LIGADOS PELO AMOR: Comédia Romântica Inteligente com Elenco Atraente e Roteiro Divertido e Emocionante

O filme de estreia de um diretor sempre é um desafio. Imagino o que passa na cabeça de alguém que sempre quis ser um cineasta, estudou e se preparou para isto e tem a grande oportunidade de fazer seu primeiro filme. Deve ser um desafio gigante. Há casos clássicos de ótimos filmes de estreia: CÃES DE ALUGUEL, de Quentin Tarantino, CORPOS ARDENTES, de Lawrence Kasdan, BELEZA AMERICANA, de Sam Mendes, BOYZ N’THE HOOD, de John Singelton e UM SONHO DE LIBERDADE, de Frank Darabont.

Quando vi que LIGADOS PELO AMOR (2012 – disponível no NOW, Amazon Prime e Apple TV+), era o filme de estreia do roteirista e produtor americano Josh Bone (depois ele fez A CULPA É DAS ESTRELAS, a mini série THE STAND e o longa de ficção científica OS NOVOS MUTANTES), fiquei bem interessado. Ainda mais pelo elenco cheio de atrizes e atores interessantes: Jennifer Connelly, Greg Kinnear, Lily Collins, Kristen Bell, mais os jovens Nat Wolff, Logan Lerman, Liana Liberato, Patrick Schwarzenegger (filho de Arnold Schwarzenegger e Maria Shriver) e uma participação muito especial (e afetuosa) do escritor Stephen King.

Trata-se de uma comédia romântica bem interessante. Um escritor de sucesso fica em depressão pelo fato da esposa tê-lo abandonado por um homem mais jovem e atlético (jogador de futebol americano, o que gera várias piadas ótimas). O casal de filhos ficam com ele. A filha mais velha – uma jovem estudante de literatura que escreveu seu primeiro livro – resolve simplesmente deletar a mãe de sua vida, não a vendo, não atendendo suas chamadas telefônicas e negando sua existência. O filho, também magoado, tenta se reerguer apoiando o pai e tentando iniciar uma carreira de escritor.

STUCK IN LOVE tem muita coisa boa. O roteiro é muito criativo e cheio de diálogos divertidos e inteligentes. A narrativa alterna drama (a depressão do protagonista) com cenas muito divertidas (a relação com a vizinha atlética), de uma forma que o filme fica profundo (a mãe doente do namorado da filha) e de bom humor.

Igualmente fascinante é a descrição de hábitos da sociedade americana, como o almoço de Thanksgiving e sua força de união familiar ou os problemas de seguir a carreira profissional de um dos pais, sempre uma questão complexa.

O charme do elenco e a leveza do roteiro segura muito bem o filme. É divertido, emocionante e muito bom de se ver. Pode-se exigir mais de um filme de estréia?

A director’s debut film is always a challenge. I imagine what goes on in the mind of someone who always wanted to be a filmmaker, studied and prepared himself for this and has a great opportunity to make his first film. It must be a giant challenge. There are classic cases of great debut films: RESERVOIR DOGS, by Quentin Tarantino, BODY HEAT, by Lawrence Kasdan, AMERICAN BEAUTY, by Sam Mendes, BOYZ N’THE HOOD, by John Singelton and SHAWSCHANK REDEMPTION, by Frank Darabont.

When I saw that STUCK IN LOVE (2012 – available on NOW, Amazon Prime and Apple TV +), it was the debut film by American writer and producer Josh Bone (later he made THE FAULT IS IN THE STARS, the mini series THE STAND and the feature of science fiction THE NEW MUTANTS), I was very interested. Even more for the cast full of interesting actresses and actors: Jennifer Connelly, Greg Kinnear, Lily Collins, Kristen Bell, plus the young Nat Wolff, Logan Lerman, Liana Liberato, Patrick Schwarzenegger (son of Arnold Schwarzenegger and Maria Shriver) and a very participation special (and affectionate) of the writer Stephen King.

It is a very interesting romantic comedy. A successful writer is depressed because his wife has abandoned him for a younger, more athletic man (football player, which generates several great jokes). The couple of children stay with him. The eldest daughter – a young student of literature who wrote her first book – decides to simply delete the mother of her life, not seeing her, not answering her phone calls and denying her existence. The son, also hurt, tries to stand up by supporting his father and trying to start a writing career.

STUCK IN LOVE has a lot of good things. The script is very creative and full of fun and smart dialogues. The narrative alternates drama (the protagonist’s depression) with very funny scenes (the relationship with the athletic neighbor), in a way that the film gets deep (the sick mother of the daughter’s boyfriend) and in a good mood.

Equally fascinating is the description of American society’s habits, such as Thanksgiving lunch and its strength of family unity or the problems of pursuing a parent’s professional career, always a complex issue.

The charm of the cast and the lightness of the script hold the film very well. It is fun, exciting and very good to see. Can more than one premiere film be required?

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.