THE SHARK IS BROKEN: O Filho de Robert Shaw Faz Peça Teatral Sobre a Caótica Filmagem do Clássico JAWS

O THE NEW YORK TIMES trouxe uma matéria sobre a peça de teatro THE SHARK IS BROKEN, em cartaz em Londres, desde o último 9 de outubro, com temporada que vai até 15 de janeiro no Ambassadors Theatre.

O homem por trás da peça (roteirista, criador e ator principal) é Ian Shaw, o filho do genial ator Robert Shaw, que vivia o pescador veterano Quint (morto em 1978) no mega sucesso de Steven Spielberg, JAWS.

Na época das filmagens, Ian Shaw tinha 5 anos e lembra de uma ida às filmagens, em meio ao medo de um criança em ver o Tubarão e memórias de que tudo era meio improvisado e caótico.

Liam Murray Scott faz o jovem ator Richard Dreyfuss (que brigava o tempo todo com Robert Shaw) e Demetri Goritsas vive Roy Scheider, ou o Xerife Brody.

A peça lembra que Spielberg apelidou o pessoal dos “special effects” como a turma dos “special deffects” pelas seguidas ocorrências de problemas, principalmente com os três tubarões mecânicos que seguidamente quebravam.

Aliás, a história mostra que JAWS, com restrições orçamentárias da época (Spielberg era um jovem brilhante cineasta), foi um exemplar da magia do cinema: tudo foi improvisado, houve inúmeras dificuldade e o filme saiu maravilhoso e campeão das bilheterias no mundo inteiro.

THE NEW YORK TIMES brought an article about the play THE SHARK IS BROKEN, which has been performing in London since last October 9th, with a season that runs until January 15th at the Ambassadors Theatre.

The man behind the play (Screenwriter, Creator and Lead Actor) is Ian Shaw, the son of genius actor Robert Shaw, who played veteran fisherman Quint (died 1978) in Steven Spielberg‘s mega hit JAWS.

At the time of filming, Ian Shaw was 5 years old and remembers going to the filming, amid a child’s fear of seeing Jaws and memories that everything was a bit improvised and chaotic.

Liam Murray Scott plays young actor Richard Dreyfuss (who fought with Robert Shaw all the time) and Demetri Goritsas plays Roy Scheider, or Sheriff Brody.

The play recalls that Spielberg dubbed the “special effects” folks the “special deffects” crowd because of the repeated occurrences of problems, particularly with the three mechanical sharks that would then break down.

By the way, history shows that JAWS, with budget constraints at the time (Spielberg was a brilliant but very young filmmaker), was an example of the magic of cinema: everything was improvised, there were numerous difficulties and the film came out wonderful and box office winner at whole world.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.