A RODA DO TEMPO: Série da Amazon Prime Traz Universo de Mulheres Empoderadas, Monstros e Magia

Alguém já escreveu que a super produção americana A RODA DO TEMPO (THE WHEEL OF TIME), baseada no livro de Robert Jordan – de 14 volumes – seria uma mistura entre GAME OF THRONES e O SENHOR DOS ANÉIS. Realmente, é fácil ao espectador identificar múltiplas influências destas duas obras primas cinematográficas e televisivas na trama da série de 10 capítulos (3 dos quais já disponíveis).

Em um universo fantástico, as mulheres assumiram um papel de liderança em face do fracasso masculino em evitar que o

A estrela ascendente Rosamund Pike é Moraine Dramoded, uma das AES SEDAI, mulher com poderes místicos que lidera seis jovens à liberdade indo de Dois Rios para a Torre Branca, enquanto investiga qual deles é o dragão, o ser escolhido pelo mal para viabilizar o ressurgimento do Tenebroso (the dark one).

Os jovens são duas AES Sedai Egwene (Madeleine Madden) e Nynaeve (Zöe Robbins); os meninos são Rand al Thor (Josh Stradowski), Perrin Aybara (Marcus Rutherford), Matt Cauthon (Barney Harris). O elenco ainda tem Lan Mandragoran (Daniel Henney), como o samurai auxiliar de Maraine e Logain Ablair (Alvaro Morte, o Professor de A CASA DE PAPEL).

Como são todos estes épicos fantásticos, é meio difícil entender quem é quem, entre os múltiplos grupos que circulam na história.

O mais fascinante destes primeiros episódios são as locações em paisagens deslumbrantes do interior da Eslovênia e da República Tcheca, onde a série foi filmada.

Achei as cenas de violência (principalmente nos ataques dos Trollocs, uma espécie de monstros que se alimentam de humanos) um pouco acima do razoável. Mas como a história de A RODA DO TEMPO já virou um video game de sucesso, violência faz parte do universo.

Com Moraine diz a Egwene, “você não escuta o vento, o vento é que escuta você”. Seja lá o que for que significa, ficou uma bela frase. Vou seguir vendo A RODA DO TEMPO para ver aonde vai.

Someone has already written that the American super production THE WHEEL OF TIME, based on the 14-volume book by Robert Jordan – would be a mix between GAME OF THRONES and THE LORD OF THE RINGS. Indeed, it is easy for the viewer to identify multiple influences of these two cinematographic and television masterpieces in the plot of the 9-chapter series (3 of which are already available).

In a fantastical universe, women have taken a leading role in the face of male failure to prevent the return of the Dark One.

Rising star Rosamund Pike is Moraine Dramoded, one of the AES SEDAI, a woman with mystical powers who leads six young people to freedom from Two Rivers to the White Tower, while investigating which of them is the dragon, the being chosen by evil to enable the resurgence of the dark one.

The youth are two AES Sedai Egwene (Madeleine Madden) and Nynaeve (Zöe Robbins); the boys are Rand al Thor (Josh Stradowski), Perrin Aybara (Marcus Rutherford), Matt Cauthon (Barney Harris). The cast also features Lan Mandragoran (Daniel Henney) as Maraine’s auxiliary samurai and Logain Ablair (Alvaro Morte, the MONEY HEIST Teacher).

Since all these fantastical epics are, it’s kind of hard to understand who’s who among the multiple groups that circulate in history.

The most fascinating of these early episodes are the stunning landscape locations in the interior of Slovenia and the Czech Republic, where the series was filmed.

I found the scenes of violence (mainly in the attacks of the Trollocs, a kind of monster that feed on humans) to be a bit above reasonable. But as the story of THE WHEEL OF TIME has already become a successful video game, violence is part of the universe.

With Moraine saying to Egwene, “you don’t listen to the wind, the wind listens to you”. Whatever it means, it’s a beautiful phrase. I’ll keep watching THE WHEEL OF TIME to see where it goes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.