ACOSSADO, 60 Anos: Nada Pode Ser Mais Inovador (e Cool)

Em 16 de março de 1960, o filme A BOUT DE SOUFFLE (BREATHLESS ou ACOSSADO), de Jean Luc Godard foi lançado em Paris. O movimento da Nouvelle Vague já tinha sido inaugurado pelo extraordinário filme de François Truffaut, OS INCOMPREENDIDOS (LES 400 COUPS), lançado em maio de 1959 (mês do meu nascimento).

ACOSSADO é um dos filmes mais inovadores da história do cinema. Narra a história de um pequeno marginal Michel Poiccard (Jean Paul Belmondo, inesquecível) rouba um carro e, na fuga, acidentalmente mata um policial que lhe para.

Inicia uma fuga sem fim, onde conhece uma jovem americana que estuda jornalismo em Sorbonne, Patricia Franchini (memorável atuação de Jean Seberg, linda e inspirada), com quem inicia uma relação amorosa rica, tumultuada e perigosa.

Jean-Luc Godard, um parisiense então com 30 anos, filmou o roteiro escrito por seu amigo e colega de crítica de cinema François Truffaut, uma brilhante história de amor sob o manto de um thriller. Godard e Truffaut eram cineclubistas que faziam a revista Revue du Cinema, depois Cahiers du Cinema, a mais famosa e respeitada revista de cinema do mundo.

Dois destaques do filme: as inúmeras menções a filmes (pela paixão ao cinema dividida entre os dois amantes) e a aparição do diretor Jean-Luc Godard, ao estilo de seu ídolo Alfred Hitchcock.

Na década de 80, ACOSSADO ganhou uma brilhante homenagem (muito mais que uma refilmagem) feita pelo cineasta americano Jim McBride, com Richard gere e Valerie Kaprisky, ao som de uma trilha sonora magnífica de Jack Nitzsche e do “killer” Jerry Lee Lewis.

ACOSSADO é um filme extraordinário. As inovações narrativas e cinematográficas que introduziu marcaram época. Trata-se de uma das obras primas inquestionáveis do cinema.

On March 16th, 1960, the film A BOUT DE SOUFFLE (BREATHLESS), by Jean Luc Godard was released in Paris. The Nouvelle Vague movement had already been inaugurated by François Truffaut‘s extraordinary film LES 400 COUPS, released in May 1959 (my birth month).

BREATHLESS is one of the most innovative films in the history of cinema. It tells the story of a small marginal Michel Poiccard (Jean Paul Belmondo, unforgettable) steals a car and, on the run, accidentally kills a police officer who stops him.

He begins an endless escape, where he meets a young American woman who studies journalism in Sorbonne, Patricia Franchini (a memorable performance by Jean Seberg, beautiful and inspired), with whom she begins a rich, tumultuous and dangerous love relationship.

Jean-Luc Godard, a Parisian then 30, filmed the script written by his friend and fellow film critic François Truffaut, a brilliant love story under the cover of a thriller. Godard and Truffaut were film clubs members that made Revue du Cinema, then Cahiers du Cinema, the most famous and respected cinema magazine in the world.

Two highlights of the film: the numerous mentions of films (for the passion for cinema shared between the two lovers) and the appearance of director Jean-Luc Godard, in the style of his idol Alfred Hitchcock.

In the 80’s, BREATHLESS had a brilliant tribute (much more than a remake) made by American filmmaker Jim McBride, with Richard Gere and Valerie Kaprisky, under a magnificent soundtrack by Jack Nitzsche and “killer” Jerry Lee Lewis.

BREATHLESS is an extraordinary film. The narrative and cinematographic innovations he introduced marked an epoch. It is one of the unquestionable masterpieces of cinema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.