THE POST – A GUERRA SECRETA, de Steven Spielberg éum filme que tem todos os elementos de excelência de uma produção top de linha. História interessante e muito bem narrada, elenco superior, fotografia e música de primeira, montagem para deixar o espectador sem respirar e um diretor que, aos 71 anos, segue fazendo com um talento único o que ama fazer na vida, filmes com conteúdo e emoção.

Há poucas semanas atrás, levei um choque quando vi que Spielberg – que iniciei a admirar como o Garoto Prodígio de Hollywood autor de TUBARÃO, aos 21 anos – estava fazendo 71 anos. Quantos filmes maravilhosos ele nos deu nesta carreira: E.T., CAÇADORES DA ARCA PERDIDA, IMPÉRIO DO SOL, A LISTA DE SCHINDLER, CAVALO DE GUERRA, A COR PURPURA.

THE POST ganha lugar nesta lista, ao contar a luta do jornal THE WASHINGTON POST para divulgar documentos secretos do governo norte-americano que revelavam a verdadeira história do que estava ocorrendo na Guerra do Vietnam, extamente o oposto do que o Governo Nixon publicava.

Claro que, dentro desta história por si só já de grande significado, Spielberg insere uma série de outros temas caros à sua cinematografia, como o papel da mulher no mundo, a lealdade e os que pulam fora muito rápido quando a coisa aperta, o papel essencial da liberdade de expressão, e muitos outros.

Acho que o diferencial dos grandes filmes de Spielberg segue sendo sua capacidade única de inserir emoção nos momentos chave de cada obra. Ele é meste nisto.

Uma palavra sobre Meryl Streep. Que ela é uma atriz monstruosa, todo mundo já sabe. O que fica difícil entender é como ela consegue, a cada trabalho, se renovar e ccolocar esta emoção ímpar para viver cada personagem como se fosse o único. Incrível!

Por todas estas razões, THE POST é um filme que deve ser visto. Um dos melhores de 2017.

 

THE POST, by Steven Spielberg’s is a film that has all the elements of excellence of top-of-the-line production. Interesting story very well narrated, superior cast, photography and music of first level, assembly to leave the spectator without breathing and a director who, at age 71, continues making with a unique talent what he loves to do in his life, movies with content and emotion .

A few weeks ago, I was shocked when I saw that Spielberg – who  I began to admire as the Hollywood Golden Boy author of JAWS at age 21 – was turning 71. How many wonderful films he gave us in this career: E.T., RAIDERS OF THE LOST ARK, EMPIRE OF THE SUN, SCHINDLER’S LIST, WAR HORSE, THE COLOR PURPLE.

THE POST takes its place in this list by telling the fight of the Newspaper The WASHINGTON POST to reveal US government secret documents that have the true story of what was happening in the Vietnam War, the exact opposite of what the Nixon Government was publishing.

Of course, within this story by itself already of great significance, Spielberg inserts a number of other themes dear to his cinematography, such as the role of women in the world, loyalty and those who jump out very fast when the thing tightens, the role freedom of speech, and many others.

I think the difference between Spielberg’s great films remains his unique ability to insert emotion in the key moments of each work. He is a master in do it.

A word about Meryl Streep. That she’s a monstrous actress, everyone already knows. What is difficult to understand is how she can, with each job, renew herself and put this unique emotion to live each character as if it were the only one. Amazing!

For all these reasons, THE POST is a film that must be seen. One of the best of 2017.