INGMAR BERGMAN: Mestre Sueco Era um Artista Único

Hoje seria aniversário (102 anos) do mestre sueco Ingmar Bergman. Sempre digo que são muito raros os cineastas (ou os artistas em qualquer forma de arte) cuja obra é tão peculiar e característica que fica fácil para a gente identificar seu trabalho com facilidade, apenas vendo uma imagem. Bergman faz parte desta rara categoria.

Sua obra – muito injustamente adjetivada de hermética e difícil – é composta de vários filmes memoráveis sobre a alma, a mente e a vida humana. Obviamente, a profundidade de suas abordagens fílmicas distancia seus filmes das obras mais usuais e de leitura simplificada.

Ver MORANGOS SILVESTRES, GRITOS E SUSSUROS, FANNY E ALEXANDER, CENAS DE UM CASAMENTO, O SÉTIMO SELO, SONATA DE OUTONO, PERSONA, A FLAUTA MÁGICA ou qualquer outra de suas obras é uma experiência sensorial e intelectual única.

Se alguém duvidar disto, basta ver a idolatria que cineastas ilustres como Woody Allen, Francis Coppola, Alejandro Iñárritu, Ang Lee, Alexander Payne, Martin Scorsese, Ridley Scott e Lars von Trier nutrem pelo Mestre, como se viu no excepcional documentário TRESPASSING BERGMAN.

Ingmar Bergman elevou o cinema à sua mais alta significação como arte.

Today would be the birthday (102 years) of the Swedish master Ingmar Bergman. I always say that filmmakers (or artists in any form of art) whose work is so peculiar and characteristic that it is easy for us to easily identify their work, just by seeing an image are very rare. Bergman is part of this unique category.

His work – very unfairly dubbed hermetic and difficult – is composed of several memorable films about the soul, mind and human life. Obviously, the depth of his filmic approaches distances his films from the most usual and simplified reading works.

See WILD STRAWBERRIES, CRIES AND WHISPERS, FANNY AND ALEXANDER, SCENES OF A MARRIAGE, THE SEVENTH SEAL, AUTUMN SONATA, PERSONA, THE MAGIC FLUTE or any other of his works is a unique sensory and intellectual experience.

If anyone doubts this, just look at the idolatry that renowned filmmakers such as Woody Allen, Francis Coppola, Alejandro Iñárritu, Ang Lee, Alexander Payne, Martin Scorsese, Ridley Scott and Lars von Trier nurture for the Master, as seen in the exceptional documentary TRESPASSING BERGMAN.

Ingmar Bergman has elevated cinema to its highest significance as art.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.