SILVANA MANGANO: Uma Musa Italiana

Hoje a atriz italiana Silvana Mangano faria 90 anos. Morreu em 1989, com apenas 59 anos.

Tendo sido Miss Itália, trabalhou com Visconti (MORTE EM VENEZA e VIOLÊNCIA E PAIXÃO), Pasolini (TEOREMA e DECAMERON), Carlo Lizzani (IL PROCESSO DI VERONA), Alberto Latuada (TEMPESTADE e ANNA),Vittorio de Sicca (O JUIZO UNIVERSAL e O OURO DE NÁPOLES) e Mario Monicelli (A GRANDE GUERRA).

Foi uma das divas do cinema italiano ao lado de Sophia Loren, Gina Lolobrigida, Virna Lisi, Anitta Ekberg, no que se costumou chamar de “divismo”.

Segundo conta a história ela faria o papel que terminou com Anouk Aimée em LA DOLCE VITA, convidada por Fellini, mas seu marido Dino de Laurentiis, enciumado bloqueou o trabalho. Outra curiosidade é que Pasolini a achava parecida com a mãe dele e teria feito Mangano atuar no filme ÉDIPO REI com as roupas maternas.

O escritor e jornalista Alberto Moravia escreveu sobre Silvana Mangano: “Essa atriz é, sem dúvida, uma das mais belas que surgiram em nossas telas por muito tempo. Sua beleza, coisa rara na Itália, não é contaminada por propriedades sociais, burguesas ou populares, é a beleza absoluta, de um caráter que, sem exagero se pode chamar angélico. Para ver o rosto de anjo de Silvana os italianos se aglomeravam e continuam se aglomerando nas salas de cinema onde se projeta Anna”

Silvana Mangano foi uma das atrizes mais censuradas da Itália no movimento da Igreja Católica contra a sensualidade e o erotismo em filmes, visto em CINEMA PARADISO, de Giuseppe Tornatore, nas cenas em que o Padre manda cortar as cenas de beijo de todos os filmes.

No final de sua carreira, fez uma participação no filme DUNA, de David Lynch.

É uma musa eterna.

Today Italian actress Silvana Mangano would be 90 years old. She died in 1989, only 59 years old.

Having been Miss Italy, she worked with Visconti (DEATH IN VENICE and VIOLENCE AND PASSION), Pasolini (THEOREM and DECAMERON), Carlo Lizzani (IL PROCESSO DI VERONA), Alberto Latuada (TEMPEST and ANNA), Vittorio de Sicca (IL GIUDIZO UNIVERSALE and THE GOLD OF NAPLES) and Mario Monicelli (THE GREAT WAR).

She was one of the divas of Italian cinema alongside Sophia Loren, Gina Lolobrigida, Virna Lisi, Anitta Ekberg, in what used to be called “divism”.

According to the story she would play the role that ended with Anouk Aimée in LA DOLCE VITA, invited by Fellini, but her husband Dino de Laurentiis, jealous, blocked the work. Another curiosity is that Pasolini thinked Mangano remembered his mother and demand for her to act in the movie EDIPO with his mother’s clothes.

The writer and journalist Alberto Moravia wrote about Silvana Mangano: “This actress is, without a doubt, one of the most beautiful that has appeared on our screens for a long time. Her beauty, a rare thing in Italy, is not contaminated by social, bourgeois or popular properties, it is the absolute beauty, of a character that, without exaggeration, can be called angelic. To see Silvana’s angel face, the Italians flocked and continue to flock to the movie theaters where Anna is projected ”

Silvana Mangano was one of the most censored actresses in Italy in the movement of the Catholic Church against sensuality and eroticism in films, seen in Giuseppe Tornatore‘s CINEMA PARADISO, in the scenes in which the Priest cuts the kissing scenes in all the films.

At the end of his career, he participated in the film DUNA, by David Lynch.

She is an eternal muse.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.