DE PALMA (2015), de Noah Baumbach e Joel Paltrow é um excelente documentário sobre a vida e, principalmente a carreira, de Brian de Palma.

Brian de Palma sempre foi um dos meus cineastas favoritos, não somente por sua notória inspiração em Alfred Hitchcock, mas porque sempre vi em seus filmes uma ousadia pouco comum no mainstream do cinema americano.

Claro que, por diversas vezes, também em minha opinião, ele errou a mão feio, como em A FURIA ou SÍNDROME DE CAIN ou FOGUEIRA DAS VAIDADES.

O curioso deste documentário – quase um bate-papo como o septuagenário De Palma – é que ele mesmo admite tudo o que deu errado em vários de seus filmes, sem qualquer vergonha.

Outro ponto mais do que fascinante deste documentário é ver o relacionamento de parceria entre os grandes cineastas americanos dos anos 70 e 80: George Lucas, Steven Spielberg, Martin Scorsese, Francis Coppola e Brian de Palma trocavam informações, roteiros e atores, como amigos trocavam figurinhas de um álbum.

Meus filmes favoritos da filmografia de De Palma: TRAGICA OBSSESSAO, VESTIDA PARA MATAR, OS INTOCAVEIS e DUBLE DE CORPO.

Sexo e violência, mas muita criatividade e inteligência deste cineasta americano top de linha.

 

DE PALMA (2015), by Noah Baumbach and Joel Paltrow is an excellent documentary on the life and especially the career of Brian de Palma.

Brian de Palma has always been one of my favorite filmmakers, not only by his notorious inspiration in Alfred Hitchcock, but because I always saw in his films an unusual creativity, bigger than in the American mainstream cinema.

Of course, several times, also in my opinion, he missed the hand, as in THE FURY or THE CAIN SYNDROME or even in BONFIRE OF THE VANITIES.

The curious of this documentary – almost a chat with a like septuagenarian De Palma – is that he admits everything that went wrong in several of his films, without any shame.

Another point more than fascinating of this documentar, is to see the relationship between the great American filmmakers of the 70s and 80s: George Lucas, Steven Spielberg, Martin Scorsese, Francis Coppola and Brian De Palma exchanged information, scripts and actors, as friends exchanged chromes of an album.

My favorite films of De Palma’s filmography: OBSSESSION, DRESSED TO KILL, THE UNTOUCHABLES and BODY DOUBLE.

Sex and violence, but a lot of creativity and intelligence of this American filmmaker top of line.