007 PERMISSÃO PARA MATAR: Um James Bond Sub Valorizado

Entre os milhões de fãs dos filmes de 007 (agora de casa nova na Amazon Studios), sei que sou dos poucos que gostam de Timothy Dalton e, principalmente do filme PERMISSÃO PARA MATAR, que o cineasta inglês John Glen dirigiu em 1989.

O melhor amigo de 007, o agente da CIA Felix Later (neste filme o mitológico ator David Hedison, o eterno Lee Crane de VIAGEM AO FUNDO DO MAR) casa e, durante a lua de mel sofre um brutal ataque de um cartel de drogas que a CIA tinha impedido uma grande operação. A esposa é violentada e morta e Leiter é dado de comida para um tubarão, ficando praticamente morto.

James Bond se demite do MI6 e parte para uma vingança pessoal contra o Barão do Tráfico Franz Sanches (Robert Davi) e seu lugar tenente Dario (um dos primeiros papeis brilhantes de Benício del Toro).

As Bondgirls são maravilhosas: a novaiorquina latina Talisa Soto (DON JUAN DE MARCO) e a Sra. Richard Gere e top model da Calvin Klein Carey Lowell, vista em SLEEPLESS IN SEATTLE e personagem fixa da D.A. Jamie Ross em LAW AND ORDER). O duelo das duas pelo amor de Bond é maravilhoso.

O elenco ainda tem Anthony Zerbe, Pedro Armendariz Jr., Wayne Newton, Priscilla Barnes e Desmond Llewelyn.

Já escrevi aqui que tenho muita relutância com filmes sobre vinganças pessoais. De cada dez, um sai bom.

Pois este, na minha opinião foi uma das exceções. É um 007 muito movimentado, cheio de grandes cenas, perseguições (até de caminhões gigantes), tiroteios espetaculares, lutas com tubarões e ação sem parar.

Certamente Timothy Dalton e seus filmes ficaram a muita distância dos melhores filmes de Sean Connery e até de Daniel Craig. Mas este PERMISSÃO PARA MATAR cumpre muito bem seu papel de puro entretenimento.

Among the millions of fans of the 007 films (now a new home at Amazon Studios), I know that I am one of the few who like Timothy Dalton, and especially the film LICENCE TO KILL, which English filmmaker John Glen directed in 1989 .

007’s best friend, CIA agent Felix Later (in this film the mythological actor David Hedison, the eternal Lee Crane from VOYAGE TO THE BOTTOM OF THE SEA), marries and, during his honeymoon, undergoes a brutal attack by a cartel of drugs that the CIA had prevented a major operation. The wife is raped and killed and Leiter is given food to a shark, practically dead.

James Bond resigns from MI6 and sets out for personal vengeance against Trafficking Baron Franz Sanches (Robert Davi) and his lieutenant Dario (one of Benício del Toro‘s first brilliant roles).

Bondgirls are wonderful: Latin New Yorker Talisa Soto (DON JUAN DE MARCO) and Mrs. Richard manages and top model for Calvin Klein Carey Lowell, seen in SLEEPLESS IN SEATTLE and a DA Jamie Ross character in LAW AND ORDER ). Their duel for Bond’s love is wonderful.

The cast still has Anthony Zerbe, Pedro Armendariz Jr., Wayne Newton, Priscilla Barnes and Desmond Llewelyn.

I already wrote here that I am very reluctant with films about personal revenge. Out of ten, one comes out good.

For this, in my opinion, was one of the exceptions. It’s a very busy 007, full of great scenes, chases (even from giant trucks), spectacular shootings, shark fights and nonstop action.

Certainly Timothy Dalton and his films were a long way from the best films by Sean Connery and even Daniel Craig. But this PERMISSION TO KILL fulfills its role of pure entertainment very well.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.