CARRIE A ESTRANHA: Brian de Palma Fez um dos Melhores Filmes de Terror da História

Em alguma tarde remota de 1977 (o filme foi lançado nos Estados Unidos em Novembro de 1976), fui ao Cine Cacique porque era o dia do lançamento do filme CARRIE, A ESTRANHA, que o cineasta americano Brian de Palma fez a partir de um dos livros mais populares de Stephen King.

De Palma já tinha brilhado no excepcional TRÁGICA OBSSESSÃO, uma obra prima estrelada por John Lithgow, Genevieve Bujold e Cliff Robertson. Também tinha feito todo mundo pirar com o interessante O FANTASMA DO PARAÍSO, uma releitura lisérgica do clássico FANTASMA DA ÓPERA, em ritmo de rock.

Embora não seja um fã dos filmes de terror, me fui para o cinema disposto a levar alguns sustos. O filme era fascinante. Além de uma filmagem onírica da história da jovem paranormal que sofre bullying dos colegas e da mãe louca religiosa, CARRIE era um filmaço de suspense, daqueles de deixar o espectador sem respirar, suando muito e sentado na ponta da cadeira. Câmera lenta, banho de sangue e paranormalidade também estavam presentes.

Basta dizer que o susto que levei na última cena do filme (quem viu certamente lembra perfeitamente) me fez dar um chute no encosto da cadeira da frente que quase derrubou o espetador ali sentado. Tive que pedir desculpas e ir mancando para casa.

Ali minha paixão por Brian de Palma se tornou definitiva. O voyeurismo do diretor explodiu a milhão na cena do vestiário feminino. Depois vieram muitos outros filmes encantadores, como DUBLÊ DE CORPO, SCARFACE, MISSÃO IMPOSSÍVEL e VESTIDA PARA MATAR.

O elenco de Carrie era um dos motivos do sucesso: Sissy Spacek, jovem e magnífica, Piper Laurie, John Travolta, Nancy Allen, Amy Irving e William Katt.

CARRIE teve duas refilmagens depois. Um pecado.

Brian de Palma tinha feito a história definitiva de Carrie, a Estranha.

On some remote afternoon in 1977 (the film was released in the United States in November 1976), I went to Cine Cacique because it was the day of the release of the film CARRIE, which the American filmmaker Brian de Palma made from of one of Stephen King’s most popular books.

De Palma had already shone in the exceptional OBSSESSION , a masterpiece starring John Lithgow , Genevieve Bujold and Cliff Robertson . He had also made everyone freak out with the interesting PHANTOM OF PARADISE , a lysergic reinterpretation of the classic GHOST OF THE OPERA, in a rock rhythm.

Although I am not a fan of horror films, I went to the cinema willing to take some scares. The film was fascinating. In addition to an oneiric footage of the story of the paranormal young woman who is bullied by her colleagues and her crazy religious mother, CARRIE was a suspense film, one that leaves the viewer breathless, sweating a lot and sitting on the edge of the chair. Slow motion, blood bath and much telkinetic scenes also were present.

Suffice it to say that the scare I got in the last scene of the film (whoever saw it certainly remembers perfectly) made me kick the back of the front chair that almost knocked the viewer sitting there. I had to apologize and go home limping a lot.

There my passion for Brian de Palma became definitive. The director’s voyeurism exploded in the women’s locker room scene. Then came many other charming films, such as BODY DOUBLE, SCARFACE, MISSION IMPOSSIBLE and DRESS TO KILL.

Carrie’s cast was one of the reasons for her success: Sissy Spacek, young and magnificent, Piper Laurie, John Travolta, Nancy Allen, Amy Irving and William Katt.

CARRIE had two reshoots afterwards. A sin.

Brian de Palma had made the definitive story of Carrie.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.