THE GOOD FIGHT: Diane Lockhart e Sua Turma Entram na Quarta Temporada Chutando o Lustre

THE GOOD FIGHT, spinoff de THE GOOD WIFE chegou a quarta temporada no app CBS All Access, trazendo um primeiro episódio absolutamente surpreendente e inovador, como tem sido a tendência desta que é uma das melhores séries da atualidade na TV mundial. A GANG LIDA COM UM REALIDADE ALTERNATIVA é o título da história que mostra a advogada protagonista Diane Lockhart (a atriz Christine Baranski, sempre excelente) despertando em um mundo no qual a Presidente dos Estados Unidos é Hillary Clinton, que tinha vencido a eleição de 2016 contra Donald Trump.

Depois de comemorar muito na cerimônia de posse de Hillary, Diane começa a se perguntar se é tudo verdade.

Ao chegar ao escritório de Reddick, Boseman & Lockhart, na sempre movimentada sede de Chicago, Diane fica sabendo que eles estão ganhando um cliente milionário: o Produtor de Cinema Harvey Weinstein, cujo time legal está lá para traçar a estratégia de defesa.

O problema é que cada vez que menciona um dos escabrosos casos que vieram à tona pela imprensa contra Weinstein, Diane recebe olhares intrigantes e vê que tais fatos ou ainda não ocorreram ou estão ausentes deste novo mundo em que ela vive.

Os produtores foram muito inteligentes, criativos e perspicazes em dar à Diane o seguinte dilema: você aceitaria ter seu maior desejo realizado (a derrota de Donald Trump) em troca de viver em um mundo onde seu grande orgulho (a conquista pelas mulheres do direito a serem ouvidas) estivesse diminuído brutalmente?

A série jamais perde seu bom humor (está certo de que é um humor cáustico e irônico, quase humor negro) e coloca Diane em situações totalmente inusitadas, quando todo escritório se mobiliza para fazer a defesa de Weinstein.

Trump derrotado ou Weinstein inocentado? O que violenta mais os princípios de vida da advogada Diane Lockhart?

Como a série não é de ficção científica, tudo logo se esclarece, mas o dilema posto gerou talvez o melhor episódio da série. Rico, provocativo e muito instigante.

Repito que acho THE GOOD FIGHT bem superior à THE GOOD WIFE. O fato de ser um seriado feito pela CBS para o streaming, atinge um público muito mais restrito que o original. Em compensação proporciona uma liberdade criativa muito maior aos roteiristas, diretores e produtores, liberados para ir longe na imaginação e na ousadia.

Delroy Lindo, Cush Jumbo, Audra McDonald, Gary Coole e  Sarah Steele seguem pontificando ótimos trabalhos nos papeis principais. Uma pena a saída de Rose Leslie que era uma excelente Maia Rindell.

THE GOOD FIGHT chega a temporada quatro com toda força e prometendo ainda mais novidades e emoções para seus aficcionados fãs.

THE GOOD FIGHT, spinoff of THE GOOD WIFE arrived in the fourth season on the CBS All Access app, bringing an absolutely surprising and innovative first episode, as has been the tendency of this which is one of the best series on TV worldwide today. GANG DEALS WITH AN ALTERNATIVE REALITY is the title of the story that shows protagonist attorney Diane Lockhart (actress Christine Baranski, always excellent) awakening in a world in which the President of the United States is Hillary Clinton, who had won the 2016 election against Donald Trump.

After celebrating a lot at Hillary’s inauguration ceremony, Diane begins to wonder if it’s all true. Upon arriving at the office of Reddick, Boseman & Lockhart, in the ever-moving Chicago headquarters, Diane learns that they are winning a millionaire client: Film Producer Harvey Weinstein, whose legal team is there to outline the defense strategy.

The problem is that each time she mentions one of the scandalous cases that surfaced in the press against Weinstein, Diane receives intriguing looks and sees that such facts have not yet occurred or are absent from this new world in which she lives.

The producers were very intelligent, creative and keen to give Diane the following dilemma: would you accept having your biggest wish fulfilled (the defeat of Donald Trump) in exchange for living in a world where your great pride (the conquest by women of the right to heard) was brutally diminished?

The series never loses its good humor (it is certain that it is caustic and ironic, almost black humor) and puts Diane in totally unusual situations, when the entire office mobilizes to defend Weinstein.
Trump defeated or Weinstein innocent? What violates most of Diane Lockhart’s life principles?

As the series is not science fiction, everything is soon cleared up, but the dilemma posed perhaps generated the best episode of the series. Rich, provocative and very thought-provoking.

I repeat that I think THE GOOD FIGHT is far superior to THE GOOD WIFE. The fact that it is a series made by CBS for streaming, reaches a much more restricted audience than the original. On the other hand, it provides a much greater creative freedom to the writers, directors and producers, free to go far in the imagination and in the daring.

Delroy Lindo, Cush Jumbo, Audra McDonald, Gary Coole and Sarah Steele continue to pontificate great works in the main roles. Too bad the departure of Rose Leslie who was an excellent Maia Rindell.

THE GOOD FIGHT arrives at season four with full force and promising even more news and emotions for its passionate fans.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.