OPERAÇÕES ESPECIAIS(2014), de Tomas Portella é um filme fraco por varias razoes.

O material que “vende” o filme no NETFLIX esta muito bem feito, prometendo um filme de ação nacional bem acabado.

A produção realmente tem um nível muito bom, dando credibilidade as cenas de tiroteios e perseguições.

Nada que chegue ao nível dos excelentes CIDADE DE DEUS ou TROPA DE ELITE.

O roteiro do filme muitas vezes oscila entre o drama policial (gênero “oficial” do filme) e algumas cenas de humor involuntário que não servem senão para desqualificar o produto final.

Nesta linha, a atriz Cléo Pires, embora seu esforço notável, revela muita dificuldade em compor o personagem de Francis, em seu processo de crescimento como policial e como cidadã consciente do cenário politico em que se move.

Na minha opinião, precisava uma atriz com maior recurso dramático para dar credibilidade a esta complexa transformação.

Acho que o filme perdeu a oportunidade de criar uma grande personagem de uma policial mulher em nossa cinematografia. Ficou devendo.

Outro ponto em que o roteiro peca muito é a facilidade com que se vai prevendo a próxima cena, um erro fatal para um thriller policial. Obviedades são quase sempre o cemitério de um filme policial.

Finalmente, outro grave problema, também bastante comum em nosso cinema, é a extrema ruindade de certos atores coadjuvantes ou quase figurantes, mas cujas atuações dão um ar de amadorismo inaceitável ao filme.

Faltou muito para ser o filme que prometia ser.

 

SPECIAL OPERATIONS (2014), by Tomas Portella is a weak film for several reasons.

The material that “sells” the film in NETFLIX is very well done, promising a Brazilian action movie very well produced.

The production actually has a very good level, giving credibility to scenes of shootings and persecution.

Nothing gets to the level of the greats CITY OF GOD, by Fernando Meireles or ELITE SQUAD, by Jose Padilha.

The script of the film often oscillates between police drama (“official” film class) and some scenes of involuntary humor that do not serve to anything except to disqualify the final product.

In this line, the actress Cléo Pires, although her remarkable effort, reveals a hard time composing Francis, a character in their growth process as a police officer and as a conscious citizen of the political scenario in which she moves.

In my opinion, it was needed an actress with more dramatic talent to give credibility to this complex transformation.

I think the movie missed the opportunity to create a great character of a police woman in our cinematography.

Another point where the script is a mistake is that we very easily predict the next scene, a fatal error for a police thriller. Truisms are often the cemetery of a thriller.

Finally, another serious problem also quite common in our cinema, is the extreme badness of certain supporting or nearly extras actors but whose performances give an air of amateurism unacceptable to the film.

The film lacked a lot to be the film that promised to be.