UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL: RomCom Nota Dez com Galeria de Tipos Inesquecíveis

Li que neste final de semana faz 22 anos que o filme UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL foi lançado nos cinemas. Fez 22 milhões de dólares e ficou em segundo lugar, apenas atrás de STAR WARS EPISODE I: THE PHANTOM MENACE. Com orçamento de 42 milhões de dólares, fez 116 milhões no mercado americano.

NOTTING HILL foi o quarto sucesso de comédia romântica de Richard Curtis. Os anteriores foram QUATRO CASAMENTOS E UM FUNERAL, O DIÁRIO DE BRIDGET JONES e SIMPLESMENTE AMOR.

NOTTING HILL conta a história de uma paixão entre a atriz mais famosa do cinema, Anna Scott (Julia Roberts sempre luminosa) e um pequeno livreiro dono de uma loja de livros turísticos no Bairro de Notting Hill (Hugh Grant, em seu melhor papel). Seus caminhos se cruzam quando Anna – num raro dia de folga das filmagens – vai à livraria incógnita e termina em uma confusão com o tímido e sonhador livreiro.

O que fez o sucesso extraordinário de NOTTING HILL, até hoje um filme cultuado pelos fãs do gênero e merecedor de intermináveis reprises (que a gente sempre pega no meio e vai até o memorável final)?

Além da dupla central impecável, de um roteiro que, muito ao estilo de Richard Curtis, sabe ser romântico, engraçado, dramático e utópico nas medidas certas, de uma trilha sonora espetacular (SHE, cantada por Charles Aznavour é um must), o filme criou uma galeria de tipos inesquecíveis, todos muito humanos, cheios de problemas e fascinantemente próximos de pessoas que conhecemos.

Spike, o amigo explorador e de bom coração, o auxiliar da livraria eternamente apaixonado por Patrick Swayze, o cliente que vai todos os dais à loja fazer perguntas impertinentes, o amigo desligado que sequer sabe quem é Anna Scott, a irmãzinha menor do protagonista que faz tudo errado na vida, o casal de apaixonados que luta para superar todos os obstáculos, o ator arrogante que acha que pode fazer e dizer o que quiser e por aí vai.

“Eu também sou apenas uma garota de pe’frente a um rapaz, pedindo a ele que a ame.” (“I’m also just a girl, standing in front of a boy, asking him to love her.”) Há dezenas de frases memoráveis no filme.

NOTTING HILL transborda humanidade. É impossível não se encantar pelo filme. Mesmo 22 anos depois.

I read that this weekend it’s been 22 years since the movie NOTTING HILL was released in theaters. It made $ 22 million and came in second, just behind STAR WARS EPISODE I: THE PHANTOM MENACE. With a budget of 42 million dollars, it made 116 million in the American market.

NOTTING HILL was Richard Curtis‘ fourth romantic comedy hit. The previous ones were FOUR WEDDINGS AND A FUNERAL, BRIDGET JONESDIARY and LOVE ACTUALLY.

NOTTING HILL tells the story of a passion between the most famous actress in cinema, Anna Scott (Julia Roberts always luminous) and a small bookseller who owns a tourist book store in the Notting Hill neighborhood (Hugh Grant, at his best). Their paths cross when Anna – on a rare day off from filming – goes to the bookstore incognito and ends up in a mess with the shy and dreamy bookseller.

What made the extraordinary success of NOTTING HILL, until today a film worshiped by fans of the genre and worthy of endless reruns (which we always take in the middle and go to the memorable final)?

In addition to the impeccable central duo, a script that, very in the style of Richard Curtis, knows how to be romantic, funny, dramatic and utopian in the right measures, a spectacular soundtrack (SHE, sung by Charles Aznavour is a must) , the film created a gallery of unforgettable types, all very human, full of problems and fascinatingly close to people we know.

Spike, the explorer and kind-hearted friend, the bookstore helper eternally in love with Patrick Swayze, the customer who goes to the store every day to ask naughty questions, the disconnected friend who doesn’t even know who Anna Scott is, the little sister who does everything wrong in life, the passionate couple who struggle to overcome all obstacles, the arrogant actor who thinks he can do and say what he wants and so on.

“I am also just a girl standing in front of a boy, asking him to love her.” There are dozens of memorable phrases in the film.

NOTTING HILL overflows with humanity. It is impossible not to be enchanted by the film. Even 22 years later.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.