PRESS: Série da BBC ONE Expõe os Dilemas do Jornalismo Atual de Forma Contundente

“Afinal, eu ainda sou um jornalista.” “Você é?” Com este diálogo entre o Editor Chefe do Tablóide inglês THE POST com a Editora Chefe do concorrente liberal THE HERALD, a série PRESS da BBC ONE dá seu cartão de visitas. Ficcionando em torno da concorrências entre dois jornais cujas sedes ficam na mesma quadra de Londres (seriam o THE GUARDIAN e o THE SUN?), PRESS mostra todos os dilemas do jornalismo atual: verdade ou o que mais vende, como enfrentar a ditadura dos clics da internet, tabloide ou jornalismo investigativo, escândalo ou valores?

A série está centrada em dois personagens protagonistas: uma repórter do THE HERALD, idealista, interessada, workaholic, mas muito desencantada com o jornalismo atual e o Editor Chefe do THE POST, um jornalista cínico e manipulador capaz de praticamente tudo para ver a circulação de seu jornal subir (até porque tem que prestar contas ao milionário dono do jornal que lhe cobra diariamente o que ele está fazendo).

Publicar ou não a foto de uma ministra que prega política de tolerância zero com drogas e drogados, cheirando cocaína quando era adolescente? Expor os pais de um jogador de futebol famoso que se suicidou, depois que se descobre que era gay? Ir atrás de um atropelamento de uma jovem, possivelemente realizado por um carro da Polícia que fugiu do local? acreditar em um whisteblower do MI5 que diz querer denunciar uma operação ilegal?

O elenco é estupendo: Charlotte Riley (atriz inglesa vista em O MORRO DOS VENTOS UIVANTES, NO CORAÇÃO DO MAR e NO LIMITE DO AMANHÃ) vive uma excelente Holly Evans, com todas as suas incertezas e decpções, porém obstinada por fazer um bom jornalismo. O londrino Ben Chapman (ATRÁS DA LINHA VERMELHA, CÁLCULO MORTAL e O RETRATO DE DORIAN GRAY) vive o Editor Chefe do THE POST, Duncan Allen sempre atrás da notícia (ou do enfoque com que a notícia vai ser divulgada) que mais lhe dê vendas e cliques.

Com eles, um time de coadjuvantes de luxo: David Suchet (o ótimo Poirot da série de TV), Priyanga Burford(atriz de UKIP: The First 100 Days), Al Weaver (GRANTCHESTER), Paapa Essiedu (ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE), Alisson McKenzie, Stuart Wheelan e muitos outros.

Quem gosta do tema e vem observando os dilemas do atual jornalismo (especialmente o impresso), tem em PRESS um prato cheio para refletir, pensar e criticar. Ainda estou no primeiro dos seis capítulos desta primeira (talvez única temporada), e embora a série ainda não estjea no nível da excepcional NEWSROOM da HBO, entendo que a BBC traz mais um produto de entretenimento top de linha para o espectador interessado nas coisas importantes do mundo de hoje.

“After all, I’m still a journalist.” “Are you?” With this dialogue between the English Tabloid Editor-in-Chief of THE POST and the Editor-in-Chief of the liberal competitor THE HERALD, the BBC ONE PRESS series gives its card. Fencing around the competition between two newspapers with their headquarters in the same block of London (would it be THE GUARDIAN and THE SUN?), PRESS shows all the dilemas of current journalism: truth or what sells the most, how to face the dictatorship of the clics of the internet, tabloid or investigative journalism, scandal or values?

The series focuses on two leading characters: an idealistic, interested, workaholic reporter from THE HERALD, but very disenchanted with current journalism and the POST Editor-in-Chief, a cynical and manipulative journalist capable of just about everything to see the circulation of the newspaper goes up (because he has to be accountable to the millionaire owner of the newspaper who charges him daily for what he is doing).

Whether or not to publish a photo of a female minister that preaches a zero-tolerance drug policy, snorting cocaine when she was a teenager? Expose the parents of a famous football player who committed suicide after being discovered to be gay? Go after a run-over of a young girl, possibly by a police car that fled the scene? Believe an MI5 whisteblower who says he wants to report an illegal operation?

The cast is stupendous: Charlotte Riley (English actress seen in WUTHERING HEIGHTS, IN THE HEART OF THE SEA, EDGE OF TOMORROW) lives an excellent Holly Evans, with all her uncertainties and disappointments, but obstinate in making a good journalism. Londoner Ben Chapman (THE THIN RED LINE, MURDER BY NUMBERS and DORIAN GRAY) lives THE POST’s Editor-in-Chief Duncan Allen, always looking for the news (or the focus with which the news will be released) that gives him the most sales and clicks.

With them, a luxury supporting team: David Suchet (the great Poirot of the TV series), Priyanga Burford (UKIP: The First 100 Days), Al Weaver (GRANTCHESTER), Paapa Essiedu (MURDER ON THE ORIENT EXPRESS), Alisson McKenzie, Stuart Wheelan and many others.

Those who like the subject and have been observing the dilemmas of the current journalism (especially the printed one) have in PRESS a plate full to reflect, think and criticize. I am still in the first of six chapters of this first (perhaps only season), and although the series is not yet at the level of HBO’s exceptional NEWSROOM, I understand that the BBC brings yet another top of the line entertainment product for the viewer interested in the important stuff from today’s world. For now only available on Itunes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s