CHINATOWN: Um Clássico Noir Impecável

Já escrevi aqui que o Polonês Roman Polanksi está fora da minha lista de cineastas favoritos. Acho os filmes dele pesados demais, muitas vezes depressivos, quase destrutivos. Mas reconheço que ele tem um talento cinematográfico invulgar, gerador de cenas, personagens e tramas notáveis.

De todos os filmes deles, meus preferidos são CHINATOWN (claro), A DANÇA DOS VAMPIROS e TESS. Menção honrosa para LUA DE FEL e O OFICIAL E O ESPIÃO.

CHINATOWN é um filme noir perfeito. A história do Detetive Particular (o clássico PI) J.J. Gittes (incrível trabalho de Jack Nicholson), contratado para expor as infidelidades conjugais do Chefe do Departamento de Águas de Los Angeles, em 1937 e que termina se envolvendo numa escabrosa (e complexa) trama de corrupção, traição, incesto e assassinatos é simplesmente espetacular.

Além de Nicholson, o filme tinha Faye Dunaway (magnífica), John Huston, o próprio Polanski, Perry Lopez, John Hillerman, Diane Ladd e Bruce Glover. Um elenco perfeito.

O roteiro de Robert Towne (ganhador do Oscar) é simplesmente maravilhoso. Um dos melhores de todos os tempos. No segundo encontro entre Gittes e Mrs. Mulray, ela anuncia que vai retirar os processos contra ele, porque o marido dela acha que ele é inocente. “Madame, já me acusaram de muita coisa na vida. Mas jamais disto.” Coisa de gënio.

O filme tem uma perfeição formal impressionante. Cada cena é mais bem acabada e filmada que a anterior. E a utilização das memórias dos personagens sobre CHINATOWN, então, foi um achado impecável.

Foi indicado a 11 Oscars (ganhou o de roteiro), venceu 4 Globos de Ouro, 3 BAFTAs e mais 13 prêmios internacionais.

Hoje é um clássico feito com inteligência, sensibilidade e acabamento perfeito. Para se ver e rever muitas vezes.

I already wrote here that Polish Roman Polanksi is off my list of favorite filmmakers. I find his films too heavy, often depressing, almost destructive. But I recognize that he has an unusual cinematic talent, generating remarkable scenes, characters and plots.

Of all his films, my favorites are CHINATOWN (of course), THE FEARLESS VAMPIRE KILLERS and TESS. Honorable mention for BITTER MOON and J’ACCUSE.

CHINATOWN is a perfect film noir. The story of Private Detective (the classic PI) JJ Gittes (incredible work by Jack Nicholson), hired to expose the marital infidelities of the Head of the Los Angeles Water Department in 1937 and who ends up getting involved in a lurid (and complex) plot corruption, betrayal, incest and murder is just spectacular.

In addition to Nicholson, the film featured Faye Dunaway (magnificent), John Huston (a beauty eulogy to the great filmmaker) , Polanski himself, Perry Lopez, John Hillerman, Diane Ladd and Bruce Glover. A perfect cast.

Robert Towne‘s script (Oscar winner) is just wonderful. One of the best ever. At the second meeting between Gittes and Mrs. Mulray, she announces that she is going to drop the lawsuits against him, because her husband thinks he is innocent. “Madame, I’ve been accused of a lot in my life. But never this.” Genius thing.

The film has an impressive formal perfection. Each scene is better finished and filmed than the previous one. And the use of the characters’ memories about CHINATOWN, then, was an impeccable find.

The movie was nominated for 11 Oscars (won the script), won 4 Golden Globes, 3 BAFTAs and 13 more international awards.

Today is a classic made with intelligence, sensitivity and perfect finish. To see and review many times.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.