Muitas vezes é o nome de um ator ou uma atriz que decide que você vai ver um filme. JANE GOT A GUN (2016), de Gavin O’Connor traz como sua grande atração, ter como protagonista a sempre excelente Natalie Portman.

Esta israelense de 35 anos tem uma carreira impressionante, já tendo sido Produtora de 12 filmes, entre os quais este western e Diretora de 3 filmes, entre os quais um episódio de NEW YORK, EU TE AMO e o aguardado A TALE OF LOVE AND DARKNESS.

O filme em que foi mais premiada foi O CISNE NEGRO (2010), de Darren Aronofsky, trabalho pelo qual ganhou o Oscar de Melhor Atriz, o Globo de Ouro, o BAFTA, e um SATURN.

Aqui ela vive Jane, uma mulher que mora no Novo México e vê seu marido alvejado e marcado para morrer por uma gang, os Bishop Boys, liderados por Ewan McGregor.

Ela então se vê obrigada a recorrer a seu antigo amor, o desiludido Dan Frost (Joel Edgerton).

JANE GOT A GUN foi filmado em 2013 e teve muitos problemas, como a troca de diretores, elenco e finalmente chega para ser distribuído em cinemas e serviços on line de streaming.

O western é um gênero que tem seu código de honra e seus personagens e temas clássicos.

Muitos deles estão em JANE GOT A GUN, para a satisfação de seus espectadores.

Ver um western em que a protagonista é uma mulher esta longe de ser inédito (lembre-se o ótimo RAPIDA E MORTAL, de Sam Raimi, com Sharon Stone), mas pode-se caracterizar como pouco usual, ainda mais atualmente, onde os próprios westerns rareiam.

Na minha opinião, os problemas de produção do filme são plenamente perceptíveis, por exemplo, no pequeno aproveitamento do ótimo Ewan McGregor.

Mas feito o balanço de pontos positivos e negativos, JANE GOT A GUN, deixa muita coisa boa a ser vista, seja por sua talentosa atriz, seja pela fotografia deslumbrante da australiana Mandy Walker, outra coisa comum em grandes filmes de western.

Quem der uma chance a Jane, vai gostar de sua luta pelo que acredita.

 

It is often the name of an actor or actress who imposes that you will see a movie. JANE GOT A GUN (2016), by Gavin O’Connor has as its major attraction, its protagonist the always-great Natalie Portman.

This Israeli, 35 years old, has an impressive career, having been producer of 12 films, including this western and Director of 3 films, including an episode of NEW YORK, I LOVE YOU and the long-awaited A TALE OF LOVE AND DARKNESS .

The film which was most awarded was BLACK SWAN (2010), by Darren Aronofsky, work for which she won the Oscar for Best Actress, a Golden Globe, a BAFTA, and SATURN.

Here she is Jane, a woman who lives in New Mexico and sees her husband shot and marked for death by a gang, the Bishop Boys, led by Ewan McGregor.

She then is forced to recur to his old love, the disillusioned Dan Frost (Joel Edgerton).

JANE GOT A GUN was filmed in 2013 and had many problems, such as the exchange of directors, cast and finally comes to be distributed in cinemas and services for on line streaming.

The western is a genre that has its honor code and its characters and classic themes.

Many of them are in JANE GOT A GUN, for the satisfaction of its viewers.

See a western in which the protagonist is a woman is far from unprecedented (remember the great THE QUICK AND THE DEAD, by Sam Raimi, with Sharon Stone), but can be characterized as unusual, even today, where westerns themselves are rare.

In my opinion, the film production problems are fully apparent, for example, in the small use of Ewan McGregor.

But made the balance between positive and negative points, JANE GOT A GUN, leaves a lot of good to be seen either on his talented actress, or the stunning photography Australian Mandy Walker, another common thing in great western movies.

Whoever gives a chance to Jane, will enjoy her fight for what she believes.