QUEM VAI FICAR COM MÁRIO?: Para Rir dos Nossos Próprios Preconceitos

A primeira coisa que tenho que escrever sobre o filme QUEM VAI FICAR COM MÁRIO?, comédia brasileira dirigida por Hsu Chien (diretor nascido em Taiwan radicado no Rio de Janeiro), lançada esta semana pelo Amazon Prime Video Brasil é que um dos atores principais, o gaúcho Zé Victor Castiel é um dos meus melhores amigos há mais de 40 anos. Colegas de faculdade, estabelecemos uma amizade constante e definitiva, sendo o Zé Victor um irmão de afeto de minha vida.

Ver um filme (ou uma peça de teatro) estrelado pelo Zé Victor é sempre um prazer diferente para mim. Primeiro porque realmente sei do talento (notadamente cômico) dele como artista. Segundo porque faz tempos que reconheço não ter qualquer distanciamento crítico com relação às obras onde o Zé Victor trabalha.

Feito este alerta obrigatório, devo dizer que dei muita risada com o filme QUEM VAI FICAR COM MÁRIO? Trata-se de uma comédia cujo objetivo primeiro e imediato é fazer rir ao espectador. Como já disse, comigo atingiu seus objetivos. Achei a trama e os diálogos bastante engraçados e divertidos de se ver.

Uma tradicional família conservadora gaúcha (Nova Petrópolis-RS belamente fotografada) é sacudida pelo fato dos dois filhos homens serem gays que enfrentam uma grave dificuldade de revelar isto aos parentes, em especial ao patriarca (Zé Victor), o mais reacionário e tradicional de todos.

O problema se agrava porque a fábrica de cervejas que sustenta a família há décadas estar enfrentando o momento decisivo da sucessão familiar e da necessária profissionalização de sua gestão.

Mário (Daniel Rocha), o personagem título é o filho mais novo, que supostamente foi para o Rio de Janeiro fazer um MBA em administração (visando um futuro posto de gestor da empresa familiar), mas em realidade nunca fez MBA, virou escritor de musicais e que mora e é casado com um talentoso diretor de teatro (Felipe Abib). Quando volta à cidade natal para contar à família seu “segredo”, encontra todos em meio ao tsunami causado pela antecipada revelação do primogênito (Rômulo Arantes Neto) que também é gay.

O pai tem uma crise e expulsa o filho mais velho da empresa e de casa, o que somente dificulta a tarefa da Mário. Para complicar mais a situação, Mário encontra a “coach” contratada para fazer um novo plano estratégico da empresa (Letícia Lima, ótima) com quem se envolve emocionalmente.

Percebendo que alguma coisa estava indo mal no plano de Mário de “contar tudo à família”, seu companheiro vem para Nova Petrópolis, juntamente com a diva de seus musicais (Nanny People) e seus dois artistas principais. Está armado o circo para uma grande confusão. O elenco ainda tem Marco Breda, Amélia Bitencourt, Alice Borges, Nando Brandão, Victor Maia e Nicole Meire.

As piadas de duplo sentido ou a previsibilidade do final podem incomodar alguns espectadores. Eu achei tudo muito bem feito e, acima disso, divertido demais. O filme aborda temas muito atuais e relevantes como a diversidade, a presença das mulheres nas empresas, os preconceitos ainda arraigados em nossa sociedade e outros. Mas de forma que não tornem uma comédia mais pesada do ela se propunha a ser.

Fiquei muito contente em ver mais este trabalho do meu grande amigo Zé Victor. Vê-lo em uma produção deste nível, lançado pela Amazon, com co-produção da Warner e Paris Filmes, me encheu de orgulho.

Esqueça seus preconceitos no mínimo por pouco menos de duas horas e mergulhe no filme de cabeça. Tenho certeza que você vai rir muito.

The first thing I have to write about the movie WHO WILL BE WITH MARIO?, a Brazilian comedy directed by Hsu Chien (a Taiwan-born director based in Rio de Janeiro), released this week by Amazon Prime Video Brasil is that one of main actors, the gaucho Zé Victor Castiel has been one of my best friends for over 40 years. College colleagues, we established a constant and permanent friendship, with Zé Victor being an affectionate brother of my life.

Seeing a movie (or a play) starring Zé Victor is always a different pleasure for me. First because I really know about his (notably comic) talent as an artist. Second, because I have long recognized that I have no critical distance from the works where Zé Victor works.

Having done this mandatory warning, I must say that I had a lot of laughs with the movie WHO WILL BE WITH MARIO? It is a comedy whose primary and immediate objective is to make the viewer laugh. As I said, with me you reached its goals. I found the plot and dialogue quite funny and very good to watch.

A traditional conservative family from Rio Grande do Sul (Nova Petrópolis-RS, beautifully photographed) is shaken by the fact that their two sons are gay, who face a serious difficulty in revealing this to their relatives, especially to the patriarch (Ze Victor), the most reactionary and traditional of all.

The problem is aggravated because the brewery that has supported the family for decades is facing the decisive moment of family succession and the necessary professionalization of its management.

Mario (Daniel Rocha), the title character is the youngest son, who supposedly went to Rio de Janeiro to do an MBA in business (aiming for a future position as manager of the family company), but in reality he never did an MBA, he became a musical writer and lives and is married to a talented theater director (Felipe Abib). When he returns to his hometown to tell his family his “secret”, he finds everyone in the midst of the tsunami caused by the early revelation of his eldest son (Rômulo Arantes Neto) who is also gay.

The father has a crisis and throws his eldest son out of the company and out of the house, which only makes Mário’s task more difficult. To further complicate the situation, Mário finds the “coach” hired to make a new strategic plan for the company (Letícia Lima, great) with whom he becomes emotionally involved.

Realizing that something was going wrong in Mário’s plan to “tell the family everything”, his partner comes to Nova Petrópolis, along with his musical diva (Nanny People) and his two main artists. The circus is set for a big mess. The cast still has Marco Breda, Amélia Bitencourt, Alice Borges, Nando Brandão, Victor Maia and Nicole Meire.

The two-way jokes or the predictability of the ending may annoy some viewers. I thought it was all very well done and, on top of that, it was so much fun. The film addresses very current and relevant topics such as diversity, the presence of women in companies, prejudices still ingrained in our society and others. But in a way that doesn’t make a comedy heavier than it was meant to be.

I was very happy to see this work by my great friend Zé Victor. Seeing him in a production of this level, released by Amazon, co-produced by Warner and Paris Filmes, filled me with pride.

Forget your prejudices for at least a little less than two hours and immerse yourself in the movie. I’m sure you will laugh a lot.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.