Certamente dois episódios sao muito pouco para se avaliar uma série, mas já dá para dizer que CONVICTION iniciou bastante bem.

A filha de um ex-Presidente Americano, formada em Direito em Harvard com destaque, toma um desvio na vida e passa a contestar a família e, principalmente, a mãe, candidata a Senadora.

Em meio a tudo isto, um Promotor Público com muitas ambições políticas resolve instituir uma comissão para reavaliar antigos casos de presos que alegam inocência e coloca a referida advogada como chefe, absolutamente contra a vontade dela.

O enredo pode parecer meio sem pé nem cabeça, mas a verdade é que os diálogos bastante afiados e bem escritos se tornaram a atração principal destes dois primeiros capítulos.

Hayley Atwell, a Peggy Carter dos filmes CAPITÃO AMÉRICA e OS VINGADORES é suficientemente bonita e interessante para prender a atenção como protagonista, ajudada por cenas realmente deslumbrantes de Manhattan, onde a história se passa.

Não sei se CONVICTION vai prosperar, mas já posso dizer que o início indica que sim.

 

Certainly two episodes are very little to evaluate a TV Series, but we can already say that CONVICTION started quite well.

The daughter of a former US President, graduated in law at Harvard, takes a detour in life and begins to challenge the family and especially her mother, candidate for Senator.

Amid all this, a Public Prosecutor with many political ambitions resolves to establish a committee to reexamine old cases of prisoners who claim innocence and places such as head lawyer, absolutely against her will.

The plot may seem a no rhyme or reason, but the truth is that the very sharp and well written dialogues have become the main attraction of these first two chapters.

Hayley Atwell,  the Peggy Carter from the movies CAPTAIN AMERICA and THE AVENGERS is pretty enough to hold the attention as the protagonist, aided by truly stunning scenes of Manhattan, where the story goes on.

I do not know if CONVICTION will thrive, but I can say that the beginning would appear so.