A CIDADE PERDIDA: Ninguém Achou Onde Fica o Filme

Em 1984, o cineasta Robert Zemeckis fez uma filme de muito sucesso intitulado TUDO POR UMA ESMERALDA. Era estrelado por Kathleen Turner e Michael Douglas, uma dupla pesada do star System da época, vindos de sucessos em sequência. Turner era Joan wilder, uma escritora quarentona e solitária que fazia muito êxito com livros de aventura contando histórias de tesouros perdidos em lugares inacessíveis, por arqueólogos aventureiros e bonitões. Um dia, a irmã dela desaparece na Colômbia e ela tem que sair dos EUA rumo à selva. Lá conhece o guia e pistoleiro Jack Colton (Douglas, de cabelos loiros e compridos). O romance entre os dois preenche todas as fantasias possíveis das leitoras de Joan Wilder. Ainda tinha um baita elenco, com Danny de Vito, Zack Norman e Manuel Ojeda. O grande charme do filme é que, em momento algum, se levava a sério. Era um aventurão romântico escapista e muito bem feito.

Fui ver na NETFLIX, A CIDADE PERDIDA, de aron e Adam Nee. Sandra Bullock faz a escritora de livros de aventura Loretta Sage, uma mulher rica e solitária. A editora dela, a divertida Bett Hatten (Da’Vine Joy Randolph) contrata um ator canastrão para posar como o heróico personagem dos livros, personagem vivido pelo irregular Chaning Tatum, quase sempre sem camisa e com uma peruca loira ridícula. Os dois vão parar em meio a uma aventura completamente sem pé nem cabeça comandada por um milionário Abigail Fairfax (Daniel Radcliffe, o eterno Harry Potter parecendo meio sem rumo na carreira pós bruxinho) que parece acreditar nas histórias de Loretta.

Uma produção rica e impecável não consegue esconder as muitas falhas do roteiro. Para mim, a principal foi um preconceito explícito contra o público feminino leitor deste tipo de literatura de aventuras românticas. O filme apresenta as leitoras de Loretta como solteironas mal resolvidas e solitárias. Cabe a generalização? Acho que não.

Mas, comparando com seu antecessor ilustra, THE LOST CITY perde em todos os quesitos. Turner e Douglas dão um baile em Bullock e Tatum. Danny de Vito é perfeito no papel de vilão engraçado. Nem a cameo de Brad Pitt salva o novo filme.

Na minha opinião, THE LOST CITY ficou desinteressante. O que, para uma aventura romântica é algo próximo ao desastre.

In 1984, filmmaker Robert Zemeckis made a very successful film titled ROMANCING THE STONE. It starred Kathleen Turner and Michael Douglas, a star System heavyweight duo of the time, coming from back-to-back hits. Turner was Joan Wilder, a lonely, forty-year-old writer who was very successful with adventure books telling stories of lost treasures in inaccessible places, by adventurous and handsome archaeologists (indiana Jones was the model). One day, her sister disappears in Colombia and she has to leave the USA for the jungle. There she meets the guide and gunslinger Jack Colton (Douglas, with long blond hair). The romance between the two fulfills all possible fantasies of Joan Wilder’s readers and others. It still had a great cast, with Danny de Vito, Zack Norman and Manuel Ojeda. The great charm of the film is that, at no time, it was taken itself seriously. It was an escapist romantic adventure and very well done.

I went to see THE LOST CITY on NETFLIX by Aron and Adam Nee. Sandra Bullock plays adventure writer Loretta Sage, a wealthy and lonely woman. Her editor, the fun-loving Bett Hatten (Da’Vine Joy Randolph) hires a bad actor to pose as the heroic character in the books, a role played by the irregular Channing Tatum, almost always shirtless and wearing a ridiculous blonde wig. The two end up in the middle of a completely pointless adventure led by a millionaire Abigail Fairfax (Daniel Radcliffe, the eternal Harry Potter looking a little aimless in his post wizard career) who seems to believe in Loretta’s stories.

A rich and impeccable production cannot hide the script’s many flaws. For me, the main one was an explicit prejudice against the female readership of this type of romantic adventure literature. The film presents Loretta’s readers as unresolved and lonely. Is it possible to generalize? I don’t think so.

But compared to its predecessor illustrates, THE LOST CITY loses out on all counts. Turner and Douglas give Bullock and Tatum a dance. Danny de Vito is perfect in the role of the funny villain. Not even Brad Pitt‘s cameo saves the new movie.

In my opinion, THE LOST CITY has become uninteresting. Which, for a romantic fling, is something close to disaster.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s