MEUS DIAS NO CAIRO: Um Romance Delicado e Intenso em Paisagem Paradisíaca

Gosto demais da atriz Patricia Clarkson, uma americana nascida em New Orleans, vencedora do Globo de Ouro por seu extraordinária trabalho em OBJETOS CORTANTES da HBO e 2 EMMY awards por SIX FEET UNDER. Acho que ela se renova e acesce muito a cada filme em que trabalha.

MEUS DIAS NO CAIRO é um filme que Patricia Clarkson estrelou em 2009, dirigido pela cineasta canadense Ruba Nadda, figurinha carimbada nas séries da atualidade, como NCIS: Los Angeles, HAWAII 5.0. e LYNCOLN RHYME.

Juliette Grant, uma editora de uma revista feminina no Canadá (VOUS) vai ao Cairo encontrar seu marido que trabalha na ONU. Ao chegar lá, se depara com um problema: o marido está retido em Gaza em face de um problema no campo de refugiados que ele gerencia. O encarregado de ciceroneá-la é um amigo local de seu marido, o elegante e educado egípcio Tareq Khalifa (o ótimo ator sudanês Alexander Siddig visto em CRUZADA e SIRIANA). Entre os dois vai surgindo uma paixão discreta mas forte que perturba e fascina uma mulher solitária (os filhos já deixaram o lar e o marido vive viajando) e um homem educado, maduro e sozinho.

A diretora Nadda foi muito feliz em desenvolver sua história explorando tudo o que pode da deslumbrante paisagem do Cairo, notadamente o poder das imagens das pirâmides. Os conflitos culturais entre uma mulher moderna e independente e os costumes arraigados e machistas da sociedade egípcia igualmente são muito bem enfocados pelo filme.

Acho que o roteiro poderia ter ido mais fundo. O filme ficou bonito, sensível e lírico. Poderia ter sido mais emocionante e contundente. Mesmo assim, vê-lo garante duas horas de deleite ao espectador (da Apple TV+ e da Amazon Prime Video) pela excelência das interpretações, pelo clima de romance e sensualidade contido e pelas paisagens de tirar o fôlego.

I really like actress Patricia Clarkson, an American born in New Orleans, winner of the Golden Globes for her extraordinary work on HBO’S SHARP OBJECTS and 2 EMMY awards for SIX FEET UNDER. I think she renews herself and gets a lot of access to each film she works on.

CAIRO TIME is a film that Patricia Clarkson starred in 2009, directed by Canadian filmmaker Ruba Nadda, known as director in the current series, such as NCIS: Los Angeles, HAWAII 5.0. and LYNCOLN RHYME.

Juliette Grant, an editor of a women’s magazine in Canada (VOUS), goes to Cairo to meet her husband who works at the UN. When she gets there, she faces a problem: her husband is being held in Gaza in the face of a problem in the refugee camp he manages. The person in charge of supporting her is a local friend of her husband, the elegant and polite Egyptian Tareq Khalifa (the great Sudanese actor Alexander Siddig seen in CRUZADE and SIRIANA). Between the two, a discreet but strong passion arises that disturbs and fascinates a lonely woman (her children have already left home and her husband lives traveling) and an educated, mature and alone man.

Director Nadda was very happy to develop her story by exploring everything she can about the stunning landscape of Cairo, notably the power of the pyramid images. Cultural conflicts between a modern and independent woman and the entrenched and sexist customs of Egyptian society are also very well addressed by the film.

I think the screenplay could have gone deeper. The film was beautiful, sensitive and lyrical. It could have been more exciting and blunt. Even so, seeing it guarantees two hours of delight to the viewer for the excellence of the interpretations, for the atmosphere of romance and sensuality contained and for the breathtaking landscapes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.