A GRANDE MENTIRA: Dois Atores Excepcionais e um Roteiro Previsível

A GRANDE MENTIRA, de Bill Condon chama a atenção por ser estrelado por dois atores de inquestionável talento: Dame Helen Mirren (Oscar de Melhor Atriz por A RAINHA) e Ian McKellen (indicado a dois Oscars e com 53 prêmios internacionais). O filme chegou ao NOW, Amazon, Apple TV+.

Fica devendo muito. A história do vigarista Roy Courtnay que vive de golpes em incautos na Londres de hoje já era meio inverossímil, embora tivesse certo charme. Quando ele conhece pela internet uma senhora milionária que mora em um condomínio fora de Londres e mostra uma ingenuidade somente comparável à solidão, fica claro para onde o filme vai.

Sempre digo que fazer um “twist” no roteiro de um filme é muito difícil. O motivo é um só. Você tem que espalhar pistas durante a narrativa que no final mostrem que a “surpresa” estava à disposição do espectador. Aí o roteiro corre o grande risco de antecipar o “twist”, tornando-o sem efeito.

O SEXTO SENTIDO, de M.Night Shyamalan é exemplar na arte de ocultar/mostrar os elementos que antecipam o que vem lá na frente e mesmo assim derrubar o espectador com a surpresa final.

A GRANDE MENTIRA cursa caminho contrário. antes da metade do filme já se sabe qual a surpresa final. Ela é evidente demais. Tira a “graça”do filme.

Resta apenas desfrutar de dois atores monstruosos mostrando um pouco do seu incomensurável talento, mesmo em um filme fraco.

Bill Condon‘s THE GOOD LIAR stands out for being starring two actors of unquestionable talent: Dame Helen Mirren (Oscar for Best Actress for THE QUEEN) and Ian McKellen (nominated for two Oscars and with 53 international awards). The film reached NOW, Amazon, Apple TV +.

The movie does not have success. The story of the swindler Roy Courtnay, who lives from the suspecting scams in London today, was already a bit far-fetched, although it had a certain charm. When he meets on the internet a millionaire lady who lives in a condominium outside London and shows naivete only comparable to loneliness, it is clear where the film is going.

I always say that making a “twist” in a film script is very difficult. The reason is just one. You have to spread clues during the narrative that at the end show that the “surprise” was available to the viewer. There, the script has a great risk of anticipating the “twist”, rendering it without effect.

THE SIXTH SENSE, by M. Night Shyamalan is exemplary in the art of hiding /showing the elements that anticipate what lies ahead and even so overthrow the viewer with the final surprise.

THE BIG LIE goes the other way. Before the half of the film, the final surprise is known. It is too evident. It ends the “grace” of the film.

It remains only to enjoy two monstrous actors showing a little of their immeasurable talent, even in a weak film.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.