Resgatei no Google a critica de Luiz Carlos Merten sobre o filme MENINA DE OURO (MILLION DOLAR BABY), de Clint Eastwood, que considero uma das melhores que ja li.

Veja o link:

http://www.folhadaregiao.com.br/jornal/2005/04/08/cad201.php

Destaco entre trecho:

“Freeman narra a história e sua voz é um dos mistérios de “Menina de Ouro”. Há uma musicalidade compassada e triste nas entonações com que ele narra. O cinema, em geral, parte do exterior para chegar ao interior.

Grandes diretores – Michelangelo Antonioni, Alain Resnais – dinamitaram convenções e fronteiras narrativas para colocar na tela a dimensão interiorizada e psicológica dos personagens, buscando inspiração nos ficcionistas que fundaram o romance experimental moderno, no começo do século passado, investigando os chamados “fluxos de consciência”.

Virginia Woolf, James Joyce, Marcel Proust, Italo Svevo. O narrador faz de “Menina de Ouro” uma rara experiência de arte e vida.”

Totalmente demais!