MARATONA DA MORTE: Thriller Brilhante de Schlesinger Tem Laurence Olivier, Dustin Hoffman e uma Cena Antológica

Em 1976, o premiado cineasta inglês John Schlesinger (Oscar de Melhor Diretor por PERDIDOS NA NOITE) levou às telas um romance do excelente escritor e roteirista William Goldman (Dois Oscars de Melhor Roteirista por BUTCH CASSIDY e TODOS OS HOMENS DO PRESIDENTE), intitulado MARATONA DA MORTE.

MARATHON MAN (título original do livro e do filme) conta a história de um recém formado estudante de história (fazendo Ph.D. na Universidade de Columbia) que se vê envolvido em um complô de espionagem por ser irmão de um agente do governo perseguindo um criminoso de guerra nazista, refugiado em Nova Iorque.

Thomas “Babe” Levy é Dustin Hoffman, ainda jovem, mas mostrando seu superior talento como ator. O irmão dele “Doc” Levy é o ótimo Roy Scheider. O criminoso de guerra é o extraordinário Laurence Olivier, em mais um papel antológico de sua carreira como Christian Szell, um frio assassino que busca se ocultar dos horrores que praticou na Segunda Guerra.

Para complicar ainda mais o quadro, há uma estudante europeia em intercâmbio, Elsa Opel (a atriz suíça Marthe Keller linda e expressiva) que se envolve amorosamente com Babe mas pode ter uma agenda dupla.

MARATHON MAN é um thriller brilhante e impressionante. Tem sutilezas cinematográficas maravilhosas (por exemplo na cena em que o personagem de Roy Scheider é atacado em seu apartamento, do outro lado da rua, na sacada há um homem numa cadeira de rodas observando tudo, incrível citação do clássico JANELA INDISCRETA, de Alfred Hitchcock), Nova Iorque fotografada de forma belíssima (às vezes assustadora) por Conrad Hall e pelo menos uma cena que ficou histórica, quando Szell tortura Babe com instrumentos de dentista. Arghhhhhh.

Acho William Goldman um dos melhores roteirista do cinema americano. Além de BUTCH CASSIDY e TODOS OS HOMENS DO PRESIDENTE, ele escreveu PAPILLON, UMA PONTE LONGE DEMAIS e A SOMBRA E A ESCURIDÃO, apenas para citar alguns.

Schlesinger era um cineasta brilhante. PERDIDOS NA NOITE é um filmaço. Ainda fez DARLING, YANKS e O DIA DO GAFANHOTO. Seu MARATONA DA MORTE é tenso, denso, complexo e narrado de modo competentíssimo. A gente fica sem respiração em várias cenas do filme.

Rever MARATONA DA MORTE tantos anos depois, é uma delícia para quem curte um thriller nota dez.

In 1976, award-winning English filmmaker John Schlesinger (Oscar for Best Director for MIDNIGHT COWBOY) brought to the screen a novel by the excellent writer and screenwriter William Goldman (Two Oscars for Best Screenwriter by BUTCH CASSIDY and ALL THE PRESIDENT’S MEN), entitled MARATHON MAN.

MARATHON MAN (original title of the book and film) tells the story of a recently graduated history student (doing a Ph.D. at Columbia University) who finds himself involved in a spy plot because he is the brother of a government agent chasing a Nazi war criminal, a refugee in New York.

Thomas “Babe” Levy is Dustin Hoffman, still young, but showing his superior talent as an actor. His brother “Doc” Levy is the great Roy Scheider. The war criminal is the extraordinary Laurence Olivier, in yet another anthological role in his career as Christian Szell, a cold assassin who seeks to hide from the horrors he practiced in World War II.

To further complicate the picture, there is a European exchange student, Elsa Opel (the beautiful and expressive Swiss actress Marthe Keller) who is lovingly involved with Babe but may have a dual agenda.

MARATHON MAN is a brilliant and impressive thriller. It has wonderful cinematic subtleties (for example in the scene where the character of Roy Scheider is attacked in his apartment, across the street, on the balcony there is a man in a wheelchair watching everything, incredible quote from the classic REAR WINDOW, by Alfred Hitchcock ), New York photographed beautifully (sometimes frighteningly) by Conrad Hall and at least one scene that became historic, when Szell tortures Babe with dental instruments. Arghhhhhh.

I think William Goldman is one of the best screenwriters in American cinema. In addition to BUTCH CASSIDY and ALL THE PRESIDENT’S MEN, he wrote PAPILLON, A BRIDGE TOO FAR and THE GHOST AND THE DARKNESS, just to name a few.

Schlesinger was a brilliant filmmaker. MIDNIGHT COWBOY is a film. He also did DARLING, YANKS and THE DAY OF THE LOCUST. His MARATHON MAN is tense, dense, complex and narrated in a very competent way. We run out of breath in several scenes in the film.

Reviewing MARATHON MAN so many years later, it is a delight for anyone who enjoys a top ten thriller.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.