REPULSA AO SEXO: Polanski Traz Catherine Deneuve, Muito Jovem, Linda e Louca

São muitos os filmes que tratam da deterioração mental (ou emocional) de personagens por traumas físicos ou afetivos. O próprio cineasta Roman Polanski tem em sua filmografia dois outros filmes com este tema: o clássico O BEBÊ DE ROSEMARY e O INQUILINO. O polonês Andrejz Zulawski tem um filme imperdível sobre o assunto: POSSESSÃO, com a grande Isabelle Adjani.

Roman Polanski, em 1965, aos 22 anos assombrou o mundo com REPULSA AO SEXO (REPULSION), uma drama alucinado sobre uma moça jovem que enlouquece sozinha em um apartamento em Londres, quando sua irmã vai passar férias com o amante na Itália. A protagonista, até hoje exemplar sobre pessoas sexualmente reprimidas é vivida por uma escandalosamente linda Catherine Deneuve, aos 21 nos de idade.

Carol, uma jovem manicure que mora com a irmã Helen vivida pela atriz Ivonne Fourneaux) e trabalha em um salão de beleza top, é cortejada por um jovem apaixonado por ela (Colin feito pelo ator Escocês John Fraser), mas desaprova profundamente a relação de Helen com um homem casado (Michael, o ator inglês Ian Hendry). Ouvir o casal fazendo amor todas as noites vai aumentando a tensão da imigrante Belga, cada vez mais fria e distante com relação à vida.

Classificado como um filme de terror psicológico, REPULSA AO SEXO é realmente atemorizador ao passar a focar as alucinações de Carol, sozinha no apartamento, com estupradores imaginários.

O crítico do THE NEW YORK YIMES Bosley Crowther, em 4 de outubro de 1965 escreveu: “Miss Deneuve é simplesmente esplêndida no papel central – secreta em cuidar de sua obssessão e profundamente triste … Dentro do turbilhão de violência e horror neste filme, Polanski alcançou um conceito assustador da dor e do pathos do mentalmente doente. Ele entregou sem dúvida um dos melhores filmes do ano “.

REPULSA AO SEXO é um clássico sobre a doença mental e os traumas da repressão. E ainda revelou a monstruosa atriz Catherine Deneuve, depois uma Diva do Cinema.

There are many films that deal with the mental (or emotional) deterioration of characters due to physical or emotional trauma. Filmmaker Roman Polanski himself has in his filmography two other films with this theme: the classic ROSEMARY’S BABY and THE TENANT. The also Polish Andrejz Zulawski has an unmissable film on the subject: POSSESSION, with the great Isabelle Adjani.

Roman Polanski, in 1965, at 22, haunted the world with REPULSION, a crazy and horrific drama about a young girl who goes crazy alone in an apartment in London, when her sister goes on vacation with her lover in Italy. The protagonist, until today exemplary about sexually repressed people, is lived by an outrageously beautiful Catherine Deneuve, at 21 years of age.

Carol, a young manicurist who lives with her sister Helen lived by actress Ivonne Fourneaux) and works in a top beauty salon, is courted by a young man in love with her (Colin made by Scottish actor John Fraser), but deeply disapproves of the relationship of Helen with a married man (Michael, English actor Ian Hendry). Hearing the couple making love every night grows the tension of the Belgian immigrant, who is increasingly cold and distant with regard to life.

Classified as a psychological horror film, REPULSION is really frightening to focus on Carol’s hallucinations, alone in the apartment, with imaginary rapists.

THE NEW YORK TIMES Bosley Crowther, on October 4th, 1965 wrote: “Miss Deneuve is simply splendid in the central role – secretive in nursing her obssession and starkly sad… Within the maelstrom of violence and horror in this film, Mr. Polanski has achieved a haunting concept of the pain and pathos of the mentally deranger. He has delivered undoubtedly one of the best films of the year.”

REPULSION is a classic about mental illness and the traumas of repression. And it also revealed the monstrous actress Catherine Deneuve, later a superb Cinema Diva.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.