O HOMEM ELEFANTE: Do Gênio de David Lynch Veio um dos Filmes Mais Sensíveis do Cinema

Em 1980, o cineasta David Lynch fez um dos filmes mais emocionantes que já vi: O HOMEM ELEFANTE, baseado na história real de Joseph Merrick, um homem que nasceu com uma deformidade facial grave e que passou avida sendo tratado como um monstro, até que um sensível cirurgião presta atenção nele e resolve melhorar seu final de vida.

John Hurt, sob quilos de maquiagem (impressionante) faz Merrick, em trabalho memorável. Anthony Hopkins (antes de ser o monstro sagrado que é hoje) faz o Dr. Frederick Treves. O elenco maravilhoso ainda tem Anne Bancroft, John Gielgud, Freddie Jones e Hannah Gordon.

O filme teve 8 indicações ao Oscar. Ganhou o BAFTA, o César e um prêmio no Festival de Avoriaz, do cinema fantástico. A fotografia em preto e branco é inesquecível. É o segundo longa metragem de David Lynch, um americano do Estado de Montana, depois consagrado por TWIN PEAKS, VELUDO AZUL e CIDADE DOS SONHOS.

O legendário crítico de cinema do THE NEW YORK TIMES, Vincent Canby escreveu sobre o filme: “Merrick, parecendo a morsa meticulosamente vestida nas ilustrações de Tenniel para “A morsa e o carpinteiro”, é um hóspede muito delicado. Ele fala com o sotaque adquirido de um cavalheiro inglês de classe alta e tem o mesmo tipo de educação. “Eles têm rostos tão nobres”, diz ele sobre as fotografias da família Treves, e depois mostra aos anfitriões uma foto de sua mãe, uma mulher muito bonita. “Sim”, ele reconhece, “ela tinha o rosto de um anjo”, acrescentando tão delicadamente que só se pode suspeitar que profundidades de sentimento estão sendo ignoradas “,” devo ter sido uma grande decepção para ela. Eu tentei tanto ser bom ”. O Sr. Hurt é verdadeiramente notável. Não pode ser fácil agir sob uma máscara tão pesada. O filme cobre a vida de Merrick desde o momento em que o Dr. Treves o encontra em exposição, durante um breve período de paz sob os cuidados do Dr. Treves, interrompido quando seu ex-promotor o seqüestra e o leva para a França, e conclui após seu retorno a Treves, quando ele se torna o animal de estimação da alta sociedade de Londres. O principal de seus admiradores é a atriz, Sra. Kendal, interpretada por Anne Bancroft em seu melhor estilo de avó, em cenas que surpreendentemente emotivas.”

O HOMEM ELEFANTE é uma lição de vida. A beleza está (ou não) dentro das pessoas. Nestes tempos de exibicionismo no Instagram, merece ser visto e refletido.

In 1980, filmmaker David Lynch made one of the most touching films I have ever seen: THE ELEPHANT MAN, based on the true story of Joseph “John” Merrick, a man who was born with a severe facial deformity and who lived through being treated like a monster, until a sensitive surgeon pays attention to him and decides to improve his end of life.

John Hurt, under pounds of makeup (impressive) makes Merrick, in memorable work. Anthony Hopkins (before being the sacred monster he is today) plays Dr. Frederick Treves. The wonderful cast still has Anne Bancroft, John Gielgud, Freddie Jones and Hannah Gordon.

The film had 8 Oscar nominations. It won BAFTA, César and an award at the Avoriaz Festival, for fantastic cinema. It is the second feature film by David Lynch, an American from the state of Montana, later enshrined by TWIN PEAKS, BLUE VELVET and MULLHOLAND DRIVE.

Legendary NEW YORK TIMES film critic Vincent Canby wrote about the film: “Merrick, looking like the fastidiously dressed Walrus in the Tenniel illustrations for ”The Walrus and the Carpenter,” is a most dainty guest. He speaks in the acquired accents of an English upperclass gentleman’s gentleman, and has the same sort of manners. ”They have such noble faces,” he says of the Treves family photographs on the mantlepiece, and then shows his hosts a picture of his mother, a very pretty woman. ”Yes,” he acknowledges, ”she had the face of an angel,” adding so delicately that one can only suspect what depths of feeling are being ignored, ”I must have been a great disappointment to her. I tried so hard to be good.” Mr. Hurt is truly remarkable. It can’t be easy to act under such a heavy mask. The movie covers Merrick’s life from the time Dr. Treves finds him on exhibition, through a briefly peaceful time in Dr. Treves’s care, interrupted when his former promoter kidnaps him and takes him off to France, and concludes after his return to Treves, when he becomes the pet of London’s high society. The chief of his admirers is the actress, Mrs. Kendal, played in her best grand-lady style by Anne Bancroft, in scenes that are surprisingly affecting.”

THE ELEPHANT MAN is a life lesson. Beauty is (or is not) within people. In these times of exhibitionism on Instagram, it deserves to be seen and reflected.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.