HENRY FONDA: No Olimpo dos Deuses na Arte de Representar

Há alguns atores que transcendem a categoria de extraordinários e chegam ao Olimpo dos Monstros Sagrados, depois de muito trabalho, tendo uma dose de talento invulgar e muitos personagens e filmes inesquecíveis: Marlon Brando (sempre citado como o maior de todos), por exemplo. Ou Katherine Hepburn, no campo das atrizes. Henry Jaynes Fonda certamente está neste patamar.

Nascido em Nebraska, em 16 de maio de 1905, Henry Fonda ganhou dois Oscars (um honorário pela carreira em 1981 e outro de Melhor Ator em 1982, por NUM LAGO DOURADO), 2 Globos de Ouro, 1 BAFTA, 1 David di Donatello, 1 GRAMMY e uma Estrela na Calçada da Fama em 1960.

É muito difícil apontar o melhor trabalho de Henry Fonda como ator. O candidato preferencial é o papel de Jurado no. 8, em 12 ANGRY MEN (DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA). Em um filme excepcional, Henry Fonda fez um daqueles trabalhos eternos, tipo o Vito Corleone de Marlon Brando ou o Hannibal Lecter de Anthony Hopkins. Ele tem meia dúzia de cenas memoráveis e conseguiu tornar o filme um clássico dos dramas de tribunal sempre citado entre os melhores de todos os tempos.

Mas pode ser o pistoleiro frio Frank, de ERA UMA VEZ NO OESTE, de Sergio Leone. Ou o Tom Joad, de AS VINHAS DA IRA, de John Ford. Ou ainda Manny Balestero, de O HOMEM ERRADO, de Alfred Hitchcock. Quem sabe, o Lt. J.G.Douglas A. Roberts, de MISTER ROBERTS, de John Ford e Mervin LeRoy. Alguns certamente preferem o Frank James, de A VOLTA DE FRANK JAMES, de Fritz Lang. Não podemos esquecer de seu penúltimo personagem, o extraordinário Norman Thayer Jr., de NUM LAGO DOURADO. E poderia citar vários outros.

Pai de Jane Fonda e Peter Fonda e avô de Bridget Fonda, Henry Fonda é o patriarca de uma clã de atores e atrizes. Por todas as razões, ele é um Deus no Olimpo dos maiores do cinema.

There are some actors who transcend the category of extraordinary and arrive at the Olympus of the Holy Monsters, after a lot of work, having a dose of extraordinary talent and many unforgettable characters and films: Marlon Brando (always mentioned as the greatest of all), for example. Or Katherine Hepburn, in the field of actresses. Henry Jaynes Fonda is certainly at this level.

Born in Nebraska, on May 16, 1905, Henry Fonda won two Oscars (one honorary for his career in 1981 and another for Best Actor in 1982, ON A GOLDEN POUND), 2 Golden Globes, 1 BAFTA, 1 David di Donatello, 1 GRAMMY and a Star on the Walk of Fame in 1960.

It is very difficult to point out Henry Fonda’s best work as an actor. The preferred candidate is the role of Juror no. 8, in 12 ANGRY MEN. In an exceptional film, Henry Fonda did one of those eternal works, like Vito Corleone by Marlon Brando or Hannibal Lecter by Anthony Hopkins. He has half a dozen memorable scenes and has managed to make the film a classic of the court dramas always cited among the best of all time.

But it may be the cold gunfighter Frank, ONCE UPON A TIME IN THE WEST, by Sergio Leone. It could also be Tom Joad, from THE GRAPES OF WRATH, by John Ford. Or Manny Balestero, from THE WRONG MAN, by Alfred Hitchcock. Who knows, Lt. J.G.Douglas A. Roberts, from MISTER ROBERTS, from John Ford and Mervin LeRoy. Some certainly prefer Frank James, from THE RETURN OF FRANK JAMES, by Fritz Lang. We cannot forget his penultimate character, the extraordinary Norman Thayer Jr., from ON A GOLDEN POUND. And I could mention several others.

Father of Jane Fonda and Peter Fonda and grandfather of Bridget Fonda, Henry Fonda is the patriarch of a clan of actors and actresses. For all the reasons, he is a god on Olympus among the greatest in cinema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.