Em uma das Mostras Internacionais de Cinema de Porto Alegre, com um grande esforço, conseguimos trazer a Porto Alegre, uma copia do filme uruguaio MATARAN A VENANCIO FLORES, longa metragem dirigido por Juan Carlos Rodriguez Castro. Era a primeira vez que um longa metragem uruguaio seria exibido em Porto Alegre. Ocorre que a copia chegou em Porto Alegre em uma quinta feira e não daria tempo de ser exibida para o serviço de censura a tempo de ser liberada para a sessão do final de semana. Fizemos todos os apelos ao pessoal da censura e não tivemos êxito. A única solução seria conseguir uma copia da liberação da exibição ocorrida na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo no ano anterior. Fiz então uma ligação para o Departamento de Censura em Brasília, em um intervalo do trabalho, ao meio-dia, e sou atendido por uma voz feminina, muito simpática, depois de vários toques do telefone.

“Departamento de Censura. Em que podemos ajudá-lo?”

Expliquei do que se tratava e a pessoa anotou minuciosamente a situação, pedindo detalhes e prometendo se empenhar para me ajudar.

Fiz um apelo da urgência porque já era sexta feira e tínhamos apenas aquela tarde para ter a liberação.

Ela disse que faria todo o possível.

Quando cheguei em meu trabalho, já havia um recado do Chefe da Censura no RS, Professor Joao Bispo da Hora.

Liguei para ele e recebi duas noticias: eu tinha falado com a todo poderosa da Censura no Brasil, a temida Solange Teixeira Hernandes, Diretora Geral do Departamento em Brasília e ela tinha ligado a ele mandando liberar imediatamente a exibição.

Conseguimos passar o filme.

Ainda bem que tudo aquilo ficou para trás…

 

In one of the Porto Alegre International Film Festival, with great effort, we managed to bring to Porto Alegre, a copy of the film Uruguayan MATARAN A VENANCIO FLORES, feature film directed by Juan Carlos Rodriguez Castro. It was the first time a feature Uruguayan film would be screened in Porto Alegre. It happens that the copy arrived in Porto Alegre on a Thursday and would not give time to be displayed for the censorship service in time to be released for the weekend session. We all appeals to the staff of censorship and we did not succeed. The only solution would be to get a copy of the release of the exhibition that took place in São Paulo International Film Festival last year. So I made a call to the Department of Censorship in Brasilia, in a break from work at noon, and I am answered by a female voice, very friendly, after several phone tones.

“Censorship Department. How can we help you? ”

I explained what it was and the person carefully noted the situation, asking for details and promising to commit to help me.

I made an urgent appeal because it was Friday and we had just that afternoon to have the release.

She said she would do everything possible.

When I got my job, there was already a message from the RS Censorship Boss in RS Professor Joao Bispo da Hora.

I called him and received two news: I had spoken to General Director of all Censorship in Brazil, the powerfull Solange Teixeira Hernandes, and she determine the immediately release of the exibition.

We managed to pass the film.

Thankfully, everything like this stay in the past …