PLANETA DOS MACACOS: Em 1968, Charlton Heston e um Clássico da Distopia

Neste final de semana dei de cara com O PLANETA DOS MACACOS, filme que o cineasta americano (embora nascido em Tóquio) Franklin J. Shaffner (PAPILLON e PATTON) fez, a partir do roteiro de Michael Wilson e Brad Serling, baseado no livro O HOMEM QUE VEIO DO FUTURO, de Pierre Boulle.

O filme, uma distopia de ficção científica, em que a Terra, depois de uma catástrofe nuclear passa a ser dominada por macacos é um cult movie memorável.

Charlton Heston, memorável faz o astronauta chefe George Taylor. Roddy McDowall é o macaco bom Cornelius. Kim Hunter é a macaca Zira, outra mocinha. E Linda Harrison faz Nova, a musa de Taylor.

O sucesso extraordinário do filme gerou incontáveis sequências, numerosas franquias e séries de TV.

Hoje, mais de 52 anos depois, vê-se o talento do diretor Shaffner em superar algumas carências técnicas construindo um filme assustador e maravilhosamente preocupante.

Entre os tantos méritos inegáveis do filme, está a sua cena final, uma das mais memoráveis do cinema. Um cena poderosa como esta já faria de O PLANETA DOS MACACOS um clássico imortal.

This weekend I came across PLANET OF THE APES, a film that the American filmmaker (although born in Tokyo) Franklin J. Shaffner (PAPILLON and PATTON) made, based on the script by Michael Wilson and Brad Serling, based on in the book THE MAN WHO CAME FROM THE FUTURE, by Pierre Boulle.

The film, a science fiction dystopia, in which the Earth, after a nuclear catastrophe, becomes dominated by monkeys, is a memorable cult movie.

Charlton Heston, memorable makes chief astronaut George Taylor. Roddy McDowall is the good Cornelius monkey. Kim Hunter is the monkey Zira, another good character. And Linda Harrison plays Nova, Taylor’s muse.

The film’s extraordinary success has spawned countless sequels, numerous franchises and TV series.

Today, more than 52 years later, director Shaffner’s talent is seen in overcoming some technical shortcomings by building a scary and wonderfully worrying film.

Among the many undeniable merits of the film, is its final scene, one of the most memorable in cinema. A powerful scene like this would make PLANET OF THE APES an immortal classic.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.