sorts of trouble, the corrupt cops thinking of themselves, the millionaire going crazy with some megalomaniacal plan and so on.

It’s fun to see THE BIG BANG. There’s a lot of good in the movie, including the dialogue that the script provides.

Just to name two:

Anton ‘The Pro’ Protopov: I want you should find somebody. 

Ned Cruz: You’ve specific person in mind or will just anybody do?

Fay Neman: And you are here because…? 

Ned Cruz: Because… I’m looking for someone who is supposed to exist but nobody has seen.

An hour and a half of fun (qualified) for those who enjoy a noir movie and its types.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s