ROBIN HOOD: A ORIGEM – Provavelmente a Pior Versão no Cinema da História do Arqueiro Ladrão que Lutava contra a Tirania

ROBIN HOOD, A ORIGEM entrou em dez das dez listas de piores filmes de 2018 feitas na imprensa americana. Fiquei curioso de ver como um filme com tantos recursos de produção e um elenco cheio de estrelas teria saído tão ruim.

O diretor inglês de séries de TV Otto Bathurst errou feio ao tentar inovar na história do jovem nobre inglês que, voltando das Cruzadas, se depara com uma tirania instalada em Nottingham e resolve lutar como um fora da lei, defensor dos fracos e oprimidos.

Há pelo menos três versões excelentes da história de Robin Hood no cinema. A melhor de todas é, fácil, AS AVENTURAS DE ROBIN HOOD, de Michael Curtiz, com Errol Flyenn e Olivia de Havilland. Uma verdadeira obra prima do cinema de aventura. Gosto muito de ROBIN HOOD, O PRÍNCIPE DOS LADRÕES, com Kevin Costner, Mary Elizebth Mastrantonio, Allan Rickmann e Morgan Freeman, de 1991, dirigido por Kevin Reynolds. E ainda merece uma citação muito elogiosa, o ROBIN HOOD, de Ridley Scott (2010), com Russell Crowe e Cate Blanchett.

Logo, a tarefa a que se propôs Otto Bathurst era árdua e difícil. Iniciou bem, selecionando um elenco de atores bastante interessante. O jovem ascendente inglês Taron Eggerton (KINGSMAN) fica muito atrás de seus predecessores como o Robin Loxley. A irlandesa linda Eve Hewson (A PONTE DOS ESPIÕES e PAPILLON) é a mais fraca das Lady Marians do cinema, todas atrizes de grande peso. Ainda tem o incensado Jamie Dorman(THE FALL), Jammie Foxx, F.Murray Abraham e o australiano Ben Mendelsohn (ROGUE ONE).

Os recursos de produção do filme são impressionantes, gerando cenas (muitas em câmera lenta) realmente gráficas e excitantes pelo visual.

Mas tudo isto cai por terra em um roteiro fraco e cheio de furos, com um erro grave que foi sempre estar preparando novos capítulos de uma pretensa franquia. Não funcionou nem um pouco. O filme fracassou nas bilheterias, foi massacrado pela crítica e deve ser enterrado na pasta dos maus filmes.

Coitado do Robin Hood. Sua inspiradora história mereceia coisa muito melhor. Fique com os clássicos sobre o herói que roubava dos ricos para dar aos pobres.

ROBIN HOOD has entered ten of the ten lists of the worst films of 2018 made by the American press. I was curious to see how a film with so many production features and a star-studded cast would have gone so bad.

The English TV series director Otto Bathurst made a bad move by trying to innovate in the story of the young English nobleman who, coming back from the Crusades, is faced with a tyranny in Nottingham and decides to fight as an outlaw, defender of the weak and oppressed.

There are at least three excellent versions of Robin Hood’s story in the movies. The best of all is, easy, THE ADVENTURES OF ROBIN HOOD, by Michael Curtiz, with Errol Flynn and Olivia de Havilland. A true masterpiece of adventure cinema. I really like ROBIN HOOD, THE PRINCE OF THE THIEVES, with Kevin Costner, Mary Elizabeth Mastrantonio, Allan Rickmann and Morgan Freeman, directed by Kevin Reynolds. And it still deserves a very complimentary quote, Ridley Scott‘s ROBIN HOOD (2010) with Russell Crowe and Cate Blanchett.

So Otto Bathurst‘s task was arduous and difficult. He started well, selecting a rather interesting cast of actors. The young English ascendant Taron Eggerton (KINGSMAN) lags far behind his predecessors like Robin Loxley. The beautiful Irish actress Eve Hewson (THE BRIDGE OF SPIES and PAPILLON) is the weakest of the Lady Marians of the cinema, all actresses of great weight. Jamie Dorman (THE FALL), Jammie Foxx, F.Murray Abraham and the Australian Ben Mendelsohn (STAR WARS: ROGUE ONE) are the cast.

The film’s production capabilities are impressive, generating scenes (many in slow motion) that are really graphic and eye-catching.

But all of this falls apart in a faint script filled with holes, with a serious error that has always been preparing new chapters of a so-called franchise. It did not work at all. The film failed at the box office, was massacred by critics and should be buried in the folder of bad films.

Poor Robin Hood. His inspiring story deserves much better. Stick with the classics about the hero who robbed the rich to give to the poor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s