STELLA DAYS: Religião, Cinema e Paixão na Vida de um Padre

STELLA DAYS, do cineasta irlandês Thaddeus O’Sullivan é um filme interessante. Martin Sheen vive um padre que viveu nos Estados Unidos (onde se apaixonou pelo cinema) e agora está locado em uma pequena cidade rural da Irlanda. Fez um pedido para voltar a Roma, a fim de terminar sua tese. Mas seus desentendimentos com o Arcebispo e com as autoridades locais fazem com que ele fique por ali mesmo. Quando a Arquidiocese resolve construir uma nova Igreja e dá a cada padre a missão de arrecadar fundos, ele tem a ideia de fazer um cinema no Salão Paroquial, como forme de educar as pessoas e conseguir dinheiro.

A ideia de abrir um cinema acirra os ânimos da cidade. Os políticos locais, moralistas até a alma vêem nos filmes americanos a perdição da luxúria. É exemplar a cena em que o projecionista testa o novo projetor com um trecho de A UM PASSO DA ETERNIDADE, justamente a cena do beijo na praia entre Deborah Kerr e Burt Lancaster. Ao entrar na sala e ver a cena, o Prefeito local, Brendan McSweeney (mais um ótimo papel de Stephen Rea) começa a gritar frases católicas desconexas e termina dizendo que “Elizabeth Taylor sempre foi uma pecadora”. Ao que o operador grita da cabine: “Esta é a Deborah Kerr”.

O Padre idealista e cinéfilo enfrenta todo tipo de oposição, inclusive do Bispo (o ator irlandês Tom Hickey), que somente muda de ideia quando é informado sobre as rendas dos maiores cinemas de Dublin e da Inglaterra.

Martin Sheen sempre foi um ator competente. Seu mega trabalho na série de sucesso THE WEST WING é memorável. Mas nada se compara ao seu trabalho em APOCALIPSE NOW, de Francis Coppola, onde Sheen viveu um maravilhoso e atormentado Capitão Willard. E olha que ele fez muitos filmes ótimos, como TERRA DE NINGUÉM, JFK – A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR e OS INFILTRADOS.

STELLA DAYS é um filme poético. O fascínio do cinema e sua capacidade de educar, entreter e conscientizar um povo são mostrados romanticamente pelo cineasta. O filme teve 9 indicações para o IFTA Awards (o Oscar do Cinema Irlandês) e fez muito sucesso no Tribeca Film Festival. Está disponível no IMDB Channel.

STELLA DAYS, by Irish filmmaker Thaddeus O’Sullivan is an interesting film. Martin Sheen lives a priest who lived in the United States (where he fell in love with cinema) and is now based in a small rural town in Ireland. He made a request to return to Rome in order to finish his thesis. But his disagreements with the Bishop and with the local authorities make him stay there. When the Archdiocese decides to build a new Church and gives each priest the mission to raise funds, he has the idea of ​​making a cinema in the Parish Hall, as a way to educate people and raise money.

The idea of ​​opening a cinema stokes the city’s spirits. Local politicians, moralists to the core, see in American films the bane of lust. An example is the scene in which the projectionist tests the new projector with an excerpt from FROM HERE TO ETERNITY, precisely the scene of the kiss on the beach between Deborah Kerr and Burt Lancaster. Upon entering the room and seeing the scene, the local Mayor, Brendan McSweeney (another great Stephen Rea role) starts screaming disconnected Catholic phrases and ends by saying that “Elizabeth Taylor has always been a sinner”. To which the operator shouts from the booth: “This is Deborah Kerr“.

The idealistic and cinephile Priest faces all kinds of opposition, including that of the Bishop (Irish actor Tom Hickey), who only changes his mind when he is informed about the revenues from the biggest cinemas in Dublin and England.

Martin Sheen has always been a competent actor. His mega work on the hit series THE WEST WING is memorable. But nothing compares to his work in Francis Coppola‘s APOCALYPSE NOW, where Sheen lived a wonderful and tormented Captain Willard. And look, he made many great films, like BADLANDS, JFK and THE DEPARTED.

STELLA DAYS is a poetic film. The fascination of cinema and its ability to educate, entertain and raise awareness among people are shown romantically by the filmmaker. The film had 9 nominations for the IFTA Awards (the Irish Film Oscar) and was very successful at the Tribeca Film Festival. It is available on the IMDB Channel.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.