HOMECOMING 2: Mesmo sem Julia Roberts no elenco, Mais uma Série Original Top da Amazon

HOMECOMING, série original da AMAZON exibe sua segunda temporada com uma qualidade talvez maior que a primeira, que foi excelente. Claro que Julia Roberts (agora somente Produtora Executiva da série) faz uma falta danada à frente das câmeras, até porque sua Heidi Bergman foi a alma da primeira temporada.

Eu até estava com o pé atrás para mergulhar nesta segunda temporada, quando li altos elogios do Jorge Ghiorzi (CINE UM) no Facebook à HOMECOMING 2.

Realmente os elogios são muito merecidos. A iniciar pela forma escolhida para a narrativa. A série inicia com uma mulher isolada dentro de um pequeno barco, no meio de um lindo lago em Lake Arrowhead, California. Ela acorda com um celular na mão (que imediatamente cai no lago) e enxerga um homem na beira da água. Chama por socorro, mas ele sai correndo. Ela faz um grande esforço para remar para a margem e aí se dá conta que está com amnésia: não lembra seu nome, o que faz e muito menos como chegou ao meio do lago. Há aspectos narrativos brilhantes, como a sequência de cenas durante os créditos finais, já uma marca de HOMECOMING.

Sua busca pelas informações sobre sua vida vão sendo entremeadas com dois ou três tempos narrativos da história, um focando a namorada dela, a executiva da GEIST, Audrey Temple; outra retomando a história do veterano de guerra Walter Cruz, tratado por Bergman na primeira temporada; e a terceira introduzindo  Leonard Geist, o homem que iniciou tudo por ali.

No elenco , a cantora, modelo e atriz, estrela ascendente Janelle Mónae (vista em MOONLIGHT e HIDDEN FIGURES) está particularmente notável como Jackie, a mulher em busca de sua história; Chris Cooper, no papel de Leonard Geist, mostra a categoria de sempre, que já lhe deu um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em ADAPTATION; Hong Chau, de DOWNSIZING e WATCHMEN também compõe a ambiciosa Audrey Temple com perfeição; e o canadense Stephen James (SELMA e 21 BRIDGES)  repete seu ótimo Walter Cruz. Para mim, ainda há um destaque obrigatório: sempre gostei muito de Joan Cusack (a irmã mais brilhante de John Cusack). Aqui ele vive a militar Bunda (nome maravilhoso), responsável por várias das melhores cenas e diálogos da série.

HOMECOMING é uma excelente série (que marca mais um golaço da AMAZON) sobre experimento farmacêuticos e tecnológicos com humanos, sobre estratégias militares belicistas e sua falta de limites, sobre a burocracia desmedida e sobre a necessária prevalência do humano sobre o tecnológico.

Precisa mais?

Pois, como um plus, a série termina com a Deusa Nina Simone cantando MY WAY. Aí realmente conquistou um lugar no meu coração.

HOMECOMING, AMAZON‘s original series shows its second season with a quality perhaps higher than the first, which was excellent. Of course, Julia Roberts (now only Executive Producer of the series) misses a lot in front of the cameras, not least because her Heidi Bergman was the soul of the first season. I was afraid to dive this second season, when I read high praise from Jorge Ghiorzi (CINE UM) on Facebook to HOMECOMING 2.

The compliments are really well deserved. Starting with the form chosen for the narrative. The series begins with an isolated woman in a small boat, in the middle of a beautiful lake in Lake Arrowhead, California. She wakes up with a cell phone in her hand (which immediately falls into the lake) and sees a man at the water’s edge. She calls for help, but he runs off. She makes a great effort to paddle to the shore and then realizes that she has amnesia: she doesn’t remember her name, what she does and even less how she got to the middle of the lake. There are brilliant narrative aspects, such as the sequence of scenes during the final credits, already a brand of HOMECOMING.

Her search for information about her life is interspersed with two or three story narratives, one focusing on her girlfriend, GEIST executive Audrey Temple; another reviewing the story of war veteran Walter Cruz, treated by Bergman in the first season; and the third introducing Leonard Geist, the man who started everything there.

In the cast, the singer, model and actress, rising star Janelle Mónae (seen in MOONLIGHT and HIDDEN FIGURES) is particularly notable as Jackie, the woman in search of her story; Chris Cooper, in the role of Leonard Geist, shows the usual category, which has already given him an Oscar for Best Supporting Actor in ADAPTATION; Hong Chau, from DOWNSIZING and WATCHMEN also perfectly composes the ambitious Audrey Temple; and Canadian Stephen James (SELMA and 21 BRIDGES) repeats his great Walter Cruz. For me, there is still a mandatory highlight: I always liked Joan Cusack (John Cusack‘s most brilliant sister). Here she lives the military Bunda (wonderful name), responsible for several of the best scenes and dialogues of the series.

HOMECOMING is an excellent series (which marks yet another AMAZON goal) on pharmaceutical and technological experiments with humans, on warmongering military strategies and their lack of limits, on the excessive bureaucracy and on the necessary prevalence of the human over the technological.

Need more?

Because, as a plus, the series ends with Nina Simone singing MY WAY. Then it really won a place in my heart.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.