DEADWIND: A Finlândia Também Apresenta Seu Thriller Noir

DEADWIND é uma série policial da Finlândia, produzida e exibida pela NETFLIX – já com duas temporadas – narrando os casos (e dramas pessoais) de dois detetives de Helsinki. que buscam solucionar crimes complexos e cheios de ramificações internacionais.

Ela é a policial Sofia Karppi, vivida pela atriz finlandesa Pihla Viitala, vista em JOÃO E MARIA. Karppi é uma poilicial temperamental, obstinada por justiça, workaholic, que voltou à Helsinki depois de um período na Alemanha, onde seu marido foi atropelado e morto, deixando toda família sem um norte na vida. Seus filhos são uma adolescente rebelde e com problemas com drogas e um menino menor que sofre e faz bullying na escola.

Ele é o introspectivo policial Sakari Nurmi, feito pelo ator finlandês Lauri Tikanen. Um detetive corajoso, solitário, frio, capaz de enfrentar sozinho os piores perigos e com uma admiração extrema pela colega de trabalho. Na vida pessoal, um pânico de se envolver e apenas casos amorosos passafeiros, normalmente com mulheres drogadas e problemáticas.

DEADWIND já tem duas temporadas (a primeira de longuíssimos 12 episódios e a segunda com 8 capítulos) contando duas histórias inteiras que começam e terminam sem deixar gancho para a temporada seguinte. Na primeira os policiais tentam descobrir quem matou uma jovem executiva de uma indústria que pretende instalar um bairro ambientalmente sustentável em Helsinki. Na segunda, enfrentam um serial killer que mata pessoas envolvidas na morte de um jovem a bordo de um cruzeiro internacional.

A série não tem vergonha de beber na inspiração dos melhores exemplares do gênero NORDIC NOIR. Sofia Karppi, por exemplo, é claramente baseada (e inspirada) na excelente detetive Sarah Lund, grande criação da atriz Sofia Grabol na excepcional (top de linha) FORBRYDELSEN (o THE KILLING original dinamarquês). Até o vestuário (sempre o mesmo) vem da ilustra antecessora dinamarquesa.

A personalidade e o temperamento de Karppi – desafiando constantemente os obtusos chefes – sãoi outras características vistas em BROEN, outra série que marcou época, sendo refilmada em vários países.

DEADWIND tem um ritmo muito lento, acentuando o excesso de episódios e marcando uma narrativa por vezes contemplativa demais. Por exemplo, são inúmeras as cenas em que os dois policiais viajam para cidades próximas de Helsinki, com longas cenas nas estradas geladas da Finlândia.

Tudo posto, acho que DEADWIND é uma ótima série, bem produzida, bem dirigida e roteirizada (as duas histórias têm desfechos surpreendentes e abordam temas atuais relevantes como drogas e cultos religiosos) e bem interpretada (gostei da dupla central). Certamente não se inscreve nas melhores, mas é um diversão de excelente nível para o espectador ávido por thrillers nórdicos com histórias complexas e de inspiração noir.

DEADWIND is a thriller series from Finland, produced and aired by NETFLIX – already with two seasons – narrating the cases (and personal dramas) of two Helsinki detectives that seek to solve complex crimes and full of international ramifications.

She is police officer Sofia Karppi, played by Finnish actress Pihla Viitala, seen in HANSEL AND GRETEL. Karppi is a temperamental, law-abiding, workaholic policewoman, who returned to Helsinki after a period in Germany, where her husband was run over and killed, leaving the whole family without a north in life. Her children are a rebellious teenager with problems with drugs and a younger boy who suffers and is bullied at school.

He is the introspective police officer Sakari Nurmi, made by Finnish actor Lauri Tikanen. A brave, lonely, cold detective, able to face the worst dangers alone and with extreme admiration for his co-worker. In personal life, a panic to get involved and just love affairs, usually with drugged and troubled women.

DEADWIND already has two seasons (the first with a very long 12 episodes and the second with 8 chapters) telling two entire stories that start and end without leaving a hook for the next season. In the first, the police try to find out who killed a young female executive from an industry that intends to install an environmentally sustainable neighborhood in Helsinki. In the second, they face a serial killer who kills people involved in the death of a young man aboard an international cruise.

The series is not ashamed to drink in the inspiration of the best examples of the genre NORDIC NOIR. Sofia Karppi, for example, is clearly based (and inspired) by the excellent detective Sarah Lund, a great creation by actress Sofia Grabol in the exceptional (top of the line) FORBRYDELSEN (the original Danish THE KILLING). Even the clothing (always the same) comes from the illustrious Danish predecessor.

Karppi’s personality and temperament – constantly challenging the obtuse bosses – are other characteristics seen in BROEN, another series that marked an era, being remade in several countries.

DEADWIND has a very slow pace, accentuating the excess of episodes and marking a narrative that is sometimes too contemplative. For example, there are countless scenes in which the two detectives travel to cities near Helsinki, with long scenes on Finland’s icy roads.

All in all, I think DEADWIND is a great series, well produced, well directed and scripted (both stories have surprising outcomes and focused relevant subjects like drugs and religion) and well interpreted (I liked the central duo). It certainly does not subscribe to the best, but it is an excellent level of entertainment for the avid spectator for Nordic thrillers with complex and noir-inspired stories.
Send feedback

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.