A ESCAVAÇÃO: Um Excelente Filme Inglês Sobre Arqueologia e Vida

Eu sempre acho engraçado quando alguma pessoa me diz que passou horas olhando o catálogo da NETFLIX e não encontrou nenhum título que lhe interessasse. Cada vez que me coloco a olhar as dezenas de filmes e séries que são lançados a cada semana, me deparo com uma multiplicidade de títulos altamente interessantes.

A ESCAVAÇÃO (THE DIG), filme inglês de 2021, dirigido pelo cineasta, ator e roteirista Suíço Simon Stone (A FILHA), por qualquer ângulo que se olhe, é um grande filme, daqueles que delicia a gente enquanto vê e deixa muita coisa para reflexão posterior.

Ralph Fiennes, excepcional ator inglês (indicado ao Oscar e ganhador do BAFTA por sua extraordinária criação em A LISTA DE SCHINDLER) vive o “escavador” profissional Basil Brown que vive na Inglaterra pesquisando objetos antigos enterrados em solo inglês. Seu trabalho de excelência é subestimado por sua falta de formação e estudos, o que lhe impõe trabalhos a preços baixos e total falta de reconhecimento.

Ela é Carrey Mullingan, uma ótima atriz londrina de 36 anos (parece muito mais idosa no filme, mercê da qualidade de sua interpretação) vista em AN EDUCATION e AS SUFRAGISTAS.

Um dia ele é chamado por uma viúva que mora no condado de Suton Hoo, bem quando a Segunda Guerra Mundial está por iniciar. A Sra. Edith Pretty mora com seu filho pequeno Robert (Archie Barnes, ótimo) e desconfia que algumas elevações em seu imóvel podem ocultar tesouros arqueológicos.

Eles são duas pessoas mal tratadas pela vida. Estão se encaminhando para o fim da vida machucados por dramas e fatos que lhes roubaram os sonhos. Esta relação – estritamente profissional mas com um afeto incrível – mudará para sempre suas vidas.

O elenco tem muita gente ótima, como Lily James, Ben Chaplin, James Dryden e Johnny Flynn (como um fotógrafo amador convocado para a Guerra que se avizinha).

O conflito entre a bestialidade da guerra e o fascínio da ciência raramente foi mostrado em toda a sua contundência. Por que o ser humano insiste em se destruir em vez de avançar em seus estudos científicos?

THE DIG é um filme brilhante, bonito, romântico, emocionante e cheio de qualidades. Acho impossível que alguém o veja e fique indiferente.

I always find it funny when someone tells me that they spent hours looking at the NETFLIX catalog and didn’t find any title that interested them. Each time I look at the dozens of films and series that are released each week, I come across a multitude of highly interesting titles.

THE DIG, the 2021 English film, directed by Swiss filmmaker, actor and screenwriter Simon Stone (THE DAUGHTER), from any angle, is a great film, one that delights us while watching and leaving a lot for further reflection.

Ralph Fiennes, an exceptional English actor (nominated for an Oscar and a BAFTA winner for his extraordinary creation in SCHINDLER’S LIST) lives the professional “digger” Basil Brown who lives in England researching ancient objects buried in English soil. His work of excellence is underestimated due to his lack of training and studies, which imposes low cost work and a total lack of recognition.

She is Carrey Mullingan, a superb London actress of 36 years old (due to her talent she seems much older in the film), seen before in AN EDUCATION e THE SUFRAGISTS.

One day he is called by a widow who lives in Suton Hoo County, just as World War II is about to start. Mrs. Edith Pretty lives with her young son Robert (Archie Barnes, great) and suspects that some elevations in her property may hide archaeological treasures.

They are two people treated badly by life. They are heading towards the end of their lives hurt by dramas and events that stole their dreams. This relationship – strictly professional but with incredible affection – will change your lives forever.

The cast has a lot of great people, like Lily James, Ben Chaplin, James Dryden and Johnny Flynn (as an amateur photographer called up for the upcoming War).

The conflict between the bestiality of war and the fascination of science has rarely been shown in all its force. Why does the human being insist on destroying himself instead of advancing his scientific studies?

THE DIG is a brilliant, beautiful, romantic, exciting and full-fledged film. I find it impossible for anyone to see him and remain indifferent.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.