WETLANDS: Drama Noir Enfoca os Perdedores que Fogem e os que Lutam

WETLANDS, do cineasta, produtor e roteirista italiano Emanuele della Valle é um filme de estreia altamente promissor. Americano por adoção, ele tem no currículo várias produções de anúncios, cita suas inspirações entre Brian de Palma e James Ellroy e tem entre seus filmes favoritos O FRANCO ATIRADOR, de Michael Cimino, TAXI DRIVER, de Martin Scorsese, A ÚLTIMA SESSÃO DE CINEMA, de Peter Bogdanovich e ORDINARY PEOPLE, de Robert Redford. Belas inspirações.

Aqui – no filme disponível na AMAZON PRIME VIDEO – ele focaliza a vida de vários perdedores que, como diz o slogan do filme, fogem da vida numa Atlantic City decadente e isolada. Chega à cidade um ex-detetive de Nova Iorque que deixou a polícia depois do sumiço de um traficante que era seu informante e um vício em heroína que quase lhe matou e afastou sua ex-mulher e filha (que vieram para a cidade).

O protagonista do filme é o ótimo ator inglês Adewale Akinnuoye-Agbaje, que iniciou sua carreira como modelo em Milão e é formado em Direito pela Universidade de King’s College, em Londres. Poliglota (fala sete idiomas), ele apareceu para o mundo em seu premiado trabalho na série LOST. Atuou nas séries OZ e GAME OF THRONES e nos filmes CONGO e THOR – O MUNDO SOMBRIO. Aqui ele vive o policial Babel (a mãe era muito religiosa) que busca uma segunda chance na vida voltando a trabalhar em Atlantic City e querendo reconquistar a filha e a esposa (hoje morando com uma traficante bissexual).

Os tipos humanos que o filme mostra são exemplares: uma apresentadora de TV que podia estar em Nova Iorque, mas optou por ficar casada com um ex-quarterback universitário, hoje um decadente policial alcoólatra e viciado em jogos; um chefe de polícia que vive de pequenos conchavos com traficantes de segunda linha; uma traficante homossexual que tem uma loja de surfe e aumenta a renda com venda de drogas; um junkie que vive na rua e serve de informante para policiais e bandidos.

É nesta galeria de loosers que BABEL vai tentar reconstruir sua vida, agora que está há um ano de “cara limpa”. “Você é o primeiro policial que meu marido traz para jantar e que não é alcoólatra.” A situação fica mais complexa quando ocrre um assassinato na cidade e surgem indícios que implicam Babel como suspeito.

O elenco é ótimo. A americana Heather Graham já teve dias melhores, mas sempre é uma atriz que vale a pena seguir. Jennifer Ehle, maravilhosa atriz de A HORA MAIS ESCURA e O GÊNIO E O LOUCO faz uma jornalista frustrada e competente, cheia de sonhos interrompidos e valores a serem testados. Christopher McDonald, de THELMA E LOUISE e QUIZSHOW faz o policial parceiro de Babel. E o inglês Jake Weber faz o policial encarregado de investigar Babel.

O filme jamais faz concessões a cenas espetaculares ou perseguições de carro, tão ao gosto do cinema americano. Seu cenário é desolador, as pessoas desanimadas e as situações tristes e desesperançadas. As coisas só fazem piorar.

Haverá chance de recuperação para Babel? Ele voltará a se relacionar com a filha? Como ficarão sua vida profissional e pessoal? Ele voltará às drogas? O cineasta della Valle surpreende com um filme maduro, adulto e pleno de subtextos e diálogos interessantes.

WETLANDS se inscreve como um ótimo filme no gênero noir. Vale muito a pena ver. apesar do desencanto permanente sobre personagens e histórias.

WETLANDS, by Italian filmmaker, producer and screenwriter Emanuele della Valle is a highly promising debut film. American by adoption, he has several ad productions on his resume, mentions his inspirations between Brian de Palma and James Ellroy, and has among his favorite films Michael Cimino‘s THE DEER HUNTER, Martin Scorsese‘s TAXI DRIVER, THE LAST PICTURE SHOW, by Peter Bogdanovich and Robert Redford‘s ORDINARY PEOPLE. Beautiful inspirations.

Here he focuses on the lives of several losers who, as the film’s slogan says, flee from life in a decaying and isolated Atlantic City. A former New York detective arrives in the city. He left the NYPD after the disappearance of a trafficker who was his informant and a heroin addiction that nearly killed him and drove away his ex-wife and daughter (who came to the city).

The protagonist of the film is the great English actor Adewale Akinnuoye-Agbaje, who began his modeling career in Milan and holds a law degree from the King’s College in London. Polyglot (speaks seven languages), he has appeared to the world in his award-winning work on the LOST series. Acted in the series OZ and GAME OF THRONES and in the films CONGO and THOR. Here he lives policeman Babel (his mother was very religious) who seeks a second chance in life by returning to work in Atlantic City and wanting to win back his daughter and wife (now living with a bisexual trafficker).

The human types the film shows are exemplary: a TV host who might have been in New York but chose to be married to a former college quarterback, now a decadent alcoholic and gambling addict cop; a police chief who lives on small coups with second-line traffickers; a homosexual trafficker who owns a surf shop and raises income from drug sales; a junkie who lives on the street and serves as an informant for cops and bandits.

It is in this gallery of loosers that BABEL will try to rebuild his life, now that he has been a year of “clean face”. “You’re the first cop my husband brings to dinner and you’re not an alcoholic.” The situation gets more complex when a murder occurs in the city and there is evidence that implicates Babel as a suspect.

The cast is great. American Heather Graham has had better days, but she’s always a worthy actress to follow. Jennifer Ehle, wonderful actress of ZERO DARK THIRTY and THE PROFESSOR AND THE MADMAN makes a frustrated and competent journalist full of broken dreams and values ​​to be tested. Christopher McDonald from THELMA AND LOUISE and QUIZSHOW plays Babel’s partner cop. And the Englishman Jake Weber makes the police officer in charge of investigating Babel.

The film never makes concessions to spectacular scenes or car chases, so much to the liking of American cinema. Its scenario is bleak, the people discouraged and the situations sad and hopeless. Things just make it worse.

Is there a chance of recovery for Babel? Will he relate to his daughter again? What will your professional and personal life look like? Will he go back to drugs? The filmmaker della Valle surprises with a mature, adult film full of interesting subtexts and dialogues.

WETLANDS is a great movie in the noir genre. Very worth seeing, despite permanent disenchantment about characters and stories.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s