KUNG FU: Nova Série da CW Não Tem o Charme do Original

Vi o primeiro capítulo da nova série do Canal CW, KUNG FU. Isto mesmo. Uma releitura moderna das aventuras do monge oriental imortalizado por David Carradine nos anos 70.

O Gafanhoto agora é uma mulher americana, Nicky (Olivia Liang) que foi para o oriente enviada pela mãe para arrumar um marido chinês. Desesperada se escondeu em um carro e foi parar num convento dirigido pela Mestre Pei-Lin Zhang (Vanessa Khai). Fica três anos por lá aprendendo a arte do kung fu. certa noite, o local é invadido por ninjas chefiados por uma belíssima vilã, Zhilan (Ivone Chapman, de STREET LEGAL) que mata a sacerdote, rouba uma espada encantada e dá uma surra em Nicky.

Nicky então volta para a casa decidida a encontrar a vilã misteriosa e retomar a espada encantada.

Como eu digo sempre, as séries da CW sempre têm uma batida adolescente e uma estética muito mais teen que as dos outros canais. Este KUNG FU não foge à regra.

Fica bem distante do charme original onde a filosofia e as lutas casavam perfeitamente na vida do solitário monge andarilho pelo oeste americano.

O novo KUNG FU é bem produzido, mas acho que ainda tem que filosofar muito para achar seu lugar ao sol.

I saw the first chapter of the new CW series, KUNG FU. That’s right. A modern retelling of the adventures of the eastern monk immortalized by David Carradine in the 1970s.

The Grasshopper is now an American woman, Nicky (Olivia Liang) who went to the East sent by her mother to find a Chinese husband. She desperately hid in a car and ended up in a convent run by Master Pei-Lin Zhang (Vanessa Khai). She spent three years there learning the art of kung fu. One night, the place is invaded by ninjas led by a beautiful villain, Zhilan (Ivone Chapman, from STREET LEGAL) who kills the priest, steals an enchanted sword and beats Nicky.

Nicky then returns to the house determined to find the mysterious villain and retake the enchanted sword.

As I always say, the CW series always has a teen-like beat and a much more teen-like aesthetic than those of the other channels. This KUNG FU is no exception.

It is a far series from the original charm where philosophy and fights matched perfectly in the life of the lonely wandering monk across the American West.

The new KUNG FU is well produced, but I think it still has to philosophize a lot to find its place in the sun.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.