VIDAS QUE SE CRUZAM: Um Drama Forte Feito Por Outro Cineasta Mexicano Ascendente

Vi um drama de 2008, cujos personagens centrais são três mulheres envolvidas por um drama rasgado e cheio de mistérios. VIDAS QUE SE CRUZAM, filme escrito e dirigido pelo cineasta mexicano Guillermo Arriaga, mundialmente conhecido por ter sido o roteirista de AMORES PERROS, 21 GRAMAS e BABEL. THE BURNING PLAIN é seu primeiro trabalho como diretor de longa e mostra um talento impressionante. Ele ameaça entrar para o time de Guillermo del Toro, Alfonso Cuarón e Alejandro Gonzalez Iñarritu, o trio de estrelas mexicanas atrás das câmeras.

VIDAS QUE SE CRUZAM – disponível no NOW, Amazon Prime Video e Google Play – (cujo roteiro lembra muito a narrativa fragmentada de 21 GRAMAS e BABEL) gira em torno do incêndio de um motorhome em meio a uma paisagem desolada no deserto, que vitimou um casal de amantes. A tragédia se abate sobre as duas famílias dos mortos, misturando infidelidade, traição, assassinato, culpa e destruição emocional. Paralelamente, há a história de uma dona de restaurante que vive de noites de sexo com parceiros diferentes, e se nega a qualquer relacionamento emocional em face de um trauma em sua vida pregressa.

Além do destacado diretor, o trio central de atrizes maravilhosas dá um toque de qualidade superior ao filme. A atriz e produtora sul-africana Charlize Theron vive Sylvia, a restauranteur com passado misterioso. Kim Basinger, Oscar e Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante, faz Gina, um mulher carente de amor em seu casamento, depois de se recuperar de um câncer, que termina se envolvendo com um vizinho latino casado. E Jennifer Lawrence, ainda muito jovem e mostrando a atriz ótima que se tornou anos mais tarde, é Mariana, a filha da esposa adúltera que segue os passos da mãe tendo um namoro proibido com um rapaz latino.

Como as histórias destas três mulheres vão se conectar é o grande charme do filme. Tudo com o apoio de um elenco multi nacional impressionante: Joaquim de Almeida, destacado ator português, John Corbet (de CASAMENTO GREGO), Robin Tunney, Rachel Ticotin, Brett Cullen, José Maria Yazpik, Gray Eubank, Fernanda Romero, Kacie Thomas e Martin Papazian.

Na minha opinião, o roteiro de Arriaga foi fundo demais na tragédia. As histórias de 21 GRAMAS e BABEL eram muito dramáticas, mas tinham respiros que ajudavam a suportar a tragédia de alguns personagens e arcos da narrativa. Em VIDAS QUE SE CRUZAM tudo é trágico demais, não há muita esperança de futuro para qualquer dos personagens. Salvo talvez…

De qualquer sorte, Arriaga fez um filme de estreia elogiável. Não é fácil dar este grito de independência e se tornar cineasta assumindo todos os ônus desta tarefa. Está aí outro cineasta mexicano a ser olhado com cuidado por quem gosta do melhor cinema.

I saw a drama whose central characters are three women involved in a drama torn and full of mysteries. THE BURNING PLAIN, a film written and directed by Mexican filmmaker Guillermo Arriaga, known worldwide for being the screenwriter for AMORES PERROS, 21 GRAMS and BABEL. THE BURNING PLAIN is his first job as a feature director and shows impressive talent. He threatens to join Guillermo del Toro, Alfonso Cuarón and Alejandro Gonzalez Iñarritu, the trio of Mexican stars behind the camera.

THE BURNING PLAIN (whose script closely resembles the fragmented narrative of 21 GRAMS and BABEL) revolves around the burning of a motorhome amid a desolate desert landscape, which victimized a couple of lovers. The tragedy strikes the two families of the dead, mixing infidelity, betrayal, murder, guilt and emotional destruction. At the same time, there is the story of a restaurant owner who lives on sex nights with different partners, and refuses any emotional relationship in the face of trauma in her previous life.

In addition to the outstanding director, the central trio of wonderful actresses gives a touch of superior quality to the film. South African actress and producer Charlize Theron plays Sylvia, the restauranteur with a mysterious past. Kim Basinger, Oscar and Golden Globe for Best Supporting Actress, plays Gina, a woman in need of love in her marriage, after recovering from cancer, who ends up getting involved with a married Latin neighbor. And Jennifer Lawrence, still very young and showing the great actress she became years later, is Mariana, the daughter of the adulterous wife who follows in her mother’s footsteps having a prohibited dating with a Latin boy.

How the stories of these three women will connect is the great charm of the film. All with the support of an impressive multi-national cast: Joaquim de Almeida, prominent Portuguese actor, John Corbet (from MY GREEK WEDDING), Robin Tunney, Rachel Ticotin, Brett Cullen, José Maria Yazpik, Gray Eubank, Fernanda Romero, Kacie Thomas and Martin Papazian.

In my opinion, Arriaga’s script went too deep into the tragedy. The stories of 21 GRAMS and BABEL were very dramatic, but they had breaths that helped to support the tragedy of some characters and arcs of the narrative. In THE BURNING PLAIN everything is too tragic, there is not much hope for the future for any of the characters. Except maybe …

Anyway, Arriaga made a commendable debut film. It is not easy to give this cry of independence and become a filmmaker assuming all the burdens of this task. He is another Mexican filmmaker to be watched carefully by those who like the best Cinema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.