Filme de ficção cientifica pura, o sujeito ama ou odeia. EX-MACHINA: INSTINTO ARTIFICIAL, de Alex Garland (2015) tem habitado várias listas de melhores do ano do hemisfério norte. Não sei se foi para tanto, mas que o filme tem ideias arrojadas, visual arrebatador e uma historia de prender o folego, isto tem. Um programador nerd é sorteado em uma espécie de loteria de uma grande corporação tipo Apple, para passar uma semana na mansão retirada do CEO de sua empresa, como o sortudo que vai participar de um super teste sobre inteligência artificial. Era tudo aquilo e muito mais, mas ao mesmo tempo não era nada daquilo. O elenco tem a super gatinha Alicia Vikander, uma das novas caras de Hollywood que promete estourar nos próximos anos como megastar. Bebendo na fonte de 2001, Iluminado e outros menos votados, Ex-Machina resolve bem suas próprias armadilhas de roteiro e arrebata o espectador até o final. De quebra, traz temas pra lá de modernos como dependência exagerada da tecnologia, ambição desenfreada, manipulações e, claro, sentido da vida. Chega? Para quem gosta de ficção cientifica, um prato cheio.