PRECISAMOS RECONHECER OS VALORES DA ANIMAÇÃO

CONVIDADA DE HOJE DO CINEMARCO É LAURA MEDEIROS.

Animação? Mas isso não é daqueles filmes para crianças?

Responderei brevemente a pergunta: NÃO.

Existe uma certa concepção (muitas vezes em forma de preconceito) de que filmes de animação são automaticamente direcionados ao público infantil. 

E nada está mais distante da verdade.

Primeiramente:

A animação é uma mídia, não um gênero. É uma maneira para se contar histórias.

Acredito que muito desta pré concepção venha do fato que a maioria das pessoas tem uma associação direta entre filmes de animação e sua infância.

Afinal, quem de nós não cresceu com um bom clássico de animação da Disney? Ou um desenho como os Looney Toons? Afinal, estes são os protagonistas entre os pioneiros da animação. 

Entretanto, devemos reconhecer que, independente de diversas produções de animações serem voltadas ao público infantil, em sua grande maioria, estas são produções feitas para TODA FAMÍLIA.

Como já dizia o grande Walt Disney:

“Não faço filmes principalmente para crianças. Eu os faço para a criança que existe em todos nós, tenhamos seis ou sessenta anos. ”

O público adulto deve, antes de mais nada, dissociar filmes de animação com sua conotação nostálgica e apreciá-las pelo o que são. E principalmente, com os olhos de um ser humano já experiente.

Pessoalmente, noto que aprecio muito mais estes filmes agora do que quando via na minha infância. Hoje, mais amadurecida, aprecio detalhes, piadas, emoções que não via antes, além de compreender e me sensibilizar com estórias e personagens em um nível mais sentimental. Sem contar de simplesmente contemplar as animações por si só.

Visto que, na infância, filmes de animação nos atrai de uma maneira mais superficial, dada suas cores, formas e histórias fantásticas. A animação é o nosso primeiro passo para descobrir que, no mundo das estórias, o céu é o limite – onde qualquer coisa pode ser desenhada e colocada na tela.

Além do mais, muito desse caráter ainda vemos em filmes voltados para uma demografia mais madura. Certas ficções e emoções são muito mais exploradas e expressivas quando colocadas na ponta do lápis.

Persépolis, Akira, Fantasia, Soul e American Pop são apenas alguns dos exemplos de que podemos admirar filmes de animação em uma camada que foge do padrão.

Caso ainda tendam a associar animação com infância, fica a dica para você assistir a um destes filmes. 

Existem apenas duas coisas que limitam a animação. Uma é a capacidade de imaginar e a outra é desenhar o que você imagina.

Portanto, nunca se restrinja a ver um filme animado. Se não, perderás o que há de mais fantástico no mundo do cinema.

TODAY’S GUEST OF CINEMARCO IS LAURA MEDEIROS.

Animation? But isn’t that one of those kids movies?

I will answer the question briefly: NO.

There is a certain conception (often in the form of prejudice) that animated films are automatically aimed at children. 

And nothing is further from the truth.

First:

Animation is a medium, not a genre. It’s a way to tell stories.

I believe a lot of this preconception comes from the fact that most people have a direct association between animated films and their childhood.

After all, who of us didn’t grow up with a good Disney animated classic? Or a cartoon like the Looney Toons? After all, these are the protagonists among the pioneers of animation. 

However, we must recognize that, regardless of the fact that several animation productions are aimed at children, the vast majority of these are productions made for EVERY FAMILY.

As the great Walt Disney said:

“I don’t make movies mainly for kids. I make them for the child in all of us, whether we are six or sixty. ”

The adult audience must, above all, dissociate animated films from their nostalgic connotation and appreciate them for what they are. And above all, with the eyes of an already experienced human being.

Personally, I find that I enjoy these movies much more now than when I saw them in my childhood. Today, more mature, I appreciate details, jokes, emotions that I didn’t see before, in addition to understanding and sensitizing myself with stories and characters on a more sentimental level. Not to mention simply contemplating the animations alone.

Whereas, in childhood, animated films attract us in a more superficial way, given their colors, shapes and fantastic stories. Animation is our first step in discovering that, in the story world, the sky is the limit – where anything can be drawn and put on the screen.

Moreover, much of this character is still seen in films aimed at a more mature demographic. Certain fictions and emotions are much more explored and expressive when placed at the tip of a pencil.

PERSEPOLIS, AKIRA, FANTASIA and AMERICAN POP are just some of the examples that we can admire animated films in a nonstandard layer.

If you still tend to associate animation with childhood, here’s a tip for you to watch one of these movies.

There are only two things that limit animation. One is the ability to imagine and the other is to draw what you imagine.

So, never restrict yourself to watching an animated film. If not, you will miss out on what is most fantastic in the world of cinema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.