PULP FICTION – TEMPO DE VIOLÊNCIA: Quentin Tarantino, um Cineasta Para Lá de Original Já em 1994

Em 1994, o mundo do cinema foi sacudido pelo Festival de Cannes dar a Palma de Ouro para o filme PULP FICTION do jovem diretor Quentin Tarantino, um filme que trouxe às telas o universo da literatura policial mais popular, caracterizada por tipos do submundo, crimes violentos, tiroteios e mulheres fatais.

PULP FICTION tem um incível cartel de premiações: ganhou um Oscar (Roteiro Original) em suas 7 indicações, um Globo de Ouro, Um BAFTA, um David di Donatello, foi indicado ao César. Ganhou 69 prêmios e teve outras 79 indicações.

Na minha opinião ainda é o melhor filme de Quentin Tarantino. E olha que ele fez KILL BILL, BASTARDOS INGLORIOS, DJANGO LIVRE, OS OITO ODIADOS e ERA UMA VEZ EM HOLLYWOOD.

PULP FICTION deixou todo mundo de queixo caído por seu roteiro desconcertante (por exemplo é incrível que Tarantino tenha escrito o Salmo bíblico recitado pelo pistolerio maluco Samuel L. Jackson), por personagens maravilhosos, por ressucitar John Travolta para o cinema, por cenas espetaculares, por uma trilha sonora antológica e por um elenco soberbo (Uma Thurmann, Ving Rhames, Bruce Willis, Rossana Arquete, Tim Roth, Steve Buscemi e muitos outros).

A estilização da violência (assinatura de Tarantino) igualmente apareceu em PULP FICTION de forma ainda mais contundente que em CÃES DE ALUGUEL, seu primeiro filme como diretor.

Tarantino é uma persona do mundo do cinema. Cinéfilo confesso, ele também aparece por divulgar a obra de colegas que dificilmente seriam conhecidos, como disse o Oscarizado Sul Coreano Bong Joon Ho neste domingo.

PULP FICTION sempre vale a pena ver ou rever. É um filme excepcional.

In 1994, the world of cinema was shaken by the Cannes Film Festival giving the Palme d’Or to the film PULP FICTION by young director Quentin Tarantino, a film that brought to the screen the universe of the most popular police literature, characterized by underworld types, crimes violence, shootings and fatal women.

PULP FICTION has an incredible prize cartel: it won an Oscar (Original Screenplay) in its 7 nominations, a Golden Globe, a BAFTA, a David di Donatello, and was nominated for Cesar. It won 69 awards and had another 79 nominations.

In my opinion it is still the best Quentin Tarantino film. And look, he made KILL BILL, INGLORIOUS BASTERDS, DJANGO UNCHAINED, THE HATEFULL EIGTH, ONDE UPON A TIME…IN HOLLYWOOD.

PULP FICTION stunned everyone for his disconcerting script (for example it’s amazing that Tarantino wrote the biblical Psalm recited by the crazy pistolerio Samuel L. Jackson), for wonderful characters, for resurrecting John Travolta to the cinema, for spectacular scenes, an anthological soundtrack and a superb cast (Uma Thurmann, Ving Rhames, Bruce Willis, Rossana Arquete, Tim Roth, Steve Buscemi and many others).

The stylization of violence (Tarantino’s signature) also appeared in PULP FICTION even more forcefully than in RESERVOIR DOGS, his first film as a director.

Tarantino is a persona in the world of cinema. A true film buff, he also appears for publicizing the work of colleagues who would hardly be known, as Oscar South Korea Bong Joon Ho said on Sunday.

PULP FICTION is always worth seeing or reviewing. It is an exceptional film.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.