O ADVOGADO DO DIABO: Até Onde Você Iria Por Dinheiro?

Tem os filmes de advogados e os filmes com diabo. E há O ADVOGADO DO DIABO, de Taylor Hackford, baseado no livro homônimo de Andrew Neiderman. Em 1997, o monstro sagrado da arte de atuar Al Pacino deu vida à John Milton, um dono de um escritório de advocacia de Nova Iorque que oportuniza um emprego milionário a um jovem advogado vindo da Florida com sua linda esposa.

Baseado no mito de Fausto, O ADVOGADO DO DIABO mostra Kevin Lomax (Keanu Reeves, muito bem) e Mary Ann Lomax (Charlize Theron, deslumbrante) entrando de cabeça no mundo de dinheiro, poder, mulheres belíssimas, roupas caríssimas e causas milionárias onde os clientes são pessoas, digamos, de inocência incerta.

Trazendo para o debate muitos temas relevantes (até onde você iria por dinheiro e poder?), universais e atualíssimos, o filme carrega nas tintas, não economizando em diálogos afiadíssimos, interpretações viscerais (principalmente do trio central) e efeitos especiais de gosto duvidoso.

O cineasta Taylor Hackford (ganhador do Oscar pelo curta TEENAGE FATHER e indicado pelo excelente RAY, mas famoso por ser o marido de Dame Helen Mirren) faz aqui um de seus melhores trabalhos, um filme emocionante, tenso, polêmico e muito criativo.

Há muitas cenas memoráveis em O ADVOGADO DO DIABO. O surto de Mary Ann, nua e martirizada na igreja é apenas uma delas. Mas minha cena preferida é a final. “Vaidade. Definitivamente, meu pecado favorito” é uma das frases célebres e eternas do cinema.

There are lawyers’ films and films with devil. And there is THE DEVIL’S ADVOCATE, by Taylor Hackford, based on the book of the same name by Andrew Neiderman. In 1997, the sacred acting monster Al Pacino brought John Milton, a New York law firm owner (and the Devil himself), that offers a millionaire job for a young lawyer from Florida (with a beautiful wife).

Based on the Faust myth, THE DEVIL’S ADVOCATE shows Kevin Lomax (Keanu Reeves, very well) and Mary Ann Lomax (Charlize Theron, stunning) entering headlong into the world of money, power, beautiful women and millionaire causes where customers are people, say, of uncertain innocence.

Bringing to the debate many relevant and universal themes (how far would you go for money and power?), the film carries on in pains, not skimping on sharp dialogues, visceral interpretations (mainly from the central trio) and special effects of tacky taste.

Filmmaker Taylor Hackford (Oscar winner for the short TEENAGE FATHER and nominated by the excellent RAY, but famous for being the husband of Dame Helen Mirren) makes here one of his best works, an exciting, tense, controversial and very creative film .

There are many memorable scenes in THE DEVIL’S ADVOCATE. Mary Ann’s outbreak, naked and martyred in the church is just one of them. But my favorite scene is the final one. “Vanity. Definitly, my favorite sin” is one of the famous and eternal phrases in cinema.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.